Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CORRESPONDENTE

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

O CORRESPONDENTE

03
Jul22

Adele grita "Fora Bolsonaro" durante show em Londres; assista

Talis Andrade

 (crédito: Niklas HALLE'N / AFP)

(crédito: Niklas HALLE'N / AFP)

 

Nas redes sociais, o momento foi celebrado pelos fãs brasileiros

 

por Talita de Souza /Correio Braziliense
 
 

Durante um show em Londres na tarde desta sexta-feira (1º/7), a cantora britânica Adele fez uma manifestação política contra o governo brasileiro durante uma apresentação para milhares de pessoas no Hyde Park. Em uma transmissão ao vivo veiculada por um participante do evento na plataforma TikTok, é possível ouvir a cantora gritar “Fora Bolsonaro”, após um fã que estava na plateia pedir para a artista repetir a frase. Veja:

No registro, capturado por fãs brasileiros na transmissão do usuário @beachlawyerpaul no TikTok, a cantora interage com a plateia e estende o microfone para um fã, que fala a frase. Em seguida, ela repete o grito criado por grupos opositores ao presidente Jair Bolsonaro (PL) e é aplaudida por uma parcela da plateia. 

Nas redes sociais, o momento foi celebrado pelos fãs brasileiros que são contrários ao governo. “Eu te amo, Adele. Ninguém aguenta mais essa praga. #ForaBolsonaro”, escreveu um perfil no Twitter. “Show da Adele no Hyde Park. Que mulher perfeita, que show! E para coroar, ela grita FORA BOLSONARO! Musa, diva!”, acrescentou uma fã.

O show de Adele no Hyde Park é um dos primeiros grandes eventos da cantora após lançar o último álbum, 30, em novembro do ano passado. As apresentações ocorrem na sexta e no sábado (2/7) e contam com participações de outras artistas, todas mulheres, o que representa “um projeto todo feminino”, de acordo com Adele.

 
13
Nov19

Brasileiros que idolatram Bolsonaro comandam rede de prostituição e tráfico humano em Londres

Talis Andrade

Família brasileira é presa por comandar império de prostituição e drogas em Londres. Na internet eles colecionavam elogios por ostentar Rolls Royce, Ferrari e Lamborghini. E criticavam a corrupção no Brasil com postagens antipetistas e lavajatistas. “Os corruptos piram”, diziam

prostitos cafetões .png

Bandido Raul Sacchi fez campanha para Bolsonaro

 

Kiko Nogueira, DCM

A BCC deu matéria sobre uma gangue familiar presa em Londres por comandar uma ‘império’ que compreendia bordéis, prostituição e drogas.

Nas redes sociais eles colecionavam elogios de parentes, amigos e curiosos por ostentar com jetskis, um Rolls Royce, uma Ferrari e uma Lamborghini.

Numa das cidades mais caras do mundo, criticavam a corrupção no Brasil com postagens antipetistas e lavajatistas. “Os corruptos piram”, diziam.

O que a BBC não fala é quem era o ídolo dos bandidos: Jair Bolsonaro, claro. No Facebook do trio, o mito é onipresente.

O casal de paulistas Flavia Xavier-Sacchi (23) e Renato Dimitrov Sacchi (43), e o irmão dele, Raul Sacchi (49), foram condenados e presos.

Flavia e Renato confessaram a culpa e pegaram 8 anos de prisão. Raul pegou 9 anos e dois meses de cana. A quadrilha empregava pelo menos outros cinco brasileiros e faturava milhões de libras por ano, segundo a Scotland Yard, que trabalhou por mais de um ano com agentes infiltrados à paisana no esquema, descrito como "uma rede sofisticada de prostíbulos, pelos quais vendiam drogas e controlavam prostitutas, gerando lucros acima de um milhão de libras" - ou mais de cinco milhões de reais - por ano.

Toda a investigação começou a partir da denúncia de uma jovem brasileira, que procurou a polícia em abril de 2017.
A mulher, cuja identidade foi preservada, contou que foi forçada a trabalhar nos bordéis da quadrilha durante dois meses e que os brasileiros diziam que matariam a família dela no Brasil, caso ela tentasse deixar a prostituição. Com ajuda de autoridades britânicas, ela conseguiu fugir - a polícia, por sua vez, começou a visitar os bordéis e flagrar funcionários vendendo drogas, especialmente cocaína.

raul1.jpg

Casal Flávia-Renato Sacchi e Raul Sachi

 

As batidas policiais continuaram e outros quatro brasileiros - Maria Carvalho, Tony Simão, Henim Almeida e Anna Paula De Almeida Prudente - foram presos por participação no esquema.

A família Sacchi foi presa em 7 meses antes do julgamento, em fevereiro deste ano. Na casa de Renato e Flavia, a polícia encontrou £ 50 mil libras (ou mais de R$ 250 mil) em dinheiro, dois tasers e uma lata de gás de pimenta - os artefatos eram usados, junto a bastões de beisebol, na segurança dos prostíbulos.

Em aparelhos de telefone confiscados, os investigadores encontraram uma série de trocas de mensagens pelo WhatsApp em que os réus discutiam métodos de segurança e detalhes sobre a operação dos bordéis. Em um dos grupos, Raul Sacchi escreveu: "Não existe isso de garotas cansadas. Elas estão ali para trabalhar."

Em 1 de abril de 2018 escreveu Renato Sacchi: "PT a maior organização criminosa do mundo"; em 5 de setembro de 2018 confessou: Ä certeza que fiz a escolha certa só aumenta. #Eu voto Bolsonaro 17". Confira aqui

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub