Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

16
Out20

FUP, FNP e Aepet viraram reféns da Lava Jato e da Greenfield!

Talis Andrade

Vitor_Teixeira moro demolidor .jpg

 

 

por Emanuel Cancella

- - -

Numa clara ameaça para impedir o lançamento de meu livro “A outra Face de Sergio Moro – Acobertando os Tucanos E entregando a Petrobrás”, em 2016, intimaram-me, via MPF, a pedido do juiz Sergio Moro (1).

Na época, mais dois blogueiros foram intimados pelo juiz Sergio Moro: Eduardo Guimarães e  Roberto Ponciano (2).

Em 2016, a Lava Jato, chefiada pelo juiz Sergio Moro era praticamente uma unanimidade.

 Recebi mais duas intimações da parte de Sergio Moro, mas não me calei! Depois, graças a Deus, apareceu o The intercepet Brasil que, na verdade, foi quem desconstituiu a imagem de Sergio Moro e Deltan Dallagnol, os chefes da Lava Jato

 As denúncias do Intercept, inclusive provadas com áudios, foram tão graves que levou o Conselho Nacional da OAB, por unanimidade, a pedir o afastamento de Sergio Moro e Dallagnol de cargos públicos para que tivessem um julgamento justo e não usassem a máquina pública em beneficio próprio (7). Mas ambos, Moro e Dallagnol, não acataram a orientação da OAB e continuaram a conspirar contra a Petrobrás e o Brasil.

   Em 2020, a Justiça me propôs um acordo judicial com Moro na “Movimentação do Processo  0178170 - 29. 2017.4.02. 5101 se existe a possibilidade de celebração do Acordo de Não Persecução Penal, previsto no artigo 28-A do Código de Processo Penal”. 

Eu, correndo risco de ser condenado em crime contra a honra, no caso de calúnia, não celebrei esse acordo o que significava que, a partir de então, seriam cessados os processos de intimação e eu me silenciaria sobre Sergio Moro e Lava Jato.

Tendo em vista essa minha experiência pessoal, creio que a FUP, FNP e Aepet quando, dentro do Grupo Petros, pactuaram no acordo do PED - Plano de Equacionamento de Deficit e provavelmente celebraram o pacto do silêncio mútuo e assim viraram uma espécie de reféns das operações Lava Jato e Greenfield. 

Vale lembrar que pelo PED, dezenas de milhares de petroleiros, ativos e aposentados, são obrigados a pagar, de forma vitalícia, 13% de seus salários, por um rombo que ocorreu na Petros. Sendo que esses petroleiros nunca foram gestores da Petros! 

Creio que, com minha atuação enquanto funcionário da Petrobrás e sindicalista, consegui ajudar a mostrar a outra face de Sergio Moro, o que me custou muito caro e continua a me penalizar.

 Agora, infelizmente novamente praticamente sozinho, quero mostrar à sociedade e aos petroleiros que a Lava Jato e a Greenfield,   em nome do combate à corrupção, constituem- se num cavalo de troia que vieram, na verdade, somente para entregar aos bancos privados o patrimônio dos fundos de pensão, um dos maiores do estado brasileiro que inclui a Petros, sendo que  a maior parte desse patrimônio é dos trabalhadores!  

Mas o mais grave é querem tirar do mercado de aposentadorias complementares os fundos de pensão das estatais e entregá-lo exclusivamente aos bancos privados. 

Lembrando que os fundos de pensão foram impostos pela ditadura militar, ou seja, não foram uma opção dos trabalhadores, pois, com certeza, que os trabalhadores, através de seus sindicatos, iriam optar pela Previdência Pública e Universal. 

Mas nem por isso deixamos de elogiar a Petros que, durante os seus 50 anos de existência, pagou em dia e ininterruptamente aposentadorias e pensões, e ainda constituiu um gigantesco instrumento de fomento da nossa economia. Com isso não quero dizer que não exista corrupção na Petros e muito menos dizer que não deva ser combatida. 

Mas veja como a Greenfield  disse combater a corrupção nos fundos de pensão Petros, Funcef, Previ e Valia denunciando 29 gestores desses fundos de pensão por gestão temerária (3)?

Essa denúncia se deu em torno de vultosos investimentos na empresa Sete Brasil, que fabricaria sondas de perfuração para a Petrobrás, mas especificamente para o pré-sal. Creio que este seria, no Brasil, um dos negócios mais lucrativos do mundo principalmente considerando que o pré-sal é a maior descoberta petrolífera do planeta e já reponde por 70% da produção nacional de petroleo (4). E o cancelamento das encomendas da Petrobrás com a Sete Brasil com certeza acarretou numa grande baixa nos investimentos da Petros e rombo no fundo de pensão.

Mas sabe qual foi o resultado dessa investigação da Lava Jato, em parceria com a Greenfield, em nome do combate à corrupção?

Pois tanto as sondas de perfuração, como navios e plataformas, passaram assim a serem fabricadas no exterior, gerando investimentos gigantescos, arrecadação monstro de impostos e empregos de qualidade e renda. Só que para os gringos! Não seria mais fácil prender e afastar os corruptos e manter os investimentos e os empregos no Brasil? Lembrando que pela lei do governo Lula, de Partilha, 12.351/10 a ampla maioria da industria naval deva ser construída no Brasil.

 Continuando a beneficiar os americanos e aliados, a Lava Jato, além de destruir a indústria naval brasileira (5), cancelou a construção das duas refinarias do Nordeste, as do Ceará e Maranhão (6). Essas refinarias nos dariam a autossuficiência no refino de gasolina, diesel, entre outros derivados, e ainda um excedente para exportação, gerando caixa para União.   Essas duas refinarias gerariam mais emprego na Petrobrás e também receita para o fundo de pensão Petros.

 Tal a importância das refinarias, que denúncia da Aepet mostra que, em 12 meses, o Brasil pagou aos EUA, R$ 25 BI em importação de gasolina e diesel (8).   E Bolsonaro ainda vai entregar metade das refinarias da Petrobrás!

 Com isso vamos dar mais dinheiro aos EUA, na importação de gasolina e diesel; demitir operadores e diminuir salários, como fez na BR Distribuidora, e ainda gerando mais déficit para a Petros (9,10). 

Não coloco em dúvida a idoneidade e a combatividade dos companheiros da FUP, FNP e Aepet, muito pelo contrário, eles são meus ícones e minha mais importante referência! Alguém diria: mas as assembléias da categoria aprovaram o PED; aprovaram por que Fup e a Fnp indicaram a aceitação!

 Mas cobrar rombo da Petros de trabalhadores que só fizeram pagar no contracheque a Petros, como no meu caso, por 42 anos, sem nunca terem sido gestores do Fundo e ainda levarmos a pecha de corrupto é inaceitável

Fonte: 1 - https://www.brasildefato.com.br/2016/12/12/moro-nao-aceita-criticas-a-lava-jato-e-tenta-intimidar-petroleiro#.X4hRt2cb4D4.whatsapp

2 - https://sinttelrio.org.br/2017/04/11/entrevista-roberto-ponciano-e-intimado-por-criticar-conduta-de-sergio-moro/

3 - https://g1.globo.com/politica/noticia/2020/01/09/operacao-greenfield-denuncia-29-ex-gestores-de-fundos-de-pensao-por-gestao-temeraria.ghtml

4 - https://exame.com/negocios/pre-sal-ja-responde-por-70-da-producao-de-petroleo-no-brasil/

5 - https://www.ocafezinho.com/2017/04/03/lava-jato-destruiu-industria-naval-brasileira/

6 - https://www.camara.leg.br/noticias/453909-petrobras-cancelou-refinarias-porque-denuncias-da-lava-jato-dificultaram-credito/

7 - https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,oab-recomenda-por-unanimidade-afastamento-de-moro-e-deltan,70002864190

8 - https://www.aepet.org.br/w3/index.php/conteudo-geral/item/3475-brasil-gastou-r-25-bi-com-importacao-de-gasolina-e-diesel-dos-eua-nos-ultimos-12-meses

9 - https://www.istoedinheiro.com.br/bolsonaro-parabeniza-stf-por-liberar-venda-de-refinarias-da-petrobras/

10 - https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2019/11/br-distribuidora-pressiona-funcionarios-a-aderir-a-pdv-sem-dizer-qual-salario-terao-apos-cortes.shtml 

 

07
Ago20

“Salvar a economia” foi discurso na pandemia. Mas por que não foi na Lava Jato?

Talis Andrade

vitor-teixeira moro lava jato demolidor .jpg

 

 

por Juliane Furno

- - -

Recentemente ouvi o economista Eduardo Moreira fazer esta pergunta em relação à reação conservadora ante as políticas de isolamento social contra a pandemia e resolvi tentar respondê-la, aproveitando o ensejo sugerido pelos acontecimentos recentes, após novos vazamentos do The Intercept a respeito da cooperação entre o FBI e procuradores do Ministério Público Federal (MPF) do Paraná e a atual disputa entre a força tarefa da Lava Jato e a Procuradoria Geral da República (PGR).

Que a operação Lava Jato, do ponto de vista jurídico, atuou relativizando diversas garantias constitucionais e como um Partido político, parece ter ficado bastante explicitado – principalmente após os últimos vazamentos de mensagens. O agora ex-juiz Sérgio Moro não apenas investigava, bem como orientava Procuradores da Repúblicas sobre como proceder nos casos de investigações de Operação da qual ele próprio figurava como juiz.

No entanto, um tema pouco trazido à baila parece ser que a operação Lava Jato não apenas cumpriu sua missão de criminalizar o PT, como foi cirúrgica no desmonte de um importante setor da economia brasileira. 

Da forma como foi conduzida a operação, fica perceptível que o interesse da “República de Curitiba” não era acabar com a corrupção, senão que destruir um dos nossos maiores patrimônios, que é a Petrobras e toda a cadeia produtiva de empresas nacionais a ela relacionada.

Neste caso, para os conservadores que bradam contra o isolamento social, evocando “a defesa da economia, empresas e empregos” não valeu a máxima “primeiro precisamos salvar a economia”.

Sob a denúncia de que os totais extirpados da Petrobras nos diversos esquemas de corrupção somavam os vultuosos R$ 6 bilhões, operou-se uma paralisia que retirou da economia, segundo dados, nada menos que R$ 146 bilhões entre 2014 e 2015. Do ponto de vista da contração do emprego não foi diferente. Neste mesmo período, o setor da Construção pesada dispensou um milhão de trabalhadores diretos, resultado da paralisia das atividades, principalmente, dos setores metalomecânico, naval, construção civil e engenharia pesada.

Os dados dessa tabela, considerando apenas os trabalhadores diretamente vinculados a produção industrial e de serviços de engenharia entre as empresas fornecedoras da Petrobras dá a tônica do escândalo. Entre 2014 e 2016, enquanto o desemprego elevou-se 6% no Brasil, o desemprego entre trabalhadores da produção de empresas fornecedoras da Petrobras despencou 31%.

Aos trabalhadores contratados diretamente na atividade industrial e de serviço especializado estão relacionados, pelo menos, mais uma diversidade de trabalhadores, alocados nas atividades de apoio, como secretários, contadores, faxineiros entre outros.

Assim, aos dirigentes da operação, bem como aos setores que acriticamente a apoiavam, pouco importava que os impactos econômicos e sociais da desastrosa ação anticorrupção fossem muito mais danosos aos cofres públicos do que a parcela alienada em contratos superfaturados. Valia qualquer coisa para retirar o Partido dos Trabalhadores da arena política e “combater a corrupção”. Ao não separar a Pessoa Física da Pessoa Jurídica, buscou-se “combater a corrupção” sem levar em consideração a função social da empresa e sua preservação, no transcorrer de investigação criminal que a envolvesse.

O resultado da criminalização e do punitivismo com que foi levada adiante a operação Lava Jato – à revelia das garantias legais do processo penal e com apoio de setores da mídia – nos logrou como herança a destruição do mercado nacional de infraestrutura e a abertura de condições plena a sua internacionalização. Bom negócio para outras empresas concorrentes, que por coincidência, são de residentes do país que se descobriu amalgamado e relações indecentes com os nossos procuradores.

Assim, a Lava Jato, além de servir como sustentação política ao processo de criminalização do PT e inviabilização do seu principal candidato por meio da instrumentalização da Justiça, também operou como preposto aos interesses estadunidenses e de suas empresas, atuando para destruir um dos pilares do desenvolvimento econômico brasileiro recente e dos poucos setores não primarizados onde detínhamos níveis de competitividade internacional.

Não funcionou o “salvar a economia” na Lava Jato justamente porque o que estava por trás da operação era o esfacelamento do nosso parque produtivo local e de um projeto soberano e nacional de desenvolvimento. A operação Lava Jato foi uma resposta a uma política exitosa de condução soberana do setor de petróleo e gás. Foi uma resposta à atuação, inclusive internacional, das construtoras brasileiras e uma resposta – tipicamente assentada no imperialismo yankee – de “cortar” as assas de governos que ultrapassam a tênue linha da autodeterminação nacional.

Na pandemia, o argumento "em defesa da economia", no entanto, serviu a toda espécie de reacionarismo e obscurantismo que em última instância servem, como sempre, a obstrução do nosso desenvolvimento. Na medida em que por meio dele se negou a gravidade do problema e a necessidade do Estado intervir, para salvar empregos e empresas, como deveria ter feito aliás, ao tempo da ilegal e desastrosa operação.

demolidor petrobras.jpg

 

09
Jul20

Lula: hoje está provado o envolvimento do FBI na Lava Jato, que destruiu empresas brasileiras

Talis Andrade

 

v-teixeira lula getúlio.png

 

247 - O ex-presidente Lula concedeu entrevista à Rádio Gaúcha nesta quinta-feira (8) e expôs que a Lava Jato "legalizou a corrupção" e protegeu delatores, cumprindo uma agenda que atendeu interesses econômicos e geopolíticos dos Estados Unidos, como foi demonstrado pela Agência Pública e pelo portal The Intercep.

“A Lava Jato poderia ter sido um grande instrumento de combate à corrupção”, afirmou Lula. No entanto, ele destacou que “o problema é que eles transformaram a Lava Jato em um partido político”. 

“Pesquisem como vivem hoje os delatores. O que eles fizeram foi legalizar a corrupção. Quebraram as empresas e ao invés de punirem os donos, puniram os trabalhadores”, acrescentou o ex-presidente. 

Lula também ressaltou na entrevista que “a ideia de fazer esse processo todo surgiu nos EUA”. “A quem interessava destruir a indústria naval? Hoje está provado o envolvimento do FBI”, condenou ele. 

Ele também apontou que o procurador da República Deltan Dallagnol e o ex-juiz Sergio Moro “são mentirosos”.  “Quero provar que Moro é mentiroso, foi falso, mentiu o tempo inteiro. Ele foi cabo eleitoral, não foi juiz. Continua mentindo até hoje”. 

O ex-presidente também abordou a manipulação da mídia corporativa e usou o senador José Serra (PSDB-SP) como exemplo. “O caso envolvendo o Serra apareceu um dia na imprensa e depois desapareceu. Vocês perceberam? Se é o Lula... Ah, bota pelo menos três meses aí”, disse ele. 

“Eu tenho mais de 400 horas de Jornal Nacional contra mim. E se pesquisar o Moro tem 400 horas a favor. Basta ver que a Globo só citou duas matérias do Intercept, e para se explicar porque foi citada”, expôs Lula. 

Lula concluiu dizendo que “não quer vingança”. “Quero Justiça. Por isso nós entramos com um pedido de anulação do processo do Moro na Suprema Corte”. 

05
Jul20

Moro é a farsa como ato de fé e o ex-andor de um governo fracassado

Talis Andrade

 

moro inquisição.jpeg

por Davis Sena Filho

- - -

“As palavras só confirmam o que já se sabia do personagem: como juiz, indigno; como político, medíocre; como pessoa, lamentável". (José Sócrates, ex-primeiro-ministro de Portugal ao rebater o ex-juiz Sérgio Moro, que o acusou de ser criminoso). *Sócrates não responde por crime nenhum na Justiça portuguesa.

Só para relembrar sobre as ações malévolas e maledicentes do ex-juiz de província e de primeira instância Sérgio Moro - O Homem Muito Menor. 

O bate-pau da burguesia tupiniquim, indelevelmente atrasada e amante do retrocesso, que destruiu a indústria naval e de construção brasileiras, prendeu injustamente o ex-presidente Lula, mesmo a saber que ele é inocente, com o propósito de afastá-lo ilegalmente da corrida presidencial. 

Além de todas essas maquinações dignas de verdugo de terceiro mundo, o ambicioso e desmedido magistrado violou a Justiça, descumpriu a Constituição, subordinou-se criminosamente aos interesses do FBI e do Departamento de Estado dos EUA, cooperou decididamente para o golpe de estado contra a legítima e constitucional presidente Dilma Rousseff, além de ajudar a eleger o fascista e entreguista Jair Bolsonaro, cuja alcunha é Bozo.

Logo após a eleição das fake news pró-Bolsonaro, o juiz e ativista político de direita com problemas cognitivos se tornou o ministro da Justiça do desgoverno ultraliberal e colonizado de extrema direita. Isto mesmo, Moro encarcerou Lula sem provas e ganhou a parte de seu butim junto a Bolsonaro: o cargo de ministro da Justiça e, quem sabe, ser ministro do Supremo. E todo mundo sabe e viu o que ele ganhou do mandatário fascista...

Sérgio Moro é prejudicial à saúde do Brasil e deveria estar na cadeia, a pagar por seus inúmeros crimes, desde os tempos do megaescândalo bilionário do Banestado até sua atuação altamente questionada como chefe do bando da Lava Jato, composto por procuradores e delegados vaidosos, politicamente conservadores e sedentos de notoriedade, poder e ascensão social, a ter a mentira, a traição e a parcialidade descaradas como plataformas ideológicas, políticas e profissionais, a realizarem ações persecutórias e sistemáticas como atos de (má) fé.

26
Abr20

Valeixo, o delegado que vale dois ministérios e a cabeça de Moro

Talis Andrade

moro -sacola.jpg

 

Sergio Moro interferiu, quando juiz, quantas vezes na Polícia Federal, para vazar conversas dos presidentes Lula da Silva, Dilma Roussef? Quem gravou ilegal e criminosamente a presidenta do Brasil, a Polícia Federal ou algum serviço de inteligência estrangeiro, caracterizando vários crimes de traição, de lesa-pátria, de quinta-coluna? A atuação do FBI, da CIA, na Lava Jato, quebrou a soberania, a segurança nacional? Até onde foi a espionagem na Petrobras, no Pré-Sal, nas estatais? Depois de quebradas pela Lava Jato, quantas empresas públicas e privadas foram colocadas à venda nas feiras, nas quermesses de Michel Temer e Bolsonaro? Qual foi a participação do delegado Maurício Valeixo, que foi adido policial em Washington, de 2013-15? 

Valeixo e Moro estiveram juntos na investigação do assalto ao Banco do Estado do Paraná - BanEstado, que livrou a cara dos banqueiros, dos grandes traficantes de moedas. 

Publica a revista Época: "Em Curitiba, Valeixo atuou em várias fases da Lava Jato, operação pela qual Sergio Moro era responsável quando juiz federal. Uma das tarefas de Valeixo à frente da Superintendência da PF no Paraná foi coordenar os trâmites para a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em abril de 2018.

Foi também em sua gestão que foi fechada a delação de Antonio Palocci com a PF em Curitiba". O vazamento da delação de Palocci ajudou a eleger Jair Bolsonaro presidente. Moro jamais reclamou dessa interferência política-eleitoreira na Polícia Federal.  

A imprensa inglesa, BBC News, noticia: "Palocci tentou negociar um acordo de delação com o Ministério Público Federal (MPF), que recusou a oferta dele no começo de 2018. O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, que integrava a força-tarefa da Lava Jato à época, chegou a dizer que a proposta de delação de Palocci era mais um 'acordo do fim da picada' do que uma 'delação do fim do mundo'.

Apesar das críticas dos procuradores, Palocci fechou a negociação com a PF, e o acordo foi aceito pelo Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, sediado em Porto Alegre (RS), em junho de 2018.

Ao aceitar o acordo de Palocci, o desembargador federal João Pedro Gebran Neto escreveu que a homologação não é o momento 'adequado para aferir a idoneidade dos depoimentos dos colaboradores".

Gebran, pelos serviços prestados, para Lula "apodrecer na cadeia", permanece cotado para uma vaga no STF e para suceder Moro no Ministério da Justiça. 

Moro também ia além da sua atuação como juiz, na gana de condenar Lula & interesses outros, como bem denuncia e comprova a operação vaza jato. Uma série de reportagens publicadas pelos principais jornais e portais da imprensa, expõe a subserviência de procuradores do Ministério Público Federal, comandados por Deltan Dallagnol, criador de um fundo nababesco, com dinheiro desviado da Petrobras, para gastar com "caridade" e eventos

No dia 30 de janeiro de 2020, numa conta gráfica, foram depositados, pela Petrobras, 2 bilhões e 500 milhões na Caixa Econômica Federal de Curitiba, para gastança de seis procuradores.

Dallagnol propôs que os procuradores explorassem em proveito próprio a fama da lava jato, que as esposas dos magistrados ficassem responsáveis pelas faturas. Leia a denúncia aqui, que a Justiça faz que não sabe, e o Congresso teme investigar. Rosangela Wolff Moro, inclusive, fundou uma oportuna empresa de eventos.

geuvar poço .jpg

 

 

20
Fev20

Petrobras

Talis Andrade

moro_detonador_vitor petrobras.jpg

3 - Tofolli está certo: a Lava Jato destruiu a indústria do Brasil

por Marlon de Souza

 

No que tange ao setor de petróleo, o escândalo envolvendo o suposto cartel entre a estatal e demais empresas se dá no mesmo cenario de uma forte queda no preço da commodity, afetando os resultados financeiros da Petrobrás, que apresentam graves prejuízos líquidos de R$ 26,6 bilhões no último trimestre de 2014 e de R$ 36,9 bilhões no último trimestre de 2015. A crise fez a empresa arrefecer seu volume de investimentos do montante aproximado de US$ 48,826 milhões em 2013 para US$ 15,084 milhões em 2017: uma retração de quase 70%. As inversões da estatal (repasses para outros fundos ) caem de 1,97% do PIB em 2013 para 0,73% do PIB em 2017 e de 9,44% do volume total de investimentos (FBKF) para 4,69% no mesmo recorte. Dentro do próprio conjunto de investimentos públicos, o volume responsável pela Petrobras também caiu de 49,3% em 2013 para 36,5% em 2017. Essa retração aguda da atuação da empresa reverberou no corpo de funcionários e em inúmeros projetos junto a outras firmas, contribuindo para uma redução dos trabalhadores empregados formalmente no Sistema Petrobras de 86.108 para 68.829 entre 2013 e 2016, e de 360.180 para 117.555 entre os terceirizados no período equivalente. Isto corresponde que em um intervalo de quatro anos a cadeia produtiva direta da empresa teve perda de quase 260 mil postos de trabalho formais e informais. A crise no setor de petróleo em função do escândalo da Petrobras, somada à nova inclinação programática neoliberal do governo Temer (mantida por Bolsonaro), levou a uma reversão radical da política para o setor e venda maciça de refinarias e ativos da estatal. A Petrobras se desfez de 90% de seus ativos relativos a uma rede de dutos do Sudeste – Nova Transportadora Sudeste (NTS) – para o grupo canadense Brookfield e da rede de gasodutos e transportes nas regiões Norte e Nordeste – TAG – para o grupo francês Engie. 

Em síntese, o segmento de petróleo e gás foi determinante do processo de desestruturação econômica e desmonte da engenharia e infraestrutura do Brasil; acentuando uma tendência grave de desnacionalização de nossas atividades produtivas no geral. De acordo com o Moura e Fernando de Paula a “desestruturação desses dois setores – construção civil e petróleo/gás – contribuiu sobremaneira, por um lado, para o aprofundamento da crise econômica a partir de 2015, da qual não nos recuperamos até momento; de outro, levou à desestruturação de alguns dos poucos setores em que o capital doméstico era forte e competitivo a nível internacional”.

A redução de investimentos da Petrobras produziu consequências drásticas sobre a cadeia de fornecedores. O setor naval, como resultado da política do governo Lula chegou a empregar aproximadamente 85 mil pessoas até 2014, tem hoje cerca de 23 mil funcionários, 30 estaleiros foram fechados ou ficaram sem encomenda alguma. Parte dos principais e mais modernos, tinham como sócios algumas das empreiteiras envolvidas na Lava Jato, o que provocou um efeito combinado de crise. Alguns eram responsáveis pela construção de cascos e módulos de plataformas e foram subsequentemente reduzindo suas atividades. A partir da política do governo Temer o Brasil de produtor de plataforma de petróleo e sonda de perfuração passou a importar. Os efeitos sobre esta cadeia produtiva como um todo teve ainda recentemente a aceleração por parte do governo as concessões, já com maior presença de petrolíferas estrangeiras.

O Clube de Engenharia do Brasil denuncia que o governo Bolsonaro como forma de driblar a lei que proíbe a privatização da Petrobras vende a estatal em partes por meio de negociação de seus ativos tal qual refinarias, gasodutos do Nordeste e do Norte, BR Distribuidora, Transportadora Associada de Gás (TAG). Com a venda da TAG o resultado é espetacular agora a Petrobras passa a depender de uma empresa estrangeira para produzir e transportar seu próprio petróleo e sua própria produção petrolífera depende do gás associado aquela produção.

Na lista de decisão de privatizações das refinarias da Petrobras é significativa; Refinaria Abreu e Lima (RNEST) em Pernambuco, Refinaria Landulpho Alves (RLAM) na Bahia, Refinaria Gabriel Passos (REGAP) em Minas Gerais, Refinaria Presidente Getúlio Vargas (REPAR) no Paraná, Refinaria Alberto Pasqualini (REFAP) no Rio Grande do Sul, Refinaria Isaac Sabbá (REMAN) no Amazonas, Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste (LUBNOR) no Ceará e a Unidade de Industrialização do Xisto (SIX) no Paraná.

A mais recente foi a Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen/PR) que gerou somente nesta unidade a demissão de 144 trabalhadores. Hoje os petroleiros estão em greve e em 17 dias de paralisação. De acordo com a Federação única dos Petroleiros (FUP) 20 mil petroleiros estão mobilizados em 56 plataformas, 11 refinarias, 23 terminais, sete termelétricas, uma usina de biocombustível e uma de fertilizantes e outras unidades operacionais e administrativas espalhadas pelo Brasil; Amazonas, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, São Paulo, Ceará Pernambuco, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul.

Professor em Teoria Econômica pela Unicamp José Augusto Gaspar Ruas afirma que a retirada da Petrobras como operadora subtraia do Brasil a principal fonte para o desenvolvimento nacional. O projeto de privatização da Petrobras derrotado nas eleições presidenciais e sendo executado agora desarticula todo uma cadeia industrial. Ainda segundo o Clube de Engenharia hoje há 5 mil empresas ligadas entorno da Petrobras.

Ruas explica que com o fim da “regra de conteúdo local, a autorização legal para venda de ativos da Cessão Onerosa e o fim da regra de operador único nos campos do Pré-Sal amplia o espaço para a entrada de empresas estrangeiras e a presença de múltiplos operadores por conseguinte dificulta a utilização das encomendas como instrumento de promoção de aprendizado e escala operacional em segmentos/empresas nacionais”.

queima de dinheiro da petrobras.gif

 

21
Jan20

Vitória do entreguismo de Moro: Guedes vai anunciar em Davos abertura do Brasil para empreiteiras internacionais

Talis Andrade

moro demolidor dê.jpg

 

 

247 – O golpe de misericórdia nas constutoras brasileiras, que eram multinacionais e foram destruídas pela Operação Lava Jato, será dado por Paulo Guedes, no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. "O governo Jair Bolsonaro pretende aproveitar a presença de megainvestidores nesta semana, em Davos, para fazer um anúncio de abertura inédita aos estrangeiros interessados em participar de licitações e concorrências públicas no mercado brasileiro.  A ideia do ministro da Economia, Paulo Guedes, é divulgar nos Alpes suíços a adesão do Brasil ao Acordo de Compras Governamentais da Organização Mundial do Comércio (OMC). Com isso, ele deseja mandar um sinal claro à elite política e econômica global de que o país se compromete com a agenda de liberalização", informa reportagem de Daniel Rittner, no Valor Econômico.

"O acordo, conhecido pela sigla em inglês GPA (Government Procurement Agreement), garante o acesso dos signatários a um mercado estimado em US$ 1,7 trilhão por ano. Seus integrantes ficam obrigados a dar isonomia de tratamento entre empresas nacionais e estrangeiras que entram em contratações públicas nas áreas de bens, serviços e infraestrutura", aponta o texto. A reportagem destaca que fica praticamente impossível reeditar algumas políticas industriais adotadas no passado recente. O governo Dilma Rousseff, por exemplo, tinha como um dos pilares do Plano Brasil Maior a concessão de margem de preferência de até 25% a produtos nacionais em licitações nas áreas de defesa, medicamentos, maquinário e até têxteis, como uniformes fornecidos às Forças Armadas.

democracia nazismo_demolish__vasco_gargalo.jpg

 

13
Abr19

Lava Jato está destruindo a Petrobras e a economia nacional, e é responsável por milhões de desempregados

Talis Andrade

demolidor petrobras.jpg

 

 

por Emanuel Cancella

___

A campanha do petróleo, na década de 40/50, foi a maior campanha cívica que este país conheceu. Na luta que resultou na Petrobrás, muita gente foi morta, perseguida ou presa, como o universal escritor Monteiro Lobato.
 
A Petrobrás é a única empresa que nasceu nas ruas nos braços do povo. Uniu civis e militares, comunistas e conservadores.
 
Enquanto o general Leônidas Cardoso era membro da campanha em defesa do petróleo, seu filho, FHC, tentou sem êxito privatizar a Petrobrás na década de 90. O tio de FHC, general Felicíssimo Cardoso, era conhecido como  “general do petróleo” e tinha posição de destaque na campanha do petróleo (8).
 
Já o ex-genro de FHC, David Zylbersztajn , foi o primeiro diretor geral da Agência Nacional de Petróleo e gás, ANP, e, na primeira audiência com empresários e imprensa, disse: “O Petróleo é Vosso!” (6).
 
Com sua maior greve, de 32 dias, 100 demitidos e multa de R$ 100 mil por dia de greve, os petroleiros, com apoio da sociedade, conseguiram barrar a privatização da Petrobrás de FHC. Na época a Globo comparava a Petrobrás a um paquiderme e chamava os petroleiros de marajá!
 
Salvamos assim não só a Petrobrás,  como várias outras estatais, reintegramos todos os petroleiros demitidos e resgatamos o dinheiro da multa.
 
Mas a grande resposta da Petrobrás e dos petroleiros aos tucanos e a Globo veio em 2006, no governo Lula, que foi o desenvolvimento de tecnologia inédita no mundo que permitiu a descoberta do pré-sal. E a Globo inconformada lançou um editorial em dezembro de 2015: O pré-sal pode ser patrimônio inútil (5).
 
Só para se ter uma ideia da grandeza do pré-sal, já se sabe que possui reservas de 100 bilhões de barris; os especialistas da universidade dizem que pode chegar a 300 BI de barris.
 
Quando deputado, Bolsonaro, no programa do Jô Soares, chegou a falar em fuzilar FHC por privatizar as estatais e entregar nosso petróleo (1).
 
Agora Bolsonaro, como presidente,  vai entregar a Cessão Onerosa, uma área do pré-sal que a então presidenta Dilma passou direto para a Petrobrás, com base na lei de Partilha (LEI Nº 12.351, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2010) criada por Lula.
 
Os críticos, e parte da esquerda, dizem que Dilma entregou o campo de Libra. Eu mesmo saí do PT no dia do ato que e organizei junto com companheiros da direção do Sindipetro-RJ uma verdadeira guerrilha na Barra da Tijuca, no RJ. Levamos bala de borracha, e bomba de gás lacrimogêneo. O ex-presidente do BNDES, Carlos Lessa, estava nessa batalha.
 
A Petrobrás ficou com 40% do campo de Libra, a lei de Partilha garante o mínimo de 30% dos campos do pré-sal para a Petrobrás.  Dilma não entregou o campo de Libra, pois a Petrobrás ficou além dos 30% previsto na lei de Partilha. Não me arrependo do ato contra o leilão de Libra, pois não deveria haver nenhum leilão do pré-sal, pois já sabemos da existência de reservas imensas de petróleo. Leilão do pre-sal equivale a venda do bilhete premiado. Mas a lei de Partilha foi o que o presidente Lula conseguiu aprovar no Congresso Nacional.
 
Os críticos de Dilma, inclusive eu, estavam devendo essa explicação. Assim a Cessão Onerosa, que tem no mínimo 15 bilhões de barris de petróleo, maior que Libra foi obra da ex-presidenta Dilma (9).
 
Bolsonaro já tem data marcada para entregar a Cessão Onerosa aos gringos. A cessão Onerosa, possui reservas de no mínimo 15 BI de barris com o preço internacional acima de US$ 50 dólares o barril, equivale, no mínimo, a US$ 8 trilhões de dólares.
 
O ministro da Economia quer vender todas as estatais, inclusive o pré-sal e fala: “Vamos privatizar tudo; temos R$ 1 trilhão em ativos a receber”, diz Paulo Guedes. Só a cessão onerosa vale no mínimo 8 trilhões de dólares (2).
 
A Lava Jato passou mais de 3 anos vazando criminosamente delação premiadas envolvendo a Petrobrás  para a mídia, principalmente a Globo. Desclassificando-a para agora entregá-la mais fácil.
 
Hoje, graças à Lava Jato, grande parte dos petroleiros se envergonha de trabalhar na Petrobrás, quando deveriam ter orgulho.
 
E a lava Jato não só está destruindo a Petrobrás, pois veja o vídeo que mostra com a Lava Jato destruiu a economia nacional em poucos meses (3). A Lava Jato destruiu inclusive a indústria naval brasileira restabelecida no governo Lula (4).
 
E nos efeitos destruidores da Lava Jato estão incluídos os petroleiros.

Pela descoberta do pré-sal os petroleiros mereciam um prêmio. Os governos do PT não deram prêmio aos petroleiros, mas na política de RH, a categoria tinha aumento real de salário, abono, PLR, Benefício Farmácia, concurso público etc.

 

Hoje, além de demissões e planos de desligamento da empresa, e ausência de concurso público, os salários estão praticamente congelados, os petroleiros pagam um rombo feito pelos gestores e pessoas poderosas como Paulo Guedes.  Guedes deu um rombo de um R$ 1 BI nos fundos de pensão das estatais, entre eles o da Petros. E quem paga o rombo são os petroleiros, ativos e aposentados, com 13% de seus salários por 18 anos.

 

E a Lava Jato prendeu 22 pessoas por suspeita de superfaturamento  na obra financiada pela Petros, na sede da Petrobrás na Bahia. Prendeu petistas, ex-gerentes da Petros e executivos de empreiteira (7).

 

Pergunta que não quer calar: quando vão prender o Paulo Guedes?

moro globo petrobras.jpeg

 

Fonte:

1https://www.youtube.com/watch?v=Z-5vTz3HKG0

2https://www.noticiasagricolas.com.br/noticias/politica-economia/220068-na-veja-vamos-privatizar-tudo-temos-r-1-trilhao-em-ativos-a-receber-diz-paulo-guedes.html#.XLDAQOhKjIU

3https://www.youtube.com/watch?v=o_c_-9uso4c

4https://www.ocafezinho.com/2017/04/03/lava-jato-destruiu-industria-naval-brasileira/

5https://oglobo.globo.com/opiniao/o-pre-sal-pode-ser-patrimonio-inutil-18331727

6http://www.horadopovo.com.br/2010/outubro/2906-15-10-2010/P4/pag4a.htm

7https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2018/11/23/pf-deflagra-a-56a-fase-da-operacao-lava-jato.ghtml

8http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-biografico/leonidas-fernandes-cardoso

9https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2019/01/28/internas_economia,733451/acordo-com-petrobras-pode-render-r-100-bilhoes.shtml

 

Vitor_Teixeira moro demolidor .jpg

 

 
01
Mar19

O ROUBO DO PETRÓLEO NA VENEZUELA É ATRAVÉS DA GUERRA, JÁ NO BRASIL QUEM OPERA O ROUBO É A LAVA JATO

Talis Andrade

petroleo era nosso.jpg

 

 
Militares participaram ativamente da campanha O petróleo é nosso (11)!
 
Veja o vídeo que mostra como a lava Jato destruiu a economia em poucos meses (1).
 
A Lava Jato destruiu a indústria Naval brasileira (2).
 
A indústria Naval responde por milhares de empregos de qualidade. Também porque a União, estados e municípios, com os estaleiros brasileiros operando, principalmente na construção de navios e plataformas, gerariam bilhões de reais em impostos. Entretanto, em nome do combate à corrupção, navios e plataformas vão ser construídos no exterior, gerando emprego e renda para os gringos.
 
Além de destruir a indústria naval, o tucano Pedro Lalau Parente, cúmplice da Lava Jato, tirou a Petrobrás dos setores mais estratégicos, lucrativos e empregatícios, e os entregou aos gringos, tais como petroquímica, gás, fertilizantes e biocombustíveis (6).
 
Também, em nome do combate à corrupção, foi cancelada a construção das refinarias do Ceará e Maranhão: Denúncias de superfaturamento no valor da construção levaram a Petrobrás a cancelar os projetos (3). Essas refinarias nos daria a autossuficiência no refino e um excedente para exportação de derivados.
 
Resultado disso é que, em apenas quatro meses, EUA vendem quase R$ 7 bilhões em óleo diesel para o Brasil (4).
 
E ainda dizem que além de cancelarem a construção das refinarias do Nordeste, vão vender as existentes, pois o refino não daria lucro. Dá para acreditar?
 
A Lava Jato, uma operação que investiga corrupção na Petrobrás, jamais poderia permitir que Pedro Lalau Parente presidisse a Empresa, pois se o chamo de Pedro Lalau é  porque este senhor é réu desde 2001 por dar um rombo de R$ 5 BI na Petrobrás (7).

Parente em Nova Iorque com Moro.jpeg

 

 
A Lava Jato também fingiu que não viu a direção da Petrobrás pagar R$ 2 BI de reais ao banco JP Morgan, de um empréstimo que só venceria em 2022. Pasmem! Pedro Lalau é sócio do banco (8).
 
Mas os principais ladrões da Petrobrás estão presos pela Lava Jato, mentira!
 
O diretor da Petrobrás, Paulo Roberto Costa; o presidente da Transpetro, Sérgio Machado; o caixa dois do PMDB, Fernando Baiano e o doleiro Alberto Youssef, entre outros, estão cumprindo pena em suas casas, verdadeiros clubes de lazer construídos com dinheiro da roubalheira (9).
 

bosch luxuria sexo .jpg

luxuria .jpg

corte luxo.jpg

luxo povo.jpg

 

 
Para conseguirem prisão domiciliar, não sabemos se esses principais ladrões da Petrobrás pagaram  algum “Por Fora” ou propina mesmo!
 
Pois o advogado da Odebrechet, Rodrigo Tacla Duran, disse que foi procurado pelo advogado oficial da Lava Jato, Carlos Zucoloto Junior, compadre de casamento do juiz Sergio Moro, e ex-sócio de sua esposa, Rosângela Moro, para fazer delação premiada.
 
Na proposta de Zucoloto,  com a delação, Duran, o advogado da Odebrechet, teria prisão doméstica e a Odebrechet o perdão de multa de US$ 10 milhões.
 
Mas para isso a Odebrecht teria que pagar US$ 5 milhões por fora, ou seja, de propina. Isso foi tema de uma entrevista na Folha com a jornalista Mônica Bergamo.
 
Moro, tomando conhecimento da entrevista da Folha, chamou Duran de falsário e fugitivo da lei. Na verdade é Moro que foge de Duran como o diabo da cruz.
 
E o mais grave, a revista Veja, com base em informação da Receita Federal, publicou que Duran fez depósito na conta da esposa de Moro, Rosangela Moro (5,12,13).

tacla duran moro.jpg

 

 
Então Moro, debochando de nossa inteligência, disse, sem a esposa abrir o sigilo bancário, que o depósito de Duran teria sido para pagar cópias de processo.
 
A esperança seria que os militares saíssem em defesa da Petrobrás.  Isso porque os  militares participaram ativamente da campanha o Petróleo é Nosso, na década de 40/50, o nosso maior movimento cívico, que uniu civis e militares, comunistas e conservadores e resultou na criação da Petrobrás.
 

Mas as preocupações dos militares hoje são outras: o general Hamilton Mourão está em plena campanha para derrubar Bolsonaro ou emplacar campanha para presidente em 2022, tudo com total apoio da Globo. Outra preocupação dos militares, a começar por Bolsonaro, é arrumar cargos na Petrobrás para o pessoal da caserna (10)!

rafael guerra do petroleo venezuela pre sal.jpg

 

Na Venezuela o próprio Trump assume que a guerra é para surripiar o petróleo na Venezuela, como já fizeram no Iraque e Líbia, no Brasil não precisa de guerra basta a Lava Jato (5)!

Ajuda-humanitaria-dos-EUA venezuela .jpg

 

Fonte:

1http://politicadesmistificada.blogspot.com/2018/07/documentario-mostra-como-lava-jato.html

2https://www.ocafezinho.com/2017/04/03/lava-jato-destruiu-industria-naval-brasileira/

3https://news.portalbraganca.com.br/nacional/petrolao-petrobras-cancelou-refinarias-no-maranhao-e-ceara-porque-denuncias-da-lava-jato-dificultaram-credito.html

4https://www.ocafezinho.com/2018/05/22/em-apenas-4-meses-eua-vendem-quase-r-7-bilhoes-em-oleo-diesel-para-o-brasil/

5https://www.brasil247.com/pt/247/parana247/315291/Tacla-Dur%C3%A1n-pagou-esposa-de-Moro-diz-Nassif.htm

6http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2016-09/petrobras-deixara-setores-de-biocombustiveis-petroquimica-e-fertilizantes

7https://www.redebrasilatual.com.br/blogs/helena/2016/06/presidentes-da-petrobras-e-do-bndes-sao-reus-em-acao-por-rombo-bilionario-9872.html

8https://www.brasil247.com/pt/247/poder/356221/Banco-presidido-por-s%C3%B3cio-de-Pedro-Parente-recebeu-R$-2-bi-da-Petrobras.htm

9http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/politica/2016/07/10/interna_politica,654284/delatores-cumprem-prisao-domiciliar-em-mansoes-e-coberturas.shtml

10https://noticias.r7.com/brasil/bolsonaro-indica-outro-militar-para-gerencia-da-petrobras-11012019

11https://acervo.oglobo.globo.com/fatos-historicos/campanha-petroleo-nosso-mobilizou-brasil-no-final-da-decada-de-40-10401791

12https://www1.folha.uol.com.br/paywall/signup.shtml?https://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/08/1913355-advogado-acusa-amigo-de-moro-de-intervir-em-acordo.shtml

13https://veja.abril.com.br/blog/radar/moro-poderia-ser-impedido-de-julgar-ex-advogado-da-odrebecht/

trump venezuela.jpg

 

26
Jun18

Os golpistas desafiam o povo brasileiro

Talis Andrade

por Emanuel Cancella

 

lula presidente.jpg

 

 

Todas as saídas democráticas estão sendo travadas de forma ilegal, já que rasgaram nossa Constituição.
 
Com a Reforma trabalhista, acabaram com os direitos previstos na CLT e caminhamos para 14 milhões de desempregados.
 
Nosso petróleo está sendo entregue, além dos ativos da Petrobrás. Entregam descaradamente nosso pré-sal: leia o que diz a geóloga, diretora do Sindipetro-RJ e da Aepet, Ana Patrícia Laier (1): “Como pode um Congresso ameaçar saquear seu próprio país?”.
 
A lava Jato destruiu a engenharia nacional e a indústria naval,  segundo o Clube de Engenharia, a Aepet, Fisenge, FUP e FNP. (2 a 6)
 
A Lava Jato, com o seu combate à corrupção destrutivo e falacioso, é a grande responsável pela maioria dos quase 14 milhões de desempregados do Brasil.
 
A presidenta do STF é a cara da nossa justiça. A presidenta do STF, Carmem Lúcia, que foi indicada por Lula, deu o voto de minerva contra o seu habeas corpus, desempatando e permitindo assim a prisão do ex-presidente. A votação foi 6X5 contra Lula, mesmo sabendo que há provas atestando a inocência do ex-presidente.
 
“O voto de Carmen Lúcia não surpreende, mas é importante observar que há menos de três meses ela também ficou em posição de decidir a favor ou contra o senador Aécio Neves (PSDB) e, depois de muito circular na sua argumentação, votou a favor do tucano” (7).
 
A mídia golpista, principalmente a Globo, tem a desfaçatez de dizer que o país está em recuperação (8). Para a Globo golpista realmente não existe crise, também pudera, pela primeira vez, no governo do golpista de MiShell Temer, ela tem o monopólio da transmissão na Copa do Mundo.
 
Veja a trajetória da Globo em Copa do mundo da Fifa e se ela sendo uma concessão pública merece este monopólio:
 
- A Globo sonegou o Imposto de Renda da transmissão da copa do mundo de 2002 (9).
 

- A Globo, mesmo sendo a emissora mais corrupta em Copa do Mundo, no Brasil nem sequer é investigada. Só em uma investigação nos EUA, no “Fifagate”, a Globo foi citada 14 vezes. Os partidos PT, PDT e Psol pediram para a PGR, Raquel Dodge, abrir investigação. Isso em novembro de 2017, a PGR então mandou essa investigação da justiça americana para o MPF do Rio. Até hoje sem resposta (10).

 

O povo brasileiro, através de todas as pesquisas de intenção de voto, aponta Lula como líder e o único que pode dar jeito no país.

 

Entretanto, como disse, todas a saídas institucionais estão fechadas ilegalmente. Lula está preso pela Lava Jato por uma reforma no tríplex de Guaruja. Essa prisão tem como base somente a delação do dono da OAS, Leo Pinheiro, que esta preso e para diminuir sua pena, afirmou que a reforma de R$ 2.2 milhões foi feita como pagamento de propina, a pedido do presidente Lula. Entretanto, fotos e vídeos provam que essa reforma nunca foi feita (11,12).

 

Com o agravante de que Moro, pessoalmente, por várias vezes, impediu os advogados de Lula de terem acesso à citada obra e às notas fiscais da reforma, o que de cara comprovaria que o dono da OAS estava mentindo. Hoje sabemos que não houve obra e que todas as notas fiscais são falsas, algumas têm origem em Curitiba e estamos falando numa reforma no Guarujá, SP.

 

Aliás, além de não ter havido reforma, é bom frisar que a lava Jato nunca provou a propriedade de Lula no tríplex de Guarujá, seja através de registro do imóvel ou qualquer outro documento válido.

 

Lembramos aos golpistas o exemplo do gato, que se atacado, e tiver uma saída, ele foge, porém se trancarmos o felino num quarto e atacá-lo ele enfrenta o agressor.

 

Será que os golpistas estão provocando o povo brasileiro buscando uma reação para justificar um golpe dentro do golpe?

 

Fonte:

1https://www.viomundo.com.br/denuncias/ana-patricia-laier-como-pode-um-congresso-ameacar-saquear-seu-proprio-pais.html

2https://jornalggn.com.br/noticia/para-engenheiros-lava-jato-promovo-desmonte-da-industria-nacional

3https://jornalggn.com.br/noticia/documentario-mostra-como-a-lava-jato-destruiu-a-economia-em-poucos-meses

4https://jornalggn.com.br/noticia/para-engenheiros-lava-jato-promovo-desmonte-da-industria-nacional

5http://www.aepet.org.br/w3/index.php/artigos/noticias-em-destaque/item/919-lava-jato-e-desmonte-do-pre-sal-a-combinacao-que-levou-o-rio-a-falencia

6https://www.oantagonista.com/brasil/exclusivo-em-crusoe-pa

7https://www.revistaforum.com.br/apos-voto-de-minerva-de-carmem-lucia-lula-pode-ser-preso/

8https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/quem-comemora-recuperacao-nao-conhece-economia-nem-historia-afirma-economista/

9https://www.conversaafiada.com.br/pig/2013/06/28/globo-sonegou-i-renda-a-dilma-vai-cobrar

10https://blogdoperrone.blogosfera.uol.com.br/2017/11/raquel-dodge-envia-denuncia-contra-globo-para-mpf-do-rio/

11https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/351698/Lula-foi-condenado-por-reforma-que-nunca-existiu.htm

12https://jornalggn.com.br/noticia/rovai-video-mostra-que-triplex-nao-tem-nada-que-possa-ser-chamado-de-luxuoso

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub