Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CORRESPONDENTE

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil

O CORRESPONDENTE

19
Nov19

CHILE: MUTILAÇÃO NOS OLHOS

Talis Andrade

É uma estratégia de guerra a mutilação de pessoas 

cego.jpg

 

 

“Em uma estratégia de mutilação importada diretamente de Israel, em apenas duas semanas de protestos, Carabineros cegaram parcialmente 157 pessoas devido a tiros intencionais, uma brutalidade de número que não tem precedentes em todo o mundo, onde até a mídia internacional está denunciando esse massacre”. A imprensa não oficial do Chile também está ajudando a denunciar o massacre.

Foram15 ataques nesse desde o surto social que o país vive. Nesse contexto, o diretor do Instituto Nacional de Direitos Humanos (NHRI), Sergio Micco, relatou um novo número de feridos. Segundo o profissional, até as 06:00 horas do sábado, 157 pessoas sofreram lesões oculares. Resultado de espingardas disparadas pela polícia. Micco também indicou que, como agência, eles entraram com 179 ações legais; 132 são queixas sobre tortura e tratamento cruel e degradante. Em lesões oculares, a Micco já solicitou a realização de opiniões de especialistas relevantes. “Pedimos uma opinião de especialistas para conhecer a composição dos pellets; a quantidade de pólvora e a pressão impressa em seu uso. É um assunto que temos que estudar. É da maior gravidade ter 157 pessoas com ferimentos nos olhos ”, disse o diretor da agência.

ONU exige o fim do uso de pelotas contra a população

O Sistema das Nações Unidas no Chile pede às autoridades que acabem com o uso de projéteis não letais. Três semanas após o início da crise social no país, o Sistema das Nações Unidas no Chile reitera sua rejeição de todas as formas de violência e sua preocupação com a situação nacional, especialmente com o grande número de mortes e feridos.

Em particular, o Sistema das Nações Unidas no Chile pede às autoridades a pararem imediatamente o uso de granulados, que até hoje causaram centenas de feridos e mais de 170 traumas oculares, segundo dados oficiais da Instituto Nacional de Direitos Humanos. O uso arbitrário e indiscriminado deste tipo de armas não letais constitui uma violação grave dos direitos humanos e viola o princípio da proporcionalidade.

O Sistema das Nações Unidas no Chile também pede o alinhamento das ações de controle da violência com os padrões internacionais existentes que foram ratificados pelo Estado chileno.

O Sistema das Nações Unidas no Chile, que mantém diálogos com a sociedade civil e organizações estatais, é disponibilizado às autoridades e à sociedade como um todo, para avançar em medidas que permitam a proteção de todas as pessoas e paz social

O caso de crianças palestinas mutiladas

O HISPANtv, em um relatório sobre os ataques contra o povo palestino, publica: O Comitê de Defesa dos Direitos Humanos na Palestina, em um relatório citado terça-feira pela agência de notícias palestina Maan, informou que atualmente 12 moradores da cidade de Al-Quds (Jerusalém) ficaram cegas depois de ter sido alvo das forças israelenses.

Em sete desses casos, ele acrescenta, crianças têm menos de 6 anos de idade e perderam pelo menos um dos olhos. A agência, em um comunicado, denunciou o caso ao consultor judicial e ao inspetor geral da polícia israelense.

Referindo-se a evidências consistentes, eles confirmaram que os agentes recorreram ilegalmente a esse tipo de arma, uma vez que, sob as leis, é proibido disparar balas de borracha contra crianças, mulheres grávidas e idosos.

Mesmo nas manifestações, ele só pode ser usado para indivíduos identificados e apontar a parte inferior do corpo.

Essas restrições, diz a entidade palestina, não são muito claras, pois, dadas as consequências perigosas dessas balas, na maioria dos casos não existe legislação específica.

Assim, alertou sobre o uso continuado dessa arma pelas forças armadas israelenses e a considera um sinal da irresponsabilidade da polícia do regime de Tel Aviv. No final, pediu que sejam tomadas imediatamente as medidas para o fim imediato do uso de armas dissuasivas, como balas de borracha.

Em 1º de abril, a Palestina denunciou oficialmente no Tribunal Penal Internacional de Haia (TPI), que poderá permitir que as autoridades do regime israelense sejam julgadas por seus crimes de guerra ou contra a humanidade.

 

Fonte: Alejandra Paredes, Kaos en la Red

Tradução: IBRASPAL

03
Abr19

Flávio Bolsonaro e o medo do Hamas

Talis Andrade

neilima bolsonaro contra arabes.jpg

 

por Pablo Rodrigues

In Sputnik
---
Hamas condenou viagem de Jair Bolsonaro a Israel, Flávio Bolsonaro desejou "explosão" do movimento islâmico em tweet e Haddad criticou a publicação que já foi apagada pelo senador. A sequência de fatos ocasionou hashtag com ar de preocupação e de apoio tanto à família Bolsonaro quanto a Haddad.

BOLSONARO- HAMAS.jpg

 


Na segunda-feira (1º), o movimento islâmico palestino Hamas, que controla a Faixa de Gaza, criticou a viagem do presidente do Brasil a Israel, afirmando que o posicionamento de Bolsonaro "não só contradiz a atitude histórica do povo brasileiro, como apoia a luta pela liberdade do povo palestino contra a ocupação [israelense], mas também viola as leias e as normas internacionais".

.

As palavras foram recebidas pelo filho do presidente, Flávio Bolsonaro, da pior forma, e ele decidiu publicar no Twitter que deseja que o Hamas se exploda. A postagem do senador (PSL-RJ) foi apagada, mas teve quem conseguisse registrá-la e, além de adicionar o print da postagem, o internauta pediu para fazerem de tudo para que o recado de Flávio não chegasse ao Hamas.

flavio bolsonaro hamas.jpg_large

Flavio-Bolsonaro-Hamas-covarde.jpg

HAMAS-PW otário .jpg

Fernando Haddad, que concorreu à Presidência do Brasil contra Jair Bolsonaro, escreveu em tweet que o filho do presidente é um "imbecil inconsequente", adicionando uma matéria da Folha de S. Paulo sobre as palavras de Flávio em relação ao Hamas.

.

Como brasileiros não perdem nunca a piada, o troca-troca de postagens e declarações ocasionou surgimento de hashtag, que basicamente tenta explicar para o movimento Hamas que teve gente que votou em Haddad, então, se for atacar, melhor ir com calma.

.

Na lista dos assuntos mais comentados de hoje no Twitter, a hashtag#HamasVoteiNoHaddad, que surgiu para avisar o Hamas que nem todo brasileiro quer que eles se explodam, acabou ganhando outras proporções e dividindo Brasil entre quem apoia Haddad e quem apoia a família Bolsonaro.

mapa eleitoral.jpg

 

 

De vermelho os estados onde Haddad ganhou 🌹

De verde os estados onde Bolsonaro ganhou 🚀

nordestinos.jpg_large

 


Não custa nada lembrar ao mundo, vai que...#HamasVoteiNoHaddad

  1.   retweetou

    meu deus até em israel ele fez flexão

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub