Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

30
Abr20

Em apenas 3 meses, a PM de Doria matou mais de 160 negros em São Paulo

Talis Andrade

Dória-e-a-PM.jpg

Dória entrega 89 viaturas e 40 mil pistolas semi automáticas (Glock) à PM
 
 
 
Todo ano aumentam os números de assassinatos pela policia militar contra a juventude negra e pobre do país. No primeiro trimestre de 2020 a PM de São Paulo bateu recorde histórico
 
Dissolver a PM já!
 
 

Entre janeiro e março deste ano, a policia assassina do Estado de São Paulo bateu recorde histórico. A SSP-SP Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo divulgou os números trimestrais da pasta comandada pelo general João Camilo Pires de Campos. Segundo os dados, a PM do governador fascista João Dória (PSDB) matou 255 pessoas em supostos confrontos. 218 assassinatos foram cometidos por policiais em serviço e 37 por PM’s de folga. Em comparação com o mesmo período do ano passado o aumento foi de 23,2%.

No boletim também consta a informação de pessoas feridas por policiais em supostos confrontos que são de 95, o número de pessoas atingidas por policiais de folga é de 29.  Em 2019, 28 pessoas morreram após supostas resistências a PM’s de folga, e assassinadas por policiais em serviço foram 179 nos primeiros 3 meses do ano. O documento divulgado pela SSP-SP aponta que 61 cidades paulistas registraram pelo menos uma morte em decorrência de intervenção policial. A capital apresenta o maior número de vítimas com 57, seguida por Campinas, no interior do estado com 11 mortes.

As vítimas do braço armado da burguesia e da direita golpista, como não podia deixar de ser, em sua maioria são negros e pobres. Os Boletins de Ocorrência do Portal da Transparência mostram a cor da pele de 202 pessoas, mortas no primeiro trimestre de 2020. Dos documentos que trazem essa informação 64% dos assassinados eram negros e pardos, e de brancos o número é de 35,6%. Ou seja, a policia militar matou mais de 160 negros em São Paulo nos primeiros 3 meses de 2020.

Segundo reportagem da Ponte Jornalismo, os documentos indicam a idade de 128 mortos em suposta resistências. Mais da metade (68) era jovem com idades entre 18 e 29 anos, treze vítimas eram adolescentes, o mais novo era Ronaldo dos Santos tinha apenas 14 anos, morreu no dia 22 de março no Parque São Rafael, extremo da zona leste de São Paulo. 255 é o maior número já registrado pelo boletim trimestral do estado desde quando começou a ser divulgado em 1996.

Diante dos fatos, é preciso parar essa maquina de matar preto e pobre no país que é a policia militar. Quando o governador fascista João Dória veio a público dizer que a policia do seu estado ia “atirar pra matar” ele não estava mentido. No ano passado um em cada três assassinatos (33%) ocorridos me São Paulo foram praticados por policiais, de acordo com os dados divulgados pelo 13º Anuário de Segurança Pública. É preciso dissolver a PM já.

Outro número assustador divulgado pela Ouvidoria da Policia do Estado de São Paulo, é que a ROTA – Rondas Ostensivas Tobias Aguiar- aumentou em 98% o assassinato de civis em relação a 2018. 2019 foram 101 pessoas mortas, por agentes em serviço, contra 51 em 2018. Os crimes cometidos por policiais militares em serviço em 2019 também teve um aumento de 12% em relação ao ano anterior. Claro que maior parte das vítimas são os pretos.

Portanto o movimento negro e os movimentos sociais, devem mobilizar e organizar a povo nas periferias e bairros pobres das cidades, para combater e pôr abaixo toda essa politica criminosa do regime golpista e assassino que tomou de assalto o poder no país, e que vem causando um verdadeiro genocídio da população marginalizada no Brasil. Pois dentro da sociedade capitalista a perseguição e os assassinatos contra a juventude preta todos os dias escalam de forma alarmante, é preciso por um fim nessa situação.

 
 
 
 
29
Nov19

Ministro do STF sobre decisão do TRF-4 contra Lula: atuam como 'soldados de Moro'

Talis Andrade

ordem para matar .jpeg

 

 

247 - Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) consideraram que a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) de ignorar o julgado da Corte sobre anulação de sentença e manter a condenção do ex-presidente Lula no caso do sítio de Atibaia foi um desrespeito.

Três ministros falaram em caráter reservado com o jornal O Estado de S. Paulo. Um deles considerou que além de um desrespeito com o STF, os desembargadores do TRF-4, desde o início da Lava Jato, atuam como "soldados de Sérgio Moro", ex-juiz e atual ministro da Justiça de Jair Bolsonaro.

Outro ministro foi taxativo ao afirmar que houve sim descumprimento à decisão da Corte, pois, no caso de Lula, os prazos para as aleações finais foram os mesmos que os seus supostos delatores.

"Um terceiro ministro, porém, disse não ser possível afirmar que houve descumprimento, pois ainda há questões pendentes na tese levantada pela defesa do petista para justificar o pedido de anulação da sentença", destaca um trecho da reportagem do jornal.

Com a imprensa, os ministros Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello não falaram sobre o assunto, mas Lewandowski lembrou que decisões de instâncias inferiores sempre podem ser revistas.

"Cada juiz e cada tribunal decide como bem entendem. Depois existe a cadeia recursal que pode eventualmente rever. Não conheço os autos e não posso me manifestar sobre isso", disse o ministro.

“Não me pronunciarei a respeito”, disse o ministro Marco Aurélio Mello. “Não sou comentarista de julgamentos de colegas.”

29
Nov19

Reinaldo Azevedo: Lula foi vítima de excludente de ilicitude no TRF4

Talis Andrade

trf - 4 por renato aroeira.jpeg

 

247 - Resgatando uma das mais famosas medidas de Jair Bolsonaro, que isena policiais que matam em serviço, o jornalista Reinaldo Azevedo avalia que o ex-presidente Lula foi vítima de algo parecido no julgamento do TRF-4 que confirmou sua condenação no caso do sítio de Atibaia e elevou sua pena para 17 anos.

"O julgamento do recurso de Lula pela 8ª Turma do TRF-4 na última quarta (27) nada teve a ver com direito, leis, Constituição e outros substantivos que afastam a barbárie em benefício do pacto civilizatório", diz ele. "O que se viu no tribunal foi um concerto de vontades em favor de uma forma especial de excludente de ilicitude".

"Os magistrados e o representante do Ministério Público Federal deram a entender que tudo é permitido a quem acusa e julga", diz ainda. "O TRF-4 me faz crer que a campanha de 2022 realmente já começou", finaliza o colunista na Folha de S.Paulo. Leia aqui a íntegra.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub