Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CORRESPONDENTE

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

O CORRESPONDENTE

05
Abr22

Lewandowski permite que defesa de Lula use mensagens de Deltan em ação

Talis Andrade

dallagnol doudo por jaba no ceará .jpeg

CONTRA O FEITICEIRO

 

por Consultor Jurídico

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, atendeu nesta segunda-feira (4/4) a pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que sejam feitas cópias de mensagens atribuídas ao ex-procurador Deltan Dallagnol para fundamentar ação indenizatória que o petista ajuizou contra ele por causa da famosa "coletiva do PowerPoint". Essas mensagens foram obtidas por hackers e posteriormente apreendidas pela Polícia Federal no curso da apelidada operação "spoofing".

"Tratando-se de documentos públicos, nada impede a extração de cópias, por parte do reclamante, dos elementos de convicção aqui contidos e que possam, eventualmente, subsidiar outras ações nas quais figure como parte", escreveu o ministro ao acolher pedido da defesa de Lula.

Na decisão, Lewandowski lembrou que já deferiu pedidos semelhantes ao da defesa do ex-presidente após solicitações feitas pelo Conselho Federal da OAB, pelo TCU, pelo STJ, pela Receita Federal e pela Controladoria-Geral da União.

No pedido, a defesa de Lula — feita pelos advogados Cristiano Zanin e Valeska Martins — sustenta que encontraram mensagens "mostram inequivocamente que o ex-procurador da República Deltan Dallagnol tinha plena ciência de que havia cometido um ato ilegal contra o reclamante (Lula) ao apresentar o famigerado 'PowerPoint'".

No último dia 22, a 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça deu provimento ao recurso especial do ex-presidente para condenar Deltan Dallagnol a indenizá-lo pelos danos morais causados na entrevista, na qual divulgou denúncia oferecida pela extinta "lava jato" contra o petista.

O resultado na 4ª Turma foi alcançado por maioria de votos, conforme a posição do relator, ministro Luis Felipe Salomão. Ele foi acompanhado pelos ministros Raul Araújo, Antonio Carlos Ferreira e Marco Buzzi.

Ficou vencida a ministra Isabel Gallotti, para quem a ação de Lula só poderia ser ajuizada contra a União, já que Deltan teria cometido os abusos no exercício de sua função pública de procurador-geral da República.

Deltan mostrou indignação com a condenação. Após seguidas manifestações de desapreço ao Poder Judiciário, o agora político diz que foi beneficiado por uma avalanche de doações espontâneas. A chave Pix do procurador foi divulgada e ele afirmou que já arrecadou R$ 500 mil. "O valor de R$ 500 mil é mais do que suficiente para cobrir o valor da indenização a Lula, caso eu não consiga derrubar a decisão", comemorou o provável candidato a deputado federal.

 

O famoso Power PointLula lembra do aniversário do PowerPoint de Dallagnol: "19 vitórias na  Justiça"

Procurador foi condenado a indenizar Lula em R$ 75 mil por espetáculo do PowerPoint

 

O caso que gerou a ação ocorreu em 2016, quando a "lava jato" curitibana reuniu a imprensa em um hotel da capital paranaense para apresentar a denúncia que seria oferecida contra o petista pelo caso do tríplex do Guarujá. [Quem pagou o hotel e os cafezinhos e água mineral e licores?]

Foi o processo que levou à condenação de Lula em 2017 e o tirou da corrida eleitoral no ano seguinte. Essa decisão foi derrubada pelo Supremo Tribunal Federal, que reconheceu a incompetência da 13ª Vara Federal de Curitiba para julgar a ação. Em 2021, o Ministério Público Federal reconheceu a prescrição.

Na ocasião, Deltan preparou apresentação em Power Point com slide que se tornou notório, no qual ligava várias palavras à figura de Lula para justificar a ação penal. Ele chamou o ex-presidente de "comandante máximo do esquema de corrupção" e de "maestro da organização criminosa". E ainda fez menção a fatos que não constavam da denúncia: afirmou que a análise da "lava jato", aliada ao caso do "mensalão", apontaria para Lula como comandante dos esquemas criminosos. O "mensalão" foi julgado pelo STF na Ação Penal 470 e não contou com o petista como réu

O deputado , que eternizou o “juiz ladrão” para Sergio Moro, chamou Dallagnol de “bandeirinha ladrão”. E desenhou.

ImageImage

ImageImage

jefferson dallagnol.jpg

 

 

02
Fev22

Gilmar Machado: "Brasil é uma mãe que abraça todo mundo"

Talis Andrade

Tráfico de órgãos e linchamento de Moïse Kabagambe

brasil mae.jpeg

 
 
Lázaro Ramos
Não, não é normal. #JusticapormoiseImage
 
Wesley Teixeira
Moramos em um país onde um homem negro e refugiado pode ser espancado até a morte, ter seus órgãos arrancados e nada acontecer com os responsáveis. O motivo dessa crueldade? Moise foi apenas cobrar o seu salário que estava atrasado. Que país é esse?

tráfico de orgãos 8.jpg

 
Carolina Cacau
Trabalhadores do bandejão da USP em greve se levantam por #justicaparaMoiseImage
James Fricke
O "braZil-Zil-Zil" milico-miliciano-gloBBBOçal do MERCADO é um grande quiosque TROPICÁLIA...
Distopia Brazil
O Brasil desgovernado pela Milícia é a pior das Distopias!Image
Quiosque Tropicália contribuinte protegido da Milícia da Barra da Tijuca
 
Nah 
@nahrivelli
Sobre o caso Moise Mugenyi: Ontem a noite a embaixada da República Democrática do Congo soltou uma nota. Dizia que já era o quinto congolês morto em curto período no Brasil, e que se não houver respostas vamos encerrar as atividades mineradoras do Brasil no solo da RDC.Image
Elena Wesley
Replying to
Fora os que não morreram, mas foram agredidos e até hoje não obtivemos resposta nem justiça.
 

Depois de ser brutalmente agredido por homens armados na Canteira, em São Domingos, estudante congolês da Universidade Federal Fluminense (UFF), diz não ter condições psicológicas para continuar cursando engenharia na universidade e pretende voltar para a casa dos pais no Congo. O estudante que tinha passado na UFF e UFRJ optou pela faculdade em Niterói acreditando ser mais tranquila em relação a capital fluminense.

“Ainda não estou pronto para retomar a minha vida e voltar às aulas, já que estudo próximo à Cantareira, e a região está cada vez mais perigosa para os estudantes. Antes de vir para o Rio de Janeiro, ouvia histórias sobre a violência no Estado, mas não imaginava que seria uma vítima de um crime tão cruel. Me sinto muito traumatizado, porque sempre andei pelas ruas com muita cautela e, mesmo assim, fui covardemente agredido”, disse o jovem, que acredita ter sido vítima de racismo como tantos outros jovens negros do Rio.

“Fui espancado e até ameaçado de morte, por um grupo de homens que estava à procura de uma pessoa negra. Nunca imaginei passar por isso no Brasil, sobretudo porque o país é um dos maiores berços da miscigenação étnica. É triste perceber que as pessoas ainda associam o negro a um bandido. Me sinto revoltado com toda essa situação, porque sei que a cor da minha pele fez com que eu fosse vítima de toda essa violência”, disse.

O caso desse estudante da UFF é mais um entre tantos outros que fazem escancarar o racismo no país, quando muitas das vezes legitimado por uma polícia e Estado que assassina jovens negros todos os dias pelos morros cariocas.

Nah 
@nahrivelli
Para todos aqueles que se mobilizaram pelo caso do jovem congolês, Moise Mugenyi: No sábado, dia 05, haverá uma manifestação em frente ao quiosque Tropicalia, posto 8, na praia da Barra da Tijuca Ás 10h O protesto tá sendo organizado pela família e comunidade congolesa.
Image
@ninthoddsmelI
tw black death racism antiblackness racismo / #JusticaPorMoise
abocadelobo 
O que há de pior no Brasil e que existe desde sempre ficou mais forte do que nunca em 2018. O repúdio coletivo assassinato brutal de Moise é o repúdio ao racismo, é o repúdio às milícias, é o repúdio ao bolsonarismo! É URGENTE UMA GRANDE MOBILIZAÇÃO!
Image

Imageتويتر \ Mídia NINJA على تويتر: "Nunca foi tão óbvio o motivo de Bolsonaro  para interferir nas chefias da Polícia Federal. Não conseguiu nomear  Ramagem, mas seu plano B segue o comando
A milícia | Humor Político – Rir pra não chorar
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub