Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CORRESPONDENTE

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

O CORRESPONDENTE

14
Nov23

Israelenses não confiam nas falas de Netanyahu sobre o conflito com o Hamas, mostra pesquisa

Talis Andrade
 
Image

"Netanyahu merece ser condenado à morte por enforcamento", diz Breno Altman

 

247 – "O governo de Israel é formado por bandidos. Seu final deveria ser em um tribunal como o de Nuremberg, que condenou chefes nazistas. Benjamin Netanyahu merece ser processado, julgado e condenado à morte por enforcamento, como corresponde aos mais pérfidos criminosos de guerra", postou o jornalista Breno Altman, em seu X.

Pesquisa da Universidade Bar Ilan, divulgada pelo jornal Haaretz, aponta que apenas 4% dos israelenses confiam nas declarações do primeiro-ministro

SPUTNIK - A credibilidade do premiê israelense, Benjamin Netanyahu, está em baixa, apontou uma pesquisa da Universidade Bar Ilan. Apenas 4% dos israelenses confiam nas declarações do primeiro-ministro sobre o conflito com o movimento palestino Hamas.

A pesquisa foi divulgada pelo jornal israelense Haaretz nesta terça-feira (14).

Esse é o menor grau de credibilidade já atingido pelo político, que nos últimos anos já vinha batalhando contra uma onda de impopularidade causada pelo desejo de passar reformas judiciais que lhe dariam maior controle sobre o Judiciário israelense. Há anos o primeiro-ministro enfrenta acusações de corrupção.

Por outro lado, o porta-voz das Forças de Defesa de Israel (FDI), brigadeiro-general Daniel Hagari, goza de maior credibilidade do público, com 73,7% dos entrevistados afirmando que o militar é a figura "mais confiável" para se obter informações do conflito.

Benjamin Netanyahu, além de ter passado por uma série de protestos e manifestações internas nos últimos anos, também é visto como um dos culpados pela recente escalada no conflito com o Hamas.

Cerca de 86% dos israelenses veem uma falha na conduta do premiê em impedir o ataque do grupo militante, e mais da metade (56%) acredita que ele deva renunciar após o fim dos confrontos, apontou outra pesquisa, do Dialog Center, conforme noticiado pelo The Jerusalem Post. Yoav Gallant, ministro da Defesa, também é visto com maus olhos pelo público, com 52% dos israelenses acreditando que ele também deva renunciar.

 
Image
Vídeo: Como parar a mão assassina de Israel? Veja a análise do jornalista e fundador de Opera Mundi, Breno Altman, no 20 MINUTOS ANÁLISE desta terça-feira (14/11): 
 

Vídeo: A ADUFO - Seção Sindica, gestão Florescer nas Lutas, realiza Aula Pública intitulada: “Palestina – consequências nefastas do sionismo e imperialismo”, ministrada pelo jornalista Breno Altman. Breno Altman é um comunicador progressista, jornalista, fundador do portal Opera Mundi e tem realizado debates sobre a temática, assim como contribuído com inúmeros textos e conteúdos analíticos acerca da resistência do povo palestino:

 

12
Nov23

Os palestinos nos livros didáticos de Israel

Talis Andrade
Ilustração: Doaa Eladl
 
 
Por Jair de Souza

A esta altura, passados mais de 30 dias do início de um massacre sem paralelos na história, os mais de 2.300.000 palestinos habitantes da Faixa de Gaza estão submetidos a um cerco total, estando privados do acesso a água, alimentos e eletricidade. E, como bonificação especial, quase todos os seus edifícios residenciais, seus hospitais e suas escolas vêm sendo implacavelmente arrasadas por intensos bombardeios das forças militares de Israel.

No entanto, apesar das monstruosas cenas de horror que conseguem furar o bloqueio comunicacional das autoridades israelenses e chegam ao conhecimento público, boa parte da população israelense não demonstra estar muito sensibilizada diante deste imenso quadro de dor e sofrimento.

O que poderia explicar tamanha indiferença, tamanha falta de empatia com o drama sofrido por toda essa gente desamparada? A resposta, em boa medida, é dada pelo resultado de uma pesquisa conduzida por Nurit Peled-Elhanan, uma pesquisadora israelense da Universidade Hebraica de Jerusalém.

É interessante observar que a motivação inicial de seu trabalho se deu em função de um terrível golpe por ela sofrido quando perdeu a própria filha, vítima de um atentado suicida cometido por um palestino. Uma síntese de sua pesquisa está no vídeo deste link:https://youtu.be/GCcV7AtYgwo

Neste documentário, Nurit Peled-Elhanan fala de sua pesquisa relacionada com o conteúdo dos livros didáticos de Israel. Ela expõe em detalhes como estes livros são elaborados com o objetivo de desumanizar o povo palestino e fomentar nos jovens estudantes israelenses a base de preconceitos que lhes permitirá atuar de forma cruel e insensível com o mesmo durante o serviço militar.

Conforme explica Nurit Peled-Elhanan, as construções de mundo feitas a partir dos livros didáticos, por serem as primeiras a se sedimentarem na mente das crianças, são muito difíceis de serem erradicadas. Daí a importância que o establishment israelense dedica à ideologia a ser transmitida nos livros didáticos. Neles, os palestinos nunca são apresentados como seres humanos comuns. Nunca aparecem em condições que possam ser consideradas normais.

Segundo Nurit Peled-Elhanan, não há nesses livros nem sequer uma fotografia de um palestino que mostre seu rosto. Eles são sempre apresentados como constituindo uma ameaça para os judeus.

Foi por entender o grande valor desta mensagem que, já em 2012, me dispus a traduzir ao português o vídeo-documentário e produzir as respectivas legendas. Nosso objetivo era e é possibilitar que um maior número de pessoas venham a entender as técnicas de desumanização utilizadas para viabilizar a aprovação, a aceitação ou a indiferença em relação àqueles grupos humanos que são escolhidos como alvos para extermínio.

Considero um dever moral de todos os que se sentem vinculados à humanidade dedicar os esforços possíveis para impedir que este genocídio venha a se consumar. Neste momento, as palavras do saudoso reverendo evangélico Desmond Tutu se tornam mais válidas do que nunca: “Aquele que se mostra indiferente em uma situação em que a opressão é evidente está tomando o lado do opressor”.

Não pode restar nenhuma dúvida para ninguém sobre quem são os opressores e quem são as vítimas no atual conflito entre o Estado de Israel e o Povo Palestino.

Israel quer arrastar o Brasil para a guerra

 
 

Embaixador de Israel afronta Lula

 
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub