Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CORRESPONDENTE

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

O CORRESPONDENTE

24
Out22

Beatificação da menina Benigna acontece nesta segunda-feira (24) no Crato Ceará

Talis Andrade

Divulgada a programação da beatificação da Mártir Benigna

BOLSONARO NÃO VAI

Benigna Cardoso nasceu em Santana do Cariri em 1928. Aos 13 anos, ela foi assassinada com golpes de facão após recusar ter relações sexuais

 

A jovem Benigna Cardoso passará a ser beata em cerimônia marcada para acontecer nesta segunda-feira (24), no Parque de Exposição Pedro Felício Cavalcante, em Crato (CE). A missa será presidida pelo cardeal Leonardo Steiner e a expectativa é receber cerca de 60 mil pessoas.

"Benigna, em vida, foi vista como uma pessoa santa. Era muito dedicada aos estudos - era a primeira da classe, caridosa, amante da natureza e dos animais, extremamente religiosa, com assídua participação na Eucaristia aos domingos. Recebeu de presente uma bíblia do pároco na época que virou livro de cabeceira", ressaltou Danilo Sobreira, coordenador de Pastoral da Paróquia Senhora Sant'Ana de Santana do Cariri, em entrevista ao Vatican News.

A serva de Deus, considerada “heroína da castidade”, será a primeira Beata nascida no Ceará a receber esse ato, que é um passo para o caminho da canonização.

 

BENIGNA VIROU SÍMBOLO DA LUTA CONTRA O FEMINICÍDIO 

 

Benigna Cardoso nasceu em Santana do Cariri em 1928. Em 1941, aos 13 anos de idade, ela foi assassinada com golpes de facão dados por Raul Alves, após recusar ter relações sexuais com o criminoso.

Após a morte, a Menina Benigna passou a ser venerada como mártir na Região do Cariri e virou símbolo da resistência contra o feminicídio e a violência sexual contra crianças e adolescentes.

O "Complexo de Benigna" já está com 35% dos trabalhos concluídos e fica próximo à capelinha do martírio que existe até hoje.

A previsão de entrega da obra está prevista para agosto de 2023. O local vai contar com uma estátua da futura Beata de mais de 20 metros e um espaço para oração que será chamado de Santuário de Benigna, explicou Ypsilon Felix, secretário de Cultura de Santana do Cariri.

23
Out22

Intimidação. Michelle e Damares se encontram com venezuelanas após vídeo de Bolsonaro

Talis Andrade

ImageImage

José Fonseca
@fonsecabraslia
Replying to
Michelle e a senadora Dona Bela que só pensa naquiiiiiiiiilo foram pressionar as meninas venezuelanas, não adiantou. O fato é que as meninas que não estavam no trottoir como pensava o bozo, eram bonitinhas e pintou o clima.Image

 

 

 

por CÉZAR FEITOZA - Folhapress

A primeira-dama Michelle Bolsonaro e a senadora eleita Damares Alves se encontraram nesta segunda-feira (17) com duas venezuelanas ligadas à família citada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) em vídeo que circulou nas redes sociais no fim de semana.

O encontro ocorreu no Lago Sul, área nobre de Brasília, e foi viabilizado por integrantes da Presidência da República e da Embaixada da Venezuela no Brasil.

A equipe da primeira-dama foi quem ofereceu o encontro, segundo relatos de pessoas envolvidas. O plano inicial era que a conversa tivesse ocorrido na noite de domingo (16), em São Sebastião (DF).

Num primeiro momento, houve resistência da família venezuelana, que estava assustada com a repercussão do caso.

 

Leia: Randolfe pede ao STF proteção de meninas venezuelanas citadas por Bolsonaro 

 

O encontro, no entanto, aconteceu nesta segunda após a família decidir que gostaria de ser ouvida pela Michelle e dar a oportunidade da primeira-dama pedir desculpas pela exposição indevida das menores de idade.

O principal problema, segundo os relatos, foi com a insinuação que o presidente fez de que as meninas fossem prostitutas —o que é negado pelos venezuelanos e pela Cáritas Arquidiocesana de Brasília, que acompanha os refugiados em São Sebastião.

Com a exposição da família, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios e a Defensoria Pública da União passaram a acompanhar as venezuelanas.

Michelle Bolsonaro e a ex-ministra Damares Alves foram convocadas no domingo pela campanha de Bolsonaro para conversar com a família venezuelana e arrefecer a crise causada pela fala do presidente.

Em entrevista ao podcast Paparazzo Rubro-Negro na sexta (14), Bolsonaro disse, enquanto dirigia por São Sebastião, a cerca de 30 km do centro de Brasília, ele encontrou adolescentes venezuelanas quando "pintou um clima".

"Parei a moto numa esquina, tirei o capacete e olhei umas menininhas, três, quatro, bonitas; de 14, 15 anos, arrumadinhas num sábado numa comunidade", disse o presidente durante a entrevista.Image

 

Leia: Moraes ordena que PT retire vídeos com fala de Bolsonaro sobre venezuelanas 

 

"Pintou um clima, voltei, 'posso entrar na tua casa?' Entrei. Tinha umas 15, 20 meninas, [num] sábado de manhã, se arrumando —todas venezuelanas. Meninas bonitinhas, 14, 15 anos, se arrumando num sábado para quê? Ganhar a vida. Quer isso para a tua filha? E como chegou a este ponto? Escolhas erradas."

No domingo, o GSI (Gabinete de Segurança Institucional) enviou equipes à comunidade Morro da Cruz, em São Sebastião, para encontrar os venezuelanos e propor um encontro com Michelle e Damares.

O objetivo inicial era gravar um vídeo com a família e contar, em detalhes, o que ocorreu no dia em que o presidente a visitou.

A família venezuelana não quis gravar o vídeo, para evitar a exposição do caso.

Em 10 de abril de 2021, um sábado, Bolsonaro fez um passeio por São Sebastião e entrou numa casa em que viviam mulheres venezuelanas que fugiram da crise político-econômica no país vizinho. Na ocasião, ele fez uma live na qual criticou as medidas sanitárias então adotadas por governadores contra a Covid.

 

Leia: Lula sobre 'pintou um clima' de Bolsonaro com venezuelanas: 'Agiu de má-fé' 

 

As garotas venezuelanas recebiam, naquele dia, uma ação social com foco em questões estéticas e de bem-estar, como maquiagem e massagem.

Durante a entrevista ao podcast, Bolsonaro insinuou que as adolescentes estavam bem vestidas e "arrumadas" na tarde de sábado para "ganhar a vida", em referência a exploração sexual.

Na entrevista que originou as críticas a Bolsonaro, o objetivo do presidente era reforçar o mote de um suposto risco de o Brasil "virar uma Venezuela" caso Lula vença o segundo turno do pleito presidencial.

A fala do mandatário também foi criticada por sugerir que ele não tomou providências diante de uma situação de exploração sexual de menores. Ainda que a campanha admita a repercussão negativa do caso, o episódio não é visto como definidor na disputa pelo Planalto, segundo o entorno do mandatário.

Image

Folha de S.Paulo
@folha
As meninas venezuelanas associadas por Bolsonaro à prostituição passaram a última semana sem sair de casa, evitando até ir à escola, para serem preservadas do assédio ao qual foram submetidas após as declarações dadas pelo presidente a um podcast. Leia: bit.ly/3siR2kS
ImageImage
Image
 
Image
Image
 
Image
 
Image
ImageImage
ImageImage
 
22
Out22

Bolsonaro falsificou informações sobre casa de meninas venezuelanas 

Talis Andrade

Image

Professora da comunidade de São Sebastião relatou ao GGN a verdadeira situação da casa de acolhimento citada por Bolsonaro e a verdade sobre as meninas tão puras quanto a filha dele que frequenta escola militar

22
Out22

Ao lado de Lula, Tebet comenta fala sobre meninas venezuelanas e chama Bolsonaro de pedófilo

Talis Andrade

Lula ao lado de Simone Tebet e Marina Silva durante campanha em Teófilo Otoni (MG). — Foto: Ana Carolina Magalhães/Inter TV Dos Vales

Lula ao lado de Simone Tebet e Marina Silva durante campanha em Teófilo Otoni (MG). — Foto: Ana Carolina Magalhães/Inter TV Dos Vales

Por g1 

A senadora Simone Tebet (MDB-MS), terceiro lugar no primeiro turno das eleições presidenciais, chamou o presidente Jair Bolsonaro (PL) de pedófilo ao comentar nesta sexta-feira (21) a fala do candidato à reeleição PL sobre as meninas venezuelanas.

"Quando Bolsonaro disse que pintou um clima, é crime. É mais do que isso, é pedofilia. E lugar de pedófilo é na cadeia. Eu não tenho medo. Já chamei o presidente de covarde e não tenho medo de dizer que ele cometeu um crime", afirmou a senadora.

Tebet participou de uma passeata em Teófilo Otoni, na região Nordeste do estado de Minas Gerais, ao lado do ex-presidente e candidato à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e de Marina Silva (Rede), deputada federal eleita por São Paulo.

O estado mineiro tornou-se cobiçado na fase final da campanha presidencial por ser o segundo maior colégio eleitoral do país. No 1º turno, Lula venceu no estado com 48,29% dos votos contra 43,6% de Bolsonaro.

No dia 14 de outubro, Bolsonaro contou durante uma entrevista a um podcast que estava de moto andando em uma região administrativa do Distrito Federal quando encontrou as jovens venezuelanas.

Image

"Eu estava em Brasília, na comunidade de São Sebastião, se eu não me engano, em um sábado de moto [...] parei a moto em uma esquina, tirei o capacete, e olhei umas menininhas... Três, quatro, bonitas, de 14, 15 anos, arrumadinhas, num sábado, em uma comunidade, e vi que eram meio parecidas. Pintou um clima, voltei. 'Posso entrar na sua casa?' Entrei", disse Bolsonaro na ocasião.

A senadora também lembrou das suspeitas de corrupção envolvendo ele e familiares, entre elas a revelação do portal UOL de que Bolsonaro e parentes compraram 51 imóveis com dinheiro vivo.

"Quando tirarem a faixa dele, e o povo brasileiro vai tirar, nós veremos as rachadinhas, veremos a compra de mansão com dinheiro vivo, veremos os escândalos de corrupção desse governo", disse Tebet.

 
21
Out22

Menina Benigna: primeira Beata do Ceará e símbolo contra a violência à mulher e combate à pedofilia

Talis Andrade

beata ceeará.jpg

 

 

Menina Benigna será beatificada em 24 de outubro

 

A adolescente de 13 anos, símbolo da luta contra o feminicídio no Estado do Ceará, será beatificada em cerimônia presidida pelo representante do Papa Francisco, o cardeal brasileiro Leonardo Steiner, arcebispo de Manaus. A celebração na cidade de Crato acontece na segunda-feira, 24 de outubro, dia do martírio de Benigna Cardoso da Silva em 1941.

Os romeiros esperam as presenças do presidente Jair Bolsonaro e do ex-presidente Lula da Silva. Parece que Bolsonaro desistiu de ir, para evitar provocações venezuelanas... 

por Andressa Collet /Vatican News

O Papa Francisco será representado na beatificação da mártir Benigna Cardoso da Silva no Brasil pelo cardeal Leonardo Steiner, arcebispo de Manaus. A cerimônia acontece no Parque de Exposição Pedro Felício Cavalcanti na cidade de Crato, no Ceará, na próxima segunda-feira, 24 de outubro, dia do martírio da adolescente de apenas 13 anos no ano de 1941. Danilo Sobreira, coordenador de Pastoral da Paróquia Senhora Sant'Ana de Santana do Cariri, cidade natal da mártir, conta um pouco sobre a história da futura Beata brasileira que nasceu em 15 de outubro de 1928, ficou órfã de pai e mãe muito cedo, foi adotada com os irmãos e criada até os 13 anos, idade do seu martírio:

"Benigna, em vida, foi vista como uma pessoa santa. Era muito dedicada aos estudos - era a primeira da classe, caridosa, amante da natureza e dos animais, extremamente religiosa, com assídua participação na Eucaristia aos domingos. Recebeu de presente uma bíblia do pároco na época que virou livro de cabeceira: ela lia as histórias e trazia para a sua vida como reflexão, transmitindo aos amigos e sendo até catequista por ensinar a Palavra de Deus. E também nutria devoção especial a Nossa Senhora do Carmo a quem sempre invocava para a livrar do inferno. 

Aos 12 anos, começou a ser assediada por um rapaz chamado Raimundo Raul Alves Ribeiro que sempre rejeitou. Após várias tentativas de aproximação, ele armou uma emboscada por volta das 16h de 24 de outubro de 1941 após chegar da escola e quando ia buscar água próxima de casa: ele a abordou sexualmente. Ela rejeitou por ver no ato uma ofensa a Deus e, em consequência, ele a golpeou várias vezes com facão, tirando a sua vida. Desde então, ela é invocada como mártir, heroína da castidade, mártir da pureza."

 

A devoção à Menina Benigna

 

Divulgada a programação da beatificação da Mártir Benigna

Espontaneamente - e por muitas décadas - as pessoas iam até o local onde ela foi assassinada para rezar e pedir a sua intercessão, acender velas e colocar flores. O local do martírio foi marcado na época com uma cruz fincada no chão, que depois se tornou um monumento. Em 2004, um grupo de leigos provenientes de Natal-RN decidiram, então, celebrar uma missa na data e no local do martírio em Santana do Cariri. Mas, como o local é de difícil acesso e de propriedade privada, o povo construiu próximo dali uma capela, construída de pedra cariri, em 2005.

A partir daí as romarias começaram a ser promovidas, cresceram e ganharam mais importância quando a Igreja assumiu a causa em 2013, tendo início o processo diocesano para a beatificação. Já em 2019, o público estimado na romaria chegou a 30 mil pessoas. Para 2022, então, a cidade espera receber - sobretudo pela cerimônia de beatificação - cerca de 60 mil pessoas. 

 

Complexo de Benigna ficará pronto em 2023

 

Para os próximos anos, então, a região do Cariri espera melhor receber os devotos da mártir com o "Complexo de Benigna" que já está com 35% dos trabalhos concluídos e fica próximo à capelinha do martírio que existe até hoje. A previsão de entrega da obra está prevista para agosto de 2023. O local vai contar com uma estátua da futura Beata de mais de 20 metros e um espaço para oração que será chamado de Santuário de Benigna, como explica Ypsilon Felix, secretário de Cultura de Santana do Cariri-CE:

"Fruto de uma parceria entre governo do Estado e do Município, com acompanhamento da Paróquia Sant'Ana, aqui da diocese de Crato, está sendo construído um lindo complexo turístico religioso que contará com uma grande estátua da primeira Beata do Ceará, com infra-estrutura de acolhimento para os romeiros da Mártir Benigna Cardoso. São mais de 48 mil metros quadrados de área, com capacidade para abrigar mais de 100 mil romeiros, com áreas para estacionamento, ambulantes e grandes celebrações."

 

 

21
Out22

A nazista vereadora bruxa de Bolsonaro compara mulheres de esquerda a cadelas

Talis Andrade

Û©Gifs/Imagens | Gifs, Bruxas, Halloween

A vereadora bolsonarista de Montenegro, no Rio Grande do Sul, Camila Carolina de Oliveira (Republicanos), está sendo alvo de representação por quebra de decoro em virtude de um vídeo que a parlamentar postou em suas redes sociais comparando mulheres de esquerda a cadelas. 

Na denúncia apresentada pelos partidos PSB, MDB e PTB, os vereadores alegam que Camila utilizou a estrutura da Câmara Municipal para a filmagem de propaganda política eleitoral, “contendo música com expressões de ódio e preconceito a um determinado grupo da sociedade”, diz trecho de reportagem do Metrópoles.

No vídeo, Camila aparece dançando ao som de um funk que tem como refrão que “as de esquerda têm mais pelo que cadela”, se referindo às mulheres que são contrárias à sua ideologia política.

Ela aparece dançando música com requebros indecentes, ladeada por duas adolescentes, o que caracteriza abuso de menores. 

A vereadora de Montenegro (RS), Camila de Oliveira (Republicanos), durante performance nas redes sociais.

200 mulheres se ofendem com postagem de vereadora e mobilizam movimento por cassação

Um grupo de 200 mulheres se revoltou com postagens nas redes sociais de uma vereadora da pequena cidade de Montenegro, no Rio Grande do Sul, e começou um movimento para pautar sua cassação. A postagem que causou a mobilização foi feita no último sábado (15) e um protesto já está marcado na próxima quinta-feira (20).

A vereadora Camila Carolina de Oliveira (Republicanos) foi eleita em 2020 na cidade de aproximadamente 65 mil habitantes e distante 60 quilômetros de Porto Alegre. Ela costuma fazer postagens no Instagram onde aparece dançando, junto de duas meninas que aparentam ser adolescentes menores de 18 anos, cantando e dançando músicas do candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL).

Na postagem do último sábado o trio dançava e cantava uma letra da música comparava mulheres de esquerda a animais. “As mina de direita são as top bela (sic), enquanto as de esquerda têm pelos igual cadela”, diz a música que utiliza a batida do famoso funk Baile de Favela, do MC João.

“Após esse último ataque da vereadora, em que agride as mulheres e os partidos de esquerda, criamos um grupo com mais de 200 mulheres. Ela é uma representante do povo, foi eleita com voto popular e não pode ter uma atitude dessa, deveria estar preservando e reconhecendo as mulheres, não nos atacando com palavras tão tristes e desvairadas como as postagens infelizes que tem feito”, afirmou Eliane Morfan, do PT da cidade.

Ela explica que apesar de endereçada às mulheres de esquerda, a vereadora acabou ofendendo também as mulheres de direita e apoiadoras de Bolsonaro. Elas convocaram uma manifestação para a próxima quinta-feira na Câmara de Vereadores de Montenegro, onde irão pedir a cassação da vereadora por quebra de decoro.

“Há tanto mulheres de esquerda como de direita no grupo, então marcamos de irmos todas de camisetas brancas, e cada uma vai levantar a bandeira do seu partido para mostrar que não foram apenas as mulheres de esquerda as ofendidas, mas também as mulheres de direita e que votaram no Bolsonaro que compreendem o que é uma democracia, coisa que ela não compreende”, afirmou.

Além do PT, outros partidos presentes na cidade também expressaram seu repúdio às atitudes da vereadora. Entre eles MDB, PSB e PTB, que possuem representantes na câmara municipal, protocolaram denúncia por quebra de decoro parlamentar contra Camila de Oliveira na última segunda-feira (17).

Leia a seguir a nota de repúdio do PT da cidade

O PT Montenegro vem a público expressar seu repúdio às manifestações ofensivas da vereadora Camila Oliveira (Republicanos) aos educadores no Dia do Professor e as mulheres de esquerda em falas preconceituosas e discriminatórias através de suas redes sociais. Com o agravante de usar o espaço da Câmara de Vereadores e a estrutura pública para propaganda eleitoral e ataques abjetos à comunidade montenegrina, inclusive expondo adolescentes nos vídeos publicados.

O PT comunica que a partir de reunião da executiva municipal constituiu-se uma comissão de mulheres, lideranças de esquerda, como grupo de trabalho para encaminhamentos do ponto de vista administrativo e jurídico cabíveis.

Por fim, solidários com todes, convidamos para ato de repúdio, no dia 20 de outubro, a partir das 18h em frente à Câmara Municipal de Vereadores .

Ricardo Agadio Kraemer- Presidente do PT Municipal

Ezequiel de Souza- Vice Presidente do PT municipal

Comissão de Mulheres: Liliane Mello, Eliane Morfan, Monalisa Furtado e Maria Lucimar Machado

Três partidos ingressam com representação contra vereadora que gravou  vídeos com músicas na Câmara - Fato Novo

21
Out22

Pintou um clima, por Hildegard Angel

Talis Andrade

Image

 

por Hildegard Angel

"Pintou um clima" num velhote tarado e ele abusou dessas duas meninas da foto, de 6 e 7 anos, deixadas sós enquanto a mãe saiu para procurar emprego...

Muitas mulheres já me relataram abusos sofridos na infância. Uma amiga de minha mãe, no leito de morte, confidenciou-me, fazendo-me prometer não contar pra ninguém, nem à sua filha, que quando menina foi abusada pelo marido rico de sua mãe. Abriu-me seu coração e partiu aliviada do peso de seu segredo, como se fosse dela a culpa por ter "pintado um clima" no padrasto abusador.

Ouvi de uma mulher mais jovem o relato de um pai que lhe fazia carícias sexuais, e ela até hoje enfrenta o trauma de ter causado o "clima" que "pintou" em seu pai.

Começamos a fazer teatro ainda adolescentes. Mamãe assistia a quase todos os espetáculos, e nos levava depois pra casa. Hoje vejo seu esforço extraordinário para nos manter tão protegidas.

Mas o inimigo costuma estar mais próximo do que as mães supõem. Havia solícitos pais de amigas, "com olhar esquisito", que insistiam em dar carona às meninas. Fugíamos deles. Escapamos de "pintar um clima".

Uma viúva rica da rua, com três filhas, arrumou um namorado. A vizinhança faladeira o chamava de "gigolô" porque sua primeira providência foi aparecer de pijama na sacada de frente pra rua, "demarcando o território".

Éramos amicíssimas das meninas, e zanzávamos de uma casa à outra, mantendo sempre cautelosa distância do "gigolô". Um dia, calhou de eu estar lendo na sala da casa das amigas, e o indivíduo entrou e deu uma ordem: "Levanta a blusa!". Eu devia ter 7 ou 8 anos. Fiquei vermelha "como um pimentão". Eu era daquelas que ruborizavam, envergonhadas. Ele insistiu. Eu, paralisada. Calmamente, ele levantou a minha blusa, olhou. Não sei se me tocou. É difícil lembrar. Fui educada a respeitar os mais velhos, e sempre fui obediente. Não sabia como agir se "pintasse um clima" perto de mim.

A minha experiência de assédio na infância, ainda bem, parou por aí. Nunca tive coragem de contar a ninguém, nem mesmo a minha irmã. Era a minha "verdade secreta". Não é mais.

Fujam, crianças. E contem, falem tudo, ser assediada não é sua vergonha. É vergonha dos homens depravados, em quem "pintam climas". É vergonha dos "broxáveis", que precisam da devassidão para estimular sua impotente virilidade.

Poder não é ser Presidente da República. É encarar sua canalhice, seu tamanho de anão moral em quem "pintam climas", e reconhecer que não tem poder nem sobre a própria indignidade. 

19
Out22

Fala pedófila de Bolsonaro e resultado da pesquisa Ipec evidenciam a extensão da degradação social no país

Talis Andrade

Image

 

O atual mandatário sequer perdeu intenções de voto junto à população nacional, segundo o Ipec. Esse é o fato mais estarrecedor

 

por Cesar Calejon

- - -

O mais recente resultado da pesquisa Ipec, que apontou uma estabilidade nas intenções de voto entre Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva por uma diferença de 8% a favor do petista (54% x 46%), demonstra o atual estágio da degradação sociopolítica que acomete o Brasil desde as Jornadas de Junho de 2013, mas, sobretudo, a partir do golpe jurídico, midiático e parlamentar que foi orquestrado contra Dilma Rousseff, em 2016.

Na última semana, Bolsonaro afirmou, textualmente, que “pintou um clima” entre ele e meninas, “(...) três, quatro, bonitas, de 14, 15 anos, arrumadinhas, num sábado, em uma comunidade”, o que caracteriza uma fala pedófila e preconceituosa por parte do presidente da República da segunda maior democracia das Américas e de uma das maiores nações do planeta.

Além do repulsivo aspecto de cunho sexual, a fala de Bolsonaro salienta outro caráter que basicamente não foi explorado pela imprensa nos últimos dias: meninas pobres não podem ser bonitas e arrumadas em suas comunidades sem que pese contra elas a suspeita iminente de que estão se prostituindo. Imagine se Bolsonaro faria essa mesma colocação ao ver crianças com a mesma idade em bairros nobres das principais capitais brasileiras, por exemplo.  

Sob outras circunstâncias, quando a vida social do país não se encontrava em franco processo de ascensão de uma espécie de modelo teocrático miliciano nazifascista, tal declaração bastaria para encerrar não somente o mandato do presidente, mas toda a sua carreira parlamentar e vida pública, de forma mais ampla. 

“Eu estava em Brasília, na comunidade de São Sebastião, se eu não me engano, em um sábado de moto [...] parei a moto em uma esquina, tirei o capacete, e olhei umas menininhas(...). Três, quatro, bonitas, de 14, 15 anos, arrumadinhas, num sábado, em uma comunidade, e vi que eram meio parecidas. Pintou um clima, voltei. 'Posso entrar na sua casa?' Entrei. Tinha umas 15, 20 meninas, sábado de manhã, se arrumando, todas venezuelanas. E eu pergunto: meninas bonitinhas de 14, 15 anos, se arrumando no sábado para quê? Ganhar a vida”, disse Bolsonaro.

Image

 

Contudo, no Brasil, em 2022, o atual mandatário sequer perdeu intenções de voto junto à população nacional, segundo o Ipec. Esse é o fato mais estarrecedor, porque, em boa medida, o mau-caratismo e a falta de limites de Jair Bolsonaro já são bem conhecidos, mas, o que passa a ser amplamente compreendido nesse momento é o alinhamento irrestrito que dezenas de milhões de pessoas, em sua maioria pais e mães de crianças que têm as mesmas idades das meninas às quais Bolsonaro se referiu dizendo que “pintou um clima”, com uma proposta sociopolítica degradante e abjeta, que seria inconcebível há apenas alguns anos. 

Infelizmente, consumidos pela propaganda midiática que caracterizou o Partido dos Trabalhadores como uma “quadrilha” e Lula como o seu “chefe”, parte dos brasileiros mergulharam em uma espécie de transe que os faz relevar todo e qualquer desvio de conduta moral, ética, política e social, ainda que as vítimas sejam crianças e que o ataque tenha o repugnante aspecto sexual avançado por Bolsonaro. 

Fundamentalmente, a votação do próximo dia 30, para muito além de decidir o futuro presidente da República, determinará se esse projeto de país será ainda mais aprofundado ou se seremos capazes de reiniciar um processo de reconstrução nacional com vistas à superação do bolsonarismo.

Image

19
Out22

Bolsonaro e a pedofilia

Talis Andrade

ImageImage

 

 

A imprensa mundial fez eco das falas infelizes sobre meninas venezuelanas com as quais teria “pintado um clima”

 

por Juan Manuel Dominguez

- - -

A menos de um mês para que aconteça o segundo turno das eleições que irão decidir quem será o próximo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro está envolvido em vários escándalos que envolvem pedofilia, abuso de menores, assassinatos e por aí vai.

A imprensa mundial fez eco das falas infelizes sobre meninas venezuelanas com as quais teria “pintado um clima” e que ele enxergou como prostitutas pelo mero fato de estarse arrumando como consequência de uma ação social de um curso de estética. Como todo fascistóide neoliberal, mulheres vulneráveis se arrumando só podem ser enxergadas desde a sexualização dos seus corpos. 

O Jornal “El Mundo”, de Madrid, Espanha, aponta “Polémica no Brasil pelas falas do presidente Bolsonaro sobre a aparência física de umas imigrantes venezuelanas”. “La Nación” da Argentina sinaliza `` Polémicas declarações do presidente Bolsonaro sobre menores venezuelanas”. o "France24" também levantou a polêmica sobre os comentários possivelmente pedófilos do presidente.

No meio de tudo isso, Bolsonaro vem sendo questionado pelo apoio de personagens como o goleiro Bruno, assassino e esquartejador da mãe do seu filho, Eliza Samudio. Outro personagem infame é o Guilherme de Pádua, assassino confesso da Daniela Perez, Filha da Autora Glória Perez. O Ex jogador Robinho, condenado em última instancia a 9 anos de prisão por estupro contra uma mulher albanesa em uma boate de Milão, na Itália. 

Ainda neste mês, um dirigente do Partido Liberal (PL), partido do presidente Jair Bolsonaro (PL), e vice-presidente estadual da sigla em São Paulo, José Renato da Silva, foi indiciado pela Polícia Civil por abusar sexualmente das meninas quando elas tinham 6 anos e 7 anos até a adolescência. O caso foi revelado pela própria filha, que diz também ter sido abusada pelo pai quando era criança.
 
 
Dirigente do PL é indiciado por abusar sexualmente das netas

 

Durante a live em que Bolsonaro fez o comentário de que teria “pintado um clima” entre ele e meninas menores de idade, quem entrou na live para dar apoio ao presidente foi nada menos que Gabriel Monteiro, acusado de pedofilia e flagrado gravando vídeos pornográficos com menores de idade, pelo qual foi cassado do seu cargo de vereador pelo Rio de Janeiro. 

O Dr. Jairinho [sádico e pedófilo e assassino], acusado de assassinar uma criança de forma cruel, assim como Flordelis, assassina do seu marido, também declararam apoio ao presidente Jair Bolsonaro.Image

 

Assassinos, milicianos, criminosos. Cuidado! Esse é o time Bolsonaro, diz a propaganda produzida pela equipe de marketing do PT. Nessa peça estaria faltando “pedófilos e abusadores de menores”. Toda a gente mais doentia e criminosa que o habita o mundo da política está do lado do miliciano genocida que recusou vacinar seu povo durante uma pandemia. Esse é o perfil da turma que pretende manter o hospício em que esse país se tornou desde 2018.

A terceira esposa de Jair Bolsonaro chorou porque citaram a filha da fraquejada que tem 11 anos. Não chorou pelas meninas venezuelanas de 14 e 15 anos. As meninas sedutoras, bonitinhas e arrumadinhas, donas do tempo, tanto que pintou o clima, fez sua majestade parar a moto, descer da moto, e entrar na casa para ... 

Michelle Bolsonaro ouviu Damares falar estórias pornôs dentro de uma igreja, estórias de sexo com crianças, histórias de terror, e disse amém. 

Image
 
 
Gabriel Gatti 
@Gattiaosta1
Bolsonaro genocida e pedófilo!
Image
 
18
Out22

'Pintou um clima': Bolsonaro se enrola com própria estratégia de pânico moral, diz Marina Silva

Talis Andrade

Arcebispo alerta que atividade de Bolsonaro em Aparecida "não é da  Arquidiocese" - Hora do Povo

Image
Ana Estela Haddad
@aestela_haddad
Lindo gesto do presidente em utilizar o broche da Campanha nacional Faça Bonito, de combate à violência sexual infantil, durante o debate na Band. A diferença de quem se preocupa com a infância e está realmente comprometido com a proteção de nossas crianças.
Image
Roberto Requião
@requiaooficial
Isto é mais importante!
Image
www.brasil247.com - Maria do Rosário e Jair Bolsonaro
Maria do Rosário e Jair Bolsonaro (Foto: Câmara do Deputados | ABr)
 

247 - A deputada federal Maria do Rosário (PT- RS), junto com movimentos de defesa dos direitos da criança e do adolescente, concede entrevista coletiva nesta terça-feira (18), às 11h30, para anunciar um pedido de apuração ao Ministério Público Federal sobre a possível prevaricação de Jair Bolsonaro (PL) no caso da frase "pintou um clima".

Na última sexta-feira (14), Bolsonaro afirmou ter encontrado em uma comunidade na periferia do Distrito Federal meninas de 14 ou 15 anos, "bonitas", "arrumadinhas", com as quais teria 'pintado um clima'. Segundo o chefe do governo federal, as jovens venezuelanas faziam programa sexual. Bolsonaro não teria tomado nenhuma atitude em relação ao fato.

A representação ao MPF é de autoria de Maria do Rosário em conjunto com o deputado Distrital Fábio Félix (Psol-DF).

A ação, além de pedir ao MPF que apure se Bolsonaro cometeu crime de prevaricação, pede ainda que o órgão averigue se a segurança e o bem-estar das menores venezuelanas, no caso citado por Bolsonaro, estão garantidos.

 
 
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub