Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CORRESPONDENTE

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil

O CORRESPONDENTE

05
Abr22

Situação da Petrobras é "cada vez mais confusa e caótica" no governo Bolsonaro, diz jornal francês

Talis Andrade

presidente petrobras.jpegGeneral Silva e Luna e assessores militares receberam boladas em apenas  dois anos de trabalho em Itaipu -

O jornal econômico Les Echos analisa nesta terça-feira (5) a crise na direção da Petrobras e afirma que a companhia enfrenta uma situação "cada vez mais confusa e caótica". O diário conta que Jair Bolsonaro já demitiu dois presidentes da petrolífera desde que tomou posse e enfrenta dificuldades para encontrar um terceiro executivo a seis meses das eleições.

Les Echos explica que foi o aumento de mais de 20% nos preços dos combustíveis que provocou a demissão do general Joaquim Silva e Luna da presidência da estatal no final de março. Na sequência, Rodolfo Landim e Adriano Pires, que tinham sido indicados, respectivamente, para os cargos de presidente do conselho de administração e presidente da estatal declinaram o convite.ImageLula sobre Adriano Pires, novo presidente da Petrobrás: "é lobista" -  Brasil 247

 

Analistas atribuem o recuo a pressões sofridas pelos pretendentes devido a atividades que mantêm no setor privado, que poderiam levantar suspeitas de conflito de interesse. Com uma longa carreira no ramo do petróleo, Pires já vinha sendo ouvido pelo governo brasileiro nos últimos tempos como conselheiro para remediar a crise de preços de combustíveis. Na avaliação do jornal francês, com mais esse episódio confuso, "a Petrobras entra em uma nova fase de turbulência". 

O analista de investimentos Pedro Galdi, da empresa de gestão de ativos Mirae, diz na reportagem que a impossibilidade de Adriano Pires assumir a direção da Petrobras complica os cálculos do governo.

A situação da estatal volta à estaca zero, e Bolsonaro tem agora apenas oito dias para nomear novos executivos. Se a crise de governança se prolongar, ela poderá prejudicar a reputação da Petrobras, que já sofreu dano a sua imagem durante os anos de operação Lava Jato.

Além disso, assinala Les Echos, permanece a incerteza se Jair Bolsonaro irá interferir nos assuntos da petrolífera para tentar controlar a inflação antes das eleições de outubro, ou irá respeitar a política de preços da empresa pública, alinhada com o mercado internacional.

 
05
Abr22

Eduardo Bolsonaro tortura Míriam Leitão

Talis Andrade

eduardobolsonaro ai 5 ustra .jpg

 

Por Altamiro Borges

O deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP), também chamado de Dudu Bananinha, é realmente muito escroto. Pelo Twitter, ele voltou a ironizar a bárbara tortura sofrida por Míriam Leitão, da Rede Globo, durante a ditadura militar. Ele postou: “Ainda com pena da [emoji de cobra]”. O fascistoide conta com o cretinismo parlamentar para manter a sua imunidade! 

Quando tinha apenas 19 anos e estava grávida, a hoje conhecida jornalista foi presa e torturada por carrascos da ditadura dos generais (1964-1985). Em uma sessão de tortura, ela foi deixada nua em uma sala escura com uma cobra. O tuíte do filhote 03 do presidente gerou manifestações de repúdio até dos que discordam da colunista global. 

Lula presta solidariedade à jornalista global

 
O ex-presidente Lula, que sempre sofreu críticas ácidas da jornalista e da Rede Globo, foi um dos primeiros a repudiar o fascista. “Minha solidariedade à jornalista Míriam Leitão, vítima de ataques daqueles que defendem o indefensável: as torturas e os assassinatos praticados pela ditadura. Seres humanos não precisam concordar entre si, mas comemorar o sofrimento alheio é perder de vez a humanidade”, postou nas redes sociais. 
 
A Federação Nacional dos Jornalistas divulgou nota em que lembra que “não foi a primeira vez que Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, tratou a tortura como uma prática banal e defensável. Também não foi a primeira vez que a jornalista Míriam Leitão foi desrespeitada pela família Bolsonaro, em sua história de militante e presa política”. 

O texto da Fenaj também enfatiza que “passa da hora de os demais poderes constituídos da República brasileira agirem para garantir o Estado de Direito, com a punição cabível para autoridades que insistem em agir fora dos preceitos legais e democráticos”. A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) também afirma que a “apologia à tortura é crime e quem a pratica deve se submeter aos rigores da legislação”. 

eduardo bolsonaro .png

crapula animal eduardo .jpg



Cadê o Conselho de Ética?


PSOL e PCdoB já protocolaram representações no Conselho de Ética da Câmara Federal em que pedem a cassação do mandato do parlamentar. Para a líder do PSOL, deputada Sâmia Bomfim, a postagem dele sobre a tortura é “desumana”. “Quando ele faz piada com essa situação, reafirma, mais uma vez, que é um criminoso inimigo da democracia”. 

No mesmo rumo, o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) afirma que é urgente punir Eduardo Bolsonaro “por respeito à democracia, à sociedade e às mulheres. A publicação dele é repugnante. Se isso não é quebra de decoro, o que será? A leniência da Câmara em outros tempos normalizou barbaridades como o elogio a tortura”. 

O deputado Alexandre Molon (PSB-RJ) também reagiu indignado. “Que tipo de monstro é capaz de debochar da tortura de uma mulher grávida?”, perguntou pelo Twitter. Já o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirmou que o comentário é “nojento, covarde e asqueroso”. E a deputada Natália Bonavides (PT-RN) exigiu uma postura dura da Câmara Federal.
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub