Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

08
Mai18

OS GIMNETAS

Talis Andrade

 

pobres-na-Inglaterra.jpg

 

 

Nos gelados países

do Norte o pobre

parece um nobre

agasalhado em pesadas

roupas de frio

 

Nos ensolarados

países do Sul

o vestuário

(des)cobre

a carne crua

 

Nos países do Sul

a pobreza é

verdadeiramente nua 

 

 

===

Candidatos para admissão num abrigo (1874), por Samuel Luke Fildes

Talis Andarde, O Enforcado da Rainha, p.86

08
Nov17

Miss Bumbum 2017

Talis Andrade

bubum 1.jpg

O Brasil não faz referendo.

Não faz plebiscito.

Mas elegeu a Miss Bumbum sem o esperado protesto dos pastores evangélicos, que atenderam a um pedido especial do filho do bispo Edir Macedo. O MBL também desistiu da campanha de que toda nudez deve ser castigada, que seu principal líder também é gay.

Pelos menos, três ministros de Temer poderiam ter participado. Mas continuam no armário. Mais coragem teve Rosie Oliveira, de 28 anos, eleita Miss Bumbum 2017 em concurso realizado em São Paulo, na noite desta última segunda-feira (6). Com 100 cm de quadril, a representante do Amazonas superou Raíssa Barbosa, do Acre, e Jane Ferreira, de Pernambuco, que ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente.
Rosie contou que, pouco antes do concurso, o marido lhe deu um ultimato e a mandou escolher, "mas eu já tinha feito a inscrição. Não me arrependo da escolha", afirmou.

 

bumbum 2.jpg

brasilll.bubum.jpg

 

23
Out17

Candidatos a presidente prometem fechar as praias de nudismo

Talis Andrade

Os partidos conservadores e igrejas evangélicas pretendem lançar a campanha "Direito da mulher ser recatada e do lar",  para combater a nudez no Brasil em todas as frentes: nas artes, nos meios de comunicação de massa, nas escolas (o uniforme sexy mini saia das estudantes), nas praias com a proibição do topless, nas igrejas (vestuário das mulheres e o erotismo de alguns santos e santas do catolicismo. De São Sebastião um nudismo feminino apreciado pelos homossexuais. De Santa Madalena os seios de fora), nos hospitais, pela falta de respeito com as parturientes praticamente despidas. Inclusive foi condenada a capa desta semana da revista Time.

 

time.750.jpg

 

 

O movimento, inspirado na primeira dama Marcela Temer, conta com o apoio dos candidatos a presidente Jair Bolsonaro da bancada da bala na Câmara dos Deputados, prefeito João Dória ("Apaguei das ruas de São Paulo todas as pichações com mulheres nuas"), Edir Macedo dono da Igreja Universal do Reino de Deus, que elegeu o sobrinho Marcelo Crivella prefeito do Rio de Janeiro, governador de São Paulo Geraldo Alckmin do conservadorismo católico da Opus Dei, apresentador e animador de TV Luciano Grostein Huck, ex-frequentador de praias internacionais que praticam o topless.   

 

Uma das primeiras medidas o fechamento das oitos praias oficiais de nudismo existentes no Brasil: na Paraíba, na Bahia, no Espírito Santo, no Rio de Janeiro e em Santa Catarina. Veja fotos,  da "pouca vergonha. Até crianças aparecem nuas para o voyeurismo dos pedófllos",  disse o vereador de São Paulo Fernando Silva Bispo, mais conhecido como Fernando Holiday, representando o MBL, Movimento Brasil Livre. Para Holiday, eis o mapa da safadeza:

mapa do nudismo .jpeg

 

 

Existem centenas de praias clandestinas de nudismo, também chamadas de "paraíso", nomeação que o pastor, cantor e senador Magno Malta considera uma blasfêmia. Duas delas fáceis de ser encontradas:

 

 Praia Brava (em Cabo Frio, Rio de Janeiro)

Praia Brava (São Paulo)

 

Praia-Brava. SP.jpg

 

Jurubá (em Paraty, Rio de Janeiro)

 

O nudismo é praticado em pelo menos outras 300 praias, segundo o ex-presidente da Federação Brasileira de Naturismo, André Herdy.

 

Nas áreas oficiais há várias regras de comportamento e a nudez não é apenas permitida por lei, ela é obrigatória! Afinal, os frequentadores conquistaram a autorização do governo para andar pelados e aplicar as regras do naturismo nesses locais, catequiza Herdy.  

 

A FBrN possui 11 associações, 5 clubes, 2 entidades parceiras, totalizando 18 entidades filiadas, ora ameaçadas.

 

Contra o puritanismo que ameaça o Brasil, a FBrN apresenta uma seleta de teses e artigos aqui  .

 

 

15
Out17

O país de prisão política anunciada

Talis Andrade

O Brasil tem morte de jornalista anunciada

Tem prisão de político anunciada.  

A imprensa noticia, hoje, que Lula vai ser preso segunda-feira. 

 

Moro-Julgando-Lula. Vitor Teixeira .jpg

 Ilustração Vitor Teixeira

 

Toda semana esse divulgado por publicidade da Lava Jato:

Lula vai ser preso dia tal. 

 

Que frescura de prende não prende.

Dá não dá.

Morre não morre.
Eta suspense de filme de terror de terceira.

 

Queria ver essa gente discutindo o salário mínimo.

Subsistindo com um salário de novecentos reais todo mês.
Pegando no pesado por 900 pratas.
Ou vivendo a velhice com 900 moedas de um cruzeiro.
Queria ver.

 

Eta Brasil desigual.
De deputados pastores evangélicos com jatinhos.
De togados recebendo salário acima do teto.

 

E o brasileiro em geral
sem teto,
sem terra,
sem nada.

 

E os abestalhados discutindo o sexo dos anjos.
Reclamando da nudez do profeta Isaías.
Contando quantas esposas, concubinas e prostitutas tinha o rei Salomão. Se mais, ou menos de mil.

 

Se Collor exibe nariz de silicone.
Se Sarney mora numa ilha.
Se Dória possui o palacete mais caro de São Paulo.
Se no sítio de FHC existe aeroporto clandestino.
Se Aécio cheira ou não cheira.
Se permanece vivo o cara que vazou as fotos íntimas de Marcela Temer.
Se a mulher de Moro fatura o indevido.
Se a mulher de Cunha bota seus belos olhos grandes no alheio.
Se a mulher de Cabral devia estar presa.

 

 

 

 

13
Out17

SADISMO Cancellier encarcerado nu

Talis Andrade

BrasilErikadelegada.jpeg

Padres denunciam: PF negou direito de apoio espiritual ao reitor suicidado

 

Ao celebrar missa em homenagem ao reitor Luiz Carlos Cancellier, no Templo Ecumênico da UFSC, o padre William Barbosa Vianna fez uma denúncia espantosa: ele e outro religioso foram impedidos ao menos quatro vezes pela Polícia Federal de oferecer apoio ao reitor, que foi preso, algemado nu, submetido a exame interno vexatório e encarcerado sem processo judicial. Segundo o padre, a Polícia Federal também proibiu a Pastoral Carcerária de visitá-lo no dia da prisão, em 14 de setembro.

 

Em seguida, quando a prisão de Cao Cancellier foi relaxada, a juíza o manteve exilado da universidade e recolhido em reclusão domiciliar noturna, os padres novamente tentaram socorrê-lo, sabendo de seu abalo emocional, mas não obtiveram permissão para visitá-lo.

 

“É preciso lembrar que o direito à assistência religiosa é garantido pelo artigo V da Constituição”, afirmou William, assessor da Pastoral Universitária da UFSC, fazendo uma revelação que assombrou a própria família do reitor, levado ao suicídio por um espantoso processo de linchamento moral. Até então, sabia-se apenas que Cancellier estava privado do apoio de amigos, principalmente de pessoas de sua convivência na gestão da universidade. Leia mais 

 

Os torturadores da ditadura militar continuam em ação

paz justiça duas caras Mehdi Amini.jpg

Ilustração de Mehdi Amini 

 

 
O jornalista Kennedy Alencar publicou artigo criticando a postura de seis entidades de classe que representam setores que atuam na operação Ouvidos Moucos. Em nota, essas instituições disseram que a morte do reitor da UFSC, Luiz Carlos Concellier, foi uma "tragédia pessoal" que não deveria ser explorada por grupos que consideram o suicídio decorrência do abuso de autoridade.


"A reação de Cancellier foi a de alguém que se sentiu injustamente acusado e envergonhado pelo episódio ao qual foi submetido", disse Kennedy. "Melhor que as seis entidades tivessem ficado caladas. Elas deveriam usar esse caso para fazer uma autocrítica a respeito de eventuais abusos e linchamentos públicos. Realizam operações e dão entrevistas no dia seguinte fazendo um julgamento sumário dos acusados. Será que não valeria uma reflexão para saber se algum erro foi cometido?", disparou.
 
As entidades que assinam a nota formam a nata da alta burocracia do país e de Santa Catarina. São elas: a Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil), a ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República), a ADPF (Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal), a Ajufesc (Associação dos Juízes Federais de Santa Catarina), a Unacon (Sindicato Nacional dos Auditores e Técnicos Federais de Finanças e Controle) e o Fonacate (Fórum Nacional das Carreiras Típicas de Estado).

Se essas entidades realmente lamentam a morte do reitor, como escreveram, deveriam buscar descobrir quais foram os seus erros e não agir de forma arrogante, dizendo que há tentativa de manipulação da opinião pública.

Quando cometem abusos, dizem que os críticos defendem a corrupção. Quando defendem privilégios, como salários acima do teto constitucional, fazem campanha na TV dizendo-se perseguidas injustamente.

Esses funcionários públicos têm poder demais para usá-lo sem questionamentos da sociedade. Não gostam de controle externo, algo necessário numa democracia. A imprensa, que tem o dever de ser crítica do poder, de fiscalizar os políticos, deve ter a mesma atitude em relação a policiais, promotores e juízes. O jornalismo não pode ser correia de transmissão da polícia nem do Ministério Público e tampouco do Judiciário.

A morte de Cancellier é um símbolo do abuso e da arrogância desses supostos cavaleiros do combate à corrupção.
 

velha justiça.jpg

 

 

 
 
03
Out17

O suicídio do reitor e as denúncias relativas a período anterior

Talis Andrade

justiça sangue .jpg

 

Com o suicídio de Luiz Carlos Cancellier, reitor afastado da UFSC, "os atuais métodos da 'justiça' no Brasil, da PF e do MP podem ter feito sua primeira vítima fatal", disse Jair Fonseca.

 

Preso, posteriormente solto, e afastado das funções por decisão judicial, o reitor escreveu este texto:

 

Reitor exilado

 

por Luiz Carlos Cancellier

--------------------------------------

 

Não adotamos qualquer atitude para obstruir apuração da denúncia

 

A humilhação e o vexame a que fomos submetidos — eu e outros colegas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) — há uma semana não tem precedentes na história da instituição. No mesmo período em que fomos presos, levados ao complexo penitenciário, despidos de nossas vestes e encarcerados, paradoxalmente a universidade que comando desde maio de 2016 foi reconhecida como a sexta melhor instituição federal de ensino superior brasileira; avaliada com vários cursos de excelência em pós-graduação pela Capes e homenageada pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina. Nos últimos dias tivemos nossas vidas devassadas e nossa honra associada a uma “quadrilha”, acusada de desviar R$ 80 milhões. E impedidos, mesmo após libertados, de entrar na universidade.

 

Quando assumimos, em maio de 2016, para mandato de quatro anos, uma de nossas mensagens mais marcantes sempre foi a da harmonia, do diálogo, do reconhecimento das diferenças. Dizíamos a quem quisesse ouvir que, “na UFSC, tem diversidade!”. A primeira reação, portanto, ao ser conduzido de minha casa para a Polícia Federal, acusado de obstrução de uma investigação, foi de surpresa.

 

Ao longo de minha trajetória como estudante de Direito (graduação, mestrado e doutorado), depois docente, chefe do departamento, diretor do Centro de Ciências Jurídicas e, afortunadamente, reitor, sempre exerci minhas atividades tendo como princípio a mediação e a resolução de conflitos com respeito ao outro, levando a empatia ao limite extremo da compreensão e da tolerância. Portanto, ser conduzido nas condições em que ocorreu a prisão deixou-me ainda perplexo e amedrontado.

 

Para além das incontáveis manifestações de apoio, de amigos e de desconhecidos, e da união indissolúvel de uma equipe absolutamente solidária, conforta-me saber que a fragilidade das acusações que sobre mim pesam não subsiste à mínima capacidade de enxergar o que está por trás do equivocado processo que nos levou ao cárcere. Uma investigação interna que não nos ouviu; um processo baseado em depoimentos que não permitiram o contraditório e a ampla defesa; informações seletivas repassadas à PF; sonegação de informações fundamentais ao pleno entendimento do que se passava; e a atribuição, a uma gestão que recém completou um ano, de denúncias relativas a período anterior.

 

Não adotamos qualquer atitude para abafar ou obstruir a apuração da denúncia. Agimos, isso sim, como gestores responsáveis, sempre acompanhados pela Procuradoria da UFSC. Mantivemos, com frequência, contatos com representantes da Controladoria-Geral da União e do Tribunal de Contas da União. Estávamos no caminho certo, com orientação jurídica e administrativa. O reitor não toma nenhuma decisão de maneira isolada. Tudo é colegiado, ou seja, tem a participação de outros organismos. E reitero: a universidade sempre teve e vai continuar tendo todo interesse em esclarecer a questão.

 

De todo este episódio que ganhou repercussão nacional, a principal lição é que devemos ter mais orgulho ainda da UFSC. Ela é responsável por quase 100% do aprimoramento da indústria, dos serviços e do desenvolvimento do estado, em todas as regiões. Faz pesquisa de ponta, ensino de qualidade e extensão comprometida com a sociedade. É, tenho certeza, muito mais forte do qualquer outro acontecimento.

 

 

 

02
Out17

Para a direita mulher nua pode, homem não (quarta parte)

Talis Andrade

NEM TODA NUDEZ DEVE SER CASTIGADA

 

 

A imprensa direitista da Venezuela jamais reclamou das fotos da mulher do presidente da França nua. Nem os franceses. Carla Bruni tinha mais popularidade que o marido, François Sarcozy, que perdeu a reeleição para François Hollande.

 

sarcozy. carla bruni.jpg Carla Bruni

 

Recentemente apareceu na internert uma foto de Angela Merkel quando jovem. O pintor berlinense pernambucano Duch (classificou de suposta foto) disse que se tornou comum, durante a Alemanha comunista, as jovens despirem o vestido. Como catarse contra a dureza do regime. Era uma maneira de respirar o ar da liberdade.

 

merkel-nua..jpgAngela Merkel


A imprensa oposicionista da Venezuela protesta contra a nomeação de Alejandra Benítez como ministra dos Esportes. Como se toda nudez merecesse ser castigada.

 

venezuela-esgrima. alejandra Benítez.jpg

Alejandra Benítez

 

 

Publiquei este artigo em 29 de abril de 2013. Nada mais atual, diante da estigmatização da nudez pelo nazi-fascista MBL, criado para derrubar a primeira presidenta do Brasil. [Vide seleta sobre política e sexo

 

 

 

02
Out17

Para a direita mulher nua pode, homem não (terceira parte)

Talis Andrade

 

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO


O Museu Arte de Moderna de São Paulo informa que a performance 'La Bête', que está sendo questionada em páginas no Facebook, foi realizada na abertura da Mostra Panorama da Arte Brasileira, em apresentação única.


A sala estava devidamente sinalizada sobre o teor da apresentação, incluindo a nudez artística, seguindo o procedimento regularmente adotado pela instituição de informar os visitantes quanto a temas sensíveis.


O trabalho apresentado na ocasião não tem conteúdo erótico e trata-se de uma leitura interpretativa da obra Bicho, de Lygia Clark, historicamente reconhecida pelas suas proposições artísticas interativas.

 

Lygia.jpg

 Lídia nasceu em Belo Horizonte e faleceu no Rio Janeiro em 1988, aos 67 anos. Dois dos seus quadros foram leiloados por 7,5 milhões em 2013, preços récordes no Brasil  


Importante ressaltar que o material apresentado nas plataformas digitais não apresenta este contexto e não informa que a criança que aparece no vídeo estava acompanhada e supervisionada por sua mãe. As referências à inadequação da situação são resultado de desinformação, deturpação do contexto e do significado da obra.


O MAM reafirma que dedica especial atenção à orientação do público quanto ao teor de suas iniciativas, apontando com clareza eventuais temas sensíveis em exposição.


O Museu lamenta as interpretações açodadas e manifestações de ódio e de intimidação à liberdade de expressão que rapidamente se espalharam pelas redes sociais.


A instituição acredita no diálogo e no debate plural como modo de convivência no ambiente democrático, desde que pautados pela racionalidade e a correta compreensão dos fatos.

 

--

Nota deste CORRESPONDENTE: As "manifestações de ódio" foram provocadas pelo MBL, um movimento nazi-fascista financiado por agências de espionagem internacionais, empresários que exploram as riquezas do Brasil e banqueiros. Conservadores que financiaram o golpe para derrubar Dilma Rousseff.

 

São terroristas liderados pelo ex-militar Bolsonaro e filhos também deputados, prefeito Dória de São Paulo, quadrilhão da Câmara dos Deputados e a Fiesp que financiou o golpe contra Jango em 1964.

 

 

 

02
Out17

Para a direita mulher nua pode, homem não (segunda parte)

Talis Andrade

“Isaías, tira a roupa feia de profeta que usas e passa os próximos três anos andando nu”— foi a ordem do Absoluto. De Deus.


Por três anos Isaías passou a ser um atentado ao pudor e dele faziam pouco caso os conservadores do MBL da época.

 

Isaías era desprezado e odiado por denunciar o comportamento dos ricos e latifundiários, dos que vivem em grandes festas custeadas pelo trabalho dos pobres, dos que exploram o povo negando-lhe a justiça e dos que se fazem grandes e importantes vivendo em grandes banquetes (5:8-24).

 

Ai daqueles que juntam casa com casa e emendam campo a campo, até que não sobre mais espaço e sejam os únicos a habitarem no meio do país. (5:8)

 

Pode-se afirmar que Isaías é o profeta que mais fala sobre a vinda do Messias, descrevendo-o ao mesmo tempo como um "servo sofredor" que morreria pelos pecados da humanidade:

 

"Mas Ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e, pelas suas pisaduras, fomos sarados". (Is 53:5)

 

Cellini_cristo..jpg

Crucifix, in Monasterio de San Lorenzo, El Escorial, por Benvenuto Cellini, 1562 

 

No meu poema O Crucificado, rezo:

 

Agora entendo, Senhor,
a imensa e eterna solidão
de quem está preso
à árvore da desolação.
Agora entendo
o terror dos pregos
fixando os teus pés
de andarilho,
o terror dos pregos
lancinando a carne.
Agora entendo o ultraje
de cobrirem tua nudez
com um manto escarlate,
ornamento e cor
privativos dos césares
nas reuniões solenes.
Agora entendo
a humilhação, a dor
dos espinhos ferindo
tua fronte
que não faz sete dias
quiseram coroar.

 

Transcrevi trechos. Leia mais 

 

Escreve padre Otoniel Palácio: Após ter defendido, durante algum tempo, a tese de que Jesus foi crucificado vestido do "subligaculum", não pude deixar de considerar a opinião de todos os antigos escritores da Igreja. Todos falam de "nudus, nudita, gymnos, gymnesthai - nu, nudez, nu, ser desnudado". O grande pregador João Crisóstomo, por exemplo, escreve: " Ele foi conduzido nu à morte - epi to pathos efeto gymnos ", e "eistekeigymnos eis meso ton ochlon ekeinos - ficou nu no meio daquela multidão". Encontrei também um texto de Efrem, o Sírio, (Sermão VI sobre a Semana Santa) em que ele diz que o Sol se escondeu diante da nudez de Jesus. Em outra passagem escreve ele: " A luz dos astros se obscureceu porque fora completamente despido Aquele que veste todas as coisas". Eis aqui, finalmente, uma afirmação ainda mais conclusiva de JOão Crisóstomo. Ele diz que Jesus, antes de subir à cruz, despojou-se do velho homem tão facilmente como de suas vestimentas, e acrescenta: "Agora está ungido como os atletas que vão entrar no estádio" ( Homilia sobre a Epístola aos Colossenses ). Leia mais 

 

 

 

 

01
Out17

Para a direita mulher nua pode, homem não (primeira parte)

Talis Andrade

16 LEONARDO DA VINCI ST JOHN THE BAPTIST.jpg

 São João Batista por Leonardo da Vinci

 

 

Escrevi poemas sobre


1. O rei David saiu dançando nu pelas ruas de Jerusalém para ser coroado rei.


2. São Francisco, na igreja lotada de piedosos cristãos, tirou as luxuosas vestes de seda e ficou nu.


3. São Batista andava praticamente nu.


4. Quantos brasileiros se despem para as 500 mil prostitutas infantis que vendem o corpo de oito a dez vezes por dia?

 

Poemas espalhados por treze livros que publiquei, e se for fácil encontrá-los transcreverei aqui n'O Correspondente.

 

Poemas que ninguém leu, porque cada livro teve tiragem de 22 exemplares (edições do autor sem dinheiro e que, por orgulho besta, não aceita patrocínio de governos).

 

Giotto_-_Legend_of_St_Francis_-_-05-_-_Renunciatio

 São Francisco, despojamento das vestes, por Giotto 

 

 

O Brasil de abestalhados não discute salário, fome, doenças do Terceiro Mundo, moradias em áreas de risco, o bíblico descanso do domingo, o tempo dos pais para cuidar das crias, a estabilidade no emprego cassada pela ditadura militar de 1964, tortura nunca mais, diretas já, independência ou morte, o entreguismo da Amazônia pelo preconceituoso e racista general Mourão, o golpe de Temer comprado pelo quadrilhão da Câmara dos Deputados e pela Fiesp, a venda de indulgências pelas igrejas evangélicas, o retorno da TFP, a dinheirama do MBL e outros temas censurados pela grande imprensa.  

 

Do Brasil a diversionista pesquisa de quem ganha as eleições em 2018, a improvável pedofilia da nudez em uma exposição do MAM, esquecendo a tradição do incesto que não é crime, a cultura ampla, geral e irrestrita do estupro, motivando suicídios de crianças e adolescentes, prática de um patriarcalismo responsável pela violência contra as mulheres e hediondos assassinatos feminicidas. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D