Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

25
Jul21

As ruas uma muralha de resistência ao golpismo

Talis Andrade

Image

 

Guilherme Boulos no Twitter

 
Guilherme Boulos
São Paulo deu o recado. É Fora Bolsonaro! 

 

Image As ruas serão uma muralha de resistência ao golpismo de Bolsonaro. Não temos medo. O Brasil vai virar a página desse pesadelo!ImageO povo quer viver. Fora Bolsonaro!Image

Recife é Fora Bolsonaro com força!

Image

João Pessoa

Image

Goiânia

Image

25
Jul21

Nosso povo quer viver!

Talis Andrade

Image

 

Manuela Davila no Twitter

Image

Milhares de pessoas na Esplanada dos Ministérios em luta contra Bolsonaro seu governo genocida

Image
 
Em Porto Alegre o #24JForaBolsonaro já começou assim!   Gabriela Silveira
Por quem você vai pra rua hoje?  Sara BragaImage
24
Jul21

Manifestantes protestam contra Bolsonaro em várias capitais pelo país

Talis Andrade

Protesto contra bolsonaro rio de janeiro1

 

 
Diversas cidades do país registram manifestações contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) neste sábado (24/7). Os protestosjá ocorreram ou estão em andamento em capitais como Rio de Janeiro, Salvador, São Luis, Recife, Belém e Maceió.
 

Até às 14h, mais de dez capitais já contabilizam atos contra o presidente e também em defesa da vacinação. E ao menos 20 estados já registram as mobilizações com o mesmo perfil.

De acordo com a Central de Movimentos Populares (CMP), que também organiza as ações deste sábado, estão marcadas 488 manifestações. [Veja mais aqui]

brasil manifestacao 24j

Image

 

 

24
Jul21

Manifestantes protestam no Centro do Rio contra o governo do presidente Jair Bolsonaro

Talis Andrade

Trecho da Avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio, durante protesto contra o governo Bolsonaro na manhã de 24 de julho de 2021 — Foto: Guilherme Cardoso/TV Globo

Trecho da Avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio, durante protesto contra o governo Bolsonaro na manhã de 24 de julho de 2021 — Foto: Guilherme Cardoso/TV Globo

 

 

por G1

Manifestantes se reuniram na manhã deste sábado (24), no Centro do Rio, em protesto contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A grande maioria deles usava máscara facial.

A concentração do ato teve início por volta das 10h na Avenida Presidente Vargas, em frente ao monumento em homenagem a Zumbi dos Palmares. De lá, eles seguiram em caminhada rumo à Praça da Candelária.Funcionários dos Correios participam de protesto contra o governo Bolsonaro, no Centro do Rio, na manhã de 25 de julho — Foto: Jefferson Monteiro/TV Globo

Vista aérea mostra manifestantes ocupando longo trecho da Avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio, durante protesto contra o governo Bolsonaro na manhã de 24 de julho — Foto: TV Globo

Em faixas, cartazes e adesivos, os manifestantes reclamavam das privatizações de órgãos públicos, cobraram a defesa da Amazônia, cobravam vacina contra a Covid e, até mesmo, a saída de Bolsonaro do cargo. Uma faixa com cerca de 50 metros de comprimento exibia a frase "Fora Bolsonaro".

24
Jul21

Manifestantes fazem atos contra Bolsonaro e a favor da vacina

Talis Andrade

Vista aérea mostra manifestantes ao longo da avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio — Foto: TV GloboVista aérea mostra manifestantes ao longo da avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio — Foto: TV Globo

 

Por G1

Manifestantes foram às ruas neste sábado (24) para protestos contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e em defesa da vacinação contra a Covid-19.

Até por volta das 14h, haviam sido registrados protestos em pelo menos 52 municípios, localizados em 20 estados, incluindo 13 capitais.

 

  • Estados em que foram realizadas manifestações: AL, BA, CE, GO, MA, MG, MT, MS, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RN, RS, RR, SC, SP e TO
  • Entre as cidades, houve protesto nas seguintes capitais: Rio de Janeiro, Recife, Salvador, Belém, Palmas, Teresina, Goiânia, Campo Grande, Cuiabá, São Luís, João Pessoa, Boa Vista e Maceió

 

Assim como em manifestações semelhantes realizadas em outras datas, os protestos ocorreram de forma pacífica. A maioria dos manifestantes usavam máscara como medida de proteção contra o coronavírus. Veja a situação das manifestações pelo país aqui

Manifestantes protestam no Centro do Rio contra o governo Bolsonaro — Foto: Jefferson Monteiro/TV Globo

 

24
Jul21

Brasileiros saem às ruas em novos protestos contra Bolsonaro

Talis Andrade

ImageImage

Atos pedindo o impeachment do presidente, vacinas para todos e fim da corrupção estão marcados para mais de 470 cidades, em pelo menos 15 países. Maior concentração deve ocorrer na Avenida Paulista

 

por DW

Partidos de oposição, centrais sindicais, movimentos de renovação política e grupos descontentes com o atual governo convocaram para este sábado (24/07) novos protestos contra a gestão do presidente Jair Bolsonaro.

Atos estão marcados em mais de 470 cidades de pelo menos 15 países, de acordo com levantamento da Campanha Nacional Fora Bolsonaro. Na Alemanha, protestos acontecem em cidades como Berlim e Freiburg.

Entre as principais pautas estão a defesa da democracia, impeachment de Bolsonaro, fim da corrupção, vacinas para todos, volta do auxílio emergencial de R$ 600 e geração de empregos de qualidade.

É a quarta vez que brasileiros sairão às ruas contra o presidente, após os protestos de 29 de maio,19 de junho e 3 de julho, e a primeira após pesquisa Datafolha indicar reprovação recorde de Bolsonaro.

O maior ato, convocado pelo Bloco Democrático – Em Defesa da Vida e da Democracia, deve acontecer na Avenida Paulista, a partir das 16h30. A concentração terá início às 15h, em frente ao Conjunto Nacional. O mote é "dia de unir o país em defesa da democracia, da vida dos brasileiros e do Fora Bolsonaro”.

O bloco é formado por partidos de oposição, tanto de esquerda quanto de direita (Cidadania, PV, PCdoB, PDT, PSB, PSDB, Rede Sustentabilidade e Solidariedade), centrais sindicais, movimentos estudantis, movimentos de esquerda e grupos a favor da renovação política.

"É hora de unir os brasileiros, independente de colorações partidárias e ideológicas, na defesa intransigente da democracia", destaca o grupo.

Em nota, o bloco afirma que a "ação do governo federal tem sido marcada de maneira criminosa pela irresponsabilidade e descaso com a defesa da vida do nosso povo, atacando a ciência e sabotando a vacinação, usando o momento de dor e perda por que passamos como uma oportunidade para ações corruptas, reveladas pela CPI da pandemia".

A nota acrescenta que "ao mesmo tempo em que sabota todos os esforços da sociedade para vencer o coronavírus, Bolsonaro ataca diariamente o regime democrático brasileiro e busca, inequivocamente, as condições para a imposição de um regime autoritário que destrua as instituições republicanas para acabar com as liberdades democráticas".

O protesto acontecerá mais cedo, para tentar evitar a ação de grupos isolados que, em 3 de julho, quebraram vidraças e incendiaram uma agência bancária na rua da Consolação.

Renovação política

Desta vez, o Movimento Brasil Livre (MBL) e o Vem Pra Rua optaram por não convocar os apoiadores para o ato, já que a iniciativa tem o apoio de muitos partidos de esquerda. Os dois grupos marcaram um protesto pelo impeachment de Bolsonaro para 12 de setembro, com o apoio de partidos como PSL e Novo.

No entanto, outros movimentos, intitulados de "renovação política" estarão nas ruas, como Acredito e Agora, que surgiram em 2013 e defendem trazer nomes de fora da política partidária para disputar as eleições.

Enquanto os dois primeiros protestos se concentraram, sobretudo, na gestão catastrófica de Bolsonaro em relação à pandemia, o último, em 3 de julho, passou a englobar, também, pautas anticorrupção, impulsionados  pelo escândalo da Covaxin. Além disso, os últimos protestos ganharam a adesão de partidos da direita e da centro-direita.Image

ImageImageImage

Image

Salvador

Image

Salvador

Image

João Pessoa

ImageImage

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Criciúma

Image

Curitiba

Image

Recife

Image

Maceió

Image

São BernardoImage

Rio de Janeiro

Image

24
Jul21

Atos contra Bolsonaro ganharam força após ameaça do general Braga Netto (Vídeo)

Talis Andrade

Image

247 - Os organizadores das manifestações deste sábado (24) no âmbito da campanha Fora Bolsonaro registraram um aumento no número de atos nos estados após a ameaça do ministro da Defesa, general Walter Braga Netto, de que não haverá eleições caso o voto impresso não seja adotado no país.

A decisão de Bolsonaro de entregar o comando da Casa Civil para o senador Ciro Nogueira (PP-PI), principal expoente do chamado centrão, também impulsionou o movimento. 

Segundo declarações ao Estado de S.Paulo de Raimundo Bonfim, líder da Central de Movimentos Populares (CMP), foram agendados 123 novos atos pelo Brasil nas 24 horas seguintes à divulgação das ameaças e o acerto com o Centrão.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), também será um dos alvos dos protestos, já que ele está impedindo a tramitação dos pedidos de impeachment contra Jair Bolsonaro. 
 

 

23
Jul21

Neste sábado povo volta às ruas para gritar fora Bolsonaro

Talis Andrade

Neste sábado, 24, o povo brasileiro volta às ruas para gritar em alto e bom som: Fora Bolsonaro! Seguindo todos os protocolos sanitários em meio à pandemia do Covid-19, as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e as centrais sindicais convocam a população a se manifestarem contra o genocídio orquestrado por Bolsonaro.

Os escândalos envolvendo a compra das vacinas com cobrança de propina por dose deixam ainda mais fervente o caldeirão da política brasileira. Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara, está sentado em cima de mais de 120 pedidos de impeachment de Bolsonaro, entre eles um superpedido que sistematiza mais de 20 crimes de responsabilidade.

Fernando Haddad
Nós não vamos esquecer o que você fez para o povo trabalhador. Cada vez que você ameaçar a democracia, as ruas do Brasil vão se encher contra você, de povo, de gente. Só o impeachment pode salvar a democracia
Manuela
Mais um motivo para lotarmos as ruas no sábado! O Ministro da Defesa Walter Braga Netto fez um ameaça dizendo que se não houver voto impresso, não haverá eleições em 2022. Nosso país não pode seguir nas mãos de quem ameaça a democracia.
Guilherme Boulos
Mais do que nunca precisamos lotar as ruas do Brasil no próximo sábado! #24JForaBolsonaro
micarla Rocha
Se a única coisa que mete medo em político é o Povo na Rua,É pra lá que nós vamos!
Rui Falcão
O General Braga Neto ameaçou promover um golpe militar. Não daremos um passo atrás em defesa da democracia e do povo brasileiro. Não aceitaremos nenhum tipo de ameaça. RESISTIREMOS NAS RUAS!
Ana Júlia
E o tal do General Braga Netto, que já está se preparando para 2022 fazendo ameaças caso o voto não seja impresso? Chega de regresso,
Paulo Pimenta
Neste sábado mais de 300 cidades participarão do #24JForaBolsonaro.
Jilmar Tatto
Hoje teve abertura das olimpíadas e estou sempre na torcida pelo Brasil, mas confesso que o que eu queria mesmo era a abertura do processo de impeachmentImage
Matheus Gomes
Eduardo Bolsonaro se reuniu com Beatrix von Storch, líder do partido neonazista alemão. Para quem não sabe, Beatrix é neta de Lutz Graf Schwerin, ministro das finanças de Hitler. No Brasil, a luta contra o neonazifascismo é urgente e necessária.
José Henrique Fernandes Borges
É amanhã, galera. Vão ser gigante as manifestações. Não esquece o álcool em gel, a máscara e de manter distanciamento dos outros compas. Quem não for, detona nas redes sociais!Image
Sâmia Bomfim
Amanhã é dia de rua! Só a mobilização popular pode derrotar esse governo genocida, corrupto e golpista. Em São Paulo concentração às 15h, na Avenida Paulista. Confira o horário e local na sua cidade, use máscaras e álcool gel.
Eric Battistelli Coletivo #MarielleFrancoPresente
Brasil Demain nous serons dans la rue pour dire non à la haine, aux racistes et autres suprémacistes, non aux génocides des peuples noirs et indiens, non aux assassinats, non à la corruption et au génocide sanitaire, non à Bolsonazi!Aidez nous avec ce hashtagImage
ClimaInfo
Pelo respeito aos direitos dos povos indígenas Contra: -o desmatamento -desmonte da política ambiental e dos órgãos ambientais -desvalorização de servidores técnicos concursados -a entrega do meio ambiente aos ruralistas predadores. BLOCO VERDE NAS MANIFESTAÇÕES
Glauber Braga
Neste sábado (24) vamos às ruas por cada brasileiro que perdeu a vida para uma doença que já tem vacinaImage

Vamos pra rua sem medo do general Braga

e dos coronéis da vacina superfaturadaImage

Confira aqui a lista (hora e local) de mais de 420 atos no Brasil e no exterior e participe na sua cidade

 

23
Jul21

Campanha Lula Livre Brasil Livre

Talis Andrade

Image

 

O Comitê Nacional Lula Livre Brasil Livre impulsiona uma nova fase em torno da defesa de um projeto de nação, mantendo a vigilância em torno de qualquer ameaça antidemocrática contra Lula e contra o Brasil. Uma ampla unidade de forças sociais, entre movimentos populares, igrejas, partidos políticos, têm afinado o diálogo em torno da nova fase da Campanha, que conseguiu vitórias importantes no último período.

“Lula Livre Brasil Livre! Nós vamos continuar em vigília em relação aos processos que envolvem o ex-presidente Lula, nós vamos continuar denunciando o desmonte da economia promovido pela operação lava Jato e vamos continuar na luta por um Brasil livre da fome, do desemprego, da ameaça antidemocrática e por vacina em massa para todos os brasileiros”, declara Márcio Macedo, vice-presidente do Partido dos Trabalhadores.

De Norte a Sul do Brasil, a hora é de um diálogo mais amplo: a necessária construção de um Brasil Livre, da fome, livre do desemprego, das ameaças antidemocráticas e imperialistas. Esta nova fase induz a uma integração permanente ainda mais forte com as frentes de luta que congregam as forças populares, como a Frente Brasil Popular, a Frente Povo Sem Medo e a Campanha Fora Bolsonaro.

“Uma luta que já foi extremamente vitoriosa que uniu todas as forças da esquerda e eu penso que deva continuar por esse caminho. Lula Livre é, nas palavras de Walter Sorrentino, do Comitê Central do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), uma luta pra ser assegurada sempre, “mas agora mais do que nunca ela se imiscui com essa grande luta que travam os brasileiros pelo Brasil livre, da crise, da fome, da miséria, do desmonte nacional, da dependência atroz, da desmoralização nacional que o governo Bolsonaro está propiciando”, explica. “O PCdoB conclama a esta luta!”, coloca Sorrentino.

Unidade para as lutas

João Pedro Stédile, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), observa que “conseguimos, com toda essa luta dos últimos anos, libertar o companheiro Lula. Lula está livre, mas o Brasil não. Então agora nossa missão é termos Lula Livre e o Brasil também Livre. Livre da fome, livre desse insano genocida que já causou mais de 540 mil mortes, livre do desemprego e livre das desigualdades”. O dirigente conclama: “Nós mudaremos esse país com a força de todo o povo!”

“Devemos permanecer alertas, atentos, mobilizados. Se faz muito importante a participação dos Comitês Lula Livre Brasil Livre nas manifestações do próximo sábado, 24J, por Fora Bolsonaro e tudo que ele representa”, aponta Valério Arcary, da direção do Partido Socialismo e Liberdade.

Um novo ciclo de lutas se apresenta para a classe trabalhadora com a retomada das manifestações de rua em todo país. Seguindo todos os protocolos de cuidado sanitário, o povo decidiu recolocar seu projeto de nação no centro da disputa.

23
Jul21

Partidos e centrais sindicais chamam população para protesto contra Bolsonaro

Talis Andrade

Image

 

O movimento denomina a manifestação como "dia de unir o país em defesa da democracia, da vida dos brasileiros e do Fora Bolsonaro". É o quarto grande protesto contra o presidente

 
por Talita de Souza /Correio Braziliense
 

Formado por centrais sindicais e partidos da oposição, o denominado Bloco Democrático convocou a população brasileira para ir às ruas, no próximo sábado (24/7), às 15h, contra o governo do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido). O grupo denomina a manifestação como “dia de unir o país em defesa da democracia, da vida dos brasileiros e do Fora Bolsonaro”.

Em nota, divulgada nesta quarta-feira (21/7), os integrantes afirmam que é preciso combater a ação “criminosa” do atual presidente durante a pandemia da covid-19 e lutar pela “defesa intransigente da democracia”. Eles ainda lembram das suspeitas de corrupção levantadas pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, levantadas a partir de depoimentos de servidores, ex-ministros da Saúde e empresas de venda de vacinas contra a doença.

“Ao mesmo tempo em que sabota todos os esforços da sociedade para vencer o coronavírus, Bolsonaro ataca diariamente o regime democrático brasileiro e busca, inequivocamente, as condições para imposição de um regime autoritário que destrua as instituições republicanas para acabar com as liberdades democráticas”, dizem.

O texto é assinado por 26 entidades, entre elas a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), a Federação dos Bancários de São Paulo e a União Nacional dos Estudantes (UNE); além dos partidos Cidadania, Rede Sustentabilidade, Solidariedade, Partido Verde (PV) e PCdoB.

A última manifestação contra o presidente ocorreu há menos de um mês,em 3 de julho, e reuniu cerca de 290 cidades do país e do exterior. Foi o terceiro grande protesto contra o chefe do Executivo em dois meses.

Image

BLOCO DEMOCRÁTICO – Em Defesa da Vida e da Democracia

24 de Julho – #24J – Dia de unir o país em defesa da democracia, da vida dos brasileiros e do Fora Bolsonaro

O Brasil vive uma das maiores tragédias da sua história, com a perda de 540 mil vidas para a pandemia do Covid 19. Nesse difícil momento, a ação do governo federal tem sido marcada de maneira criminosa pela irresponsabilidade e descaso com a defesa da vida do nosso povo, atacando a ciência e sabotando a vacinação, usando o momento de dor e perda por que passamos como uma oportunidade para ações corruptas, reveladas pela CPI da pandemia.

Ao mesmo tempo em que sabota todos os esforços da sociedade para vencer o coronavírus, Bolsonaro ataca diariamente o regime democrático brasileiro e busca, inequivocamente, as condições para a imposição de um regime autoritário que destrua as instituições republicanas para acabar com as liberdades democráticas.

Não é a primeira vez que o Brasil enfrenta essa ameaça. Já assistimos a esse filme e sabemos o caminho para derrotar o arbítrio. É hora de unir os brasileiros, independente de colorações partidárias e ideológicas, na defesa intransigente da democracia. É preciso, ainda, apoiar as demandas sociais pelo auxílio emergencial de $600, vacina para todos já, contra a carestia e política ativa de geração de empregos de qualidade.

Por isso convidamos a todos para vir à Avenida Paulista, no dia 24 de julho. Estaremos com as nossas bandeiras do Brasil, em frente ao Conjunto Nacional, a partir das 15 horas.

Central de Sindicatos Brasileiros (CSB),
Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)
Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB)
Confederação das Mulheres do Brasil (CMB)
Derrubando Muros
Federação das Mulheres Paulistas – FMP
Federação dos Bancários de São Paulo
Força Sindical
Juventude Pátria Livre (JPL)
Juventude Socialista do PDT de São Paulo (JS)
Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST)
Pública Central do Servidor
União Geral dos Trabalhadores (UGT)
União da Juventude Socialista (UJS)
União Municipal de Estudantes Secundaristas (UMES)
União Nacional dos Estudantes (UNE)
CIDADANIA,
PV
PCdoB
PDT
PSB
PSDB
REDE SUSTENTABILIDADE
SOLIDARIEDADE.

Image

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub