Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

13
Jan21

Dia "D" e Hora "H" para os generais do desgoverno militarista de Bolsonaro

Talis Andrade

 

por Davis Sena Filho

- - -

Realmente, o Bozo, vulgo Jair Bolsonaro, escolheu seus ministros celerados e desprovidos de bom senso e responsabilidade a dedo. Eles são, sem dúvida, literalmente os espelhos de seu chefe de juízo celerado, que inferniza a vida e a rotina dos brasileiros há dois anos, sem contar seus 28 anos como deputado federal improdutivo, incompetente, do baixíssimo clero, que somente insultou e desrespeitou àqueles que ele considera inimigos de seus valores e princípios toscos, bizarros e ofensivos à grande parte da sociedade organizada deste país profundamente desigual e irremediavelmente perverso com a população de milhões de brasileiros.

E não é que o "ministro" da Saúde, o tal de general paraquedista e de divisão, Eduardo Pazuello, que tomou conta de um cargo importantíssimo como se fosse um usurpador, pois na verdade se trata de um interventor no Ministério da Saúde e de seus órgãos de referência, porque seu chefe, que se comporta como um lunático, vê comunismo até em vacinas e, com efeito, recebe o apoio de generais alienados, criados a pão de ló nos quartéis e ideologicamente sectários e elitistas. Como os generais e o corpo do oficialato admiram os ricos e são totalmente divorciados dos interesses dos trabalhadores e do povo em geral. 

Sempre observei, desde jovem, tais características e procedimentos da classe militar, indelevelmente inimiga das organizações e entidades civis de perfis reivindicatórios e historicamente defensoras de direitos e garantias concernentes à plena cidadania, à preservação da democracia e à defesa da Constituição e do Estado de Direito. Os militares, assim como as "elites", odeiam a democracia, porque não querem igualdade de oportunidades, a não ser para eles e seus filhos.

Os militares, a exemplo do medíocre general Pazuello, jamais compreenderam e aceitaram que os trabalhadores e as organizações civis e de classe ou categoria lutassem por direitos e melhores condições de trabalho, a exemplo de ter acesso o mais rápido possível às vacinas contra a Covid-19, dentre muitos outros direitos que fortalecem a cidadania, como ter emprego, escola e saúde, que estão criminosamente e deliberadamente com seus orçamentos e investimentos congelados, por causa das políticas ultraliberais impostas ao povo, a partir de 2016, quando o usurpador, traidor, cafajeste da hora, golpista ordinário e chefe-mor de corruptos, que dilapidavam o Erário Público, liderou um golpe de estado contra a presidente constitucional e legitimada pelas urnas, Dilma Rousseff. 

O nome do estúpido e canalha é Michel Temer, que apesar de seus graves crimes, todos comprovados, está livre, leve e solto, com a aquiescência e cumplicidade do Supremo Com Tudo, que é a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil. Os militares, que se "preocupam" tanto com a corrupção, não se importaram com os crimes de Temer, bem como apoiam apaixonadamente o Bozo destrambelhado, que, juntamente com seus três filhos da pá virada, também é acusado de inúmeros crimes comuns e crimes de responsabilidade. A hipocrisia e o cinismo dos militares são ilimitados, assim como servem e serviram como plataformas para a conquista do poder. 

Quanto ao Lula, que já derrubou oito processos mentirosos na Justiça, porque farsas e fraudes arquitetadas contra ele pelos desmoralizados bandidos da Lava Jato, para afastá-lo criminosamente das eleições presidenciais de 2018 e, consequentemente, impedir as políticas econômicas neoliberais, que roubam impiedosamente o Brasil, os militares não se doem como se doem pelo Bolsonaro, chefe do pior governo da história da República e que, certamente, apesar do MP e da Justiça golpistas, terão de responder por seus crimes, mesmo de não forem presos. 

A verdade é que os militares, que jamais receberam tanta atenção, consideração, bem como recursos financeiros e estruturais, no decorrer dos governos do PT, participaram efetivamente dos bastidores do golpe de estado contra a Dilma e a prisão arbitrária e injusta de Lula. 

Os militares, cara pálida, como guardas pretorianos do establishment, historicamente sempre combateram e traíram os mandatários trabalhistas e de esquerda, a exemplo de Getúlio Vargas, João Goulart, Lula e Dilma, a perseguir também e, caninamente, o trabalhista e esquerdista Leonel Brizola, porque, como reacionários e títeres da direita e da extrema direita, tolerar governantes progressistas e desenvolvimentistas, que lutam para combater as desigualdades, e tudo de diabólico que derivam delas, são a mesma coisa que dar independência e cidadania ao povo brasileiro.

E isto para os militares, defensores dos interesses da alta burguesia proprietária da casa grande,  é "subversão" e "comunismo", além de ser a senha cretina e sórdida para acusar os mandatários progressistas de corrupção, em um falso moralismo anacrônico, que se repete historicamente nesta republiqueta das bananas, lugar onde as "elites" do atraso e do retrocesso roubam descaradamente os trabalhadores, os servidores, as donas de casa, os estudantes e os aposentados, de forma que enriqueçam pornograficamente e mantenham a população ignorante e no cabresto. Depois vão para Miami e Orlando se esbaldar com seu filhos alienados e egoístas, que, seguramente, darão proseguimento aos valores e princípios deletérios de seus pais e avós. Trata-se do "legado" da iniquidade, da leviandade, da irresponsabilidade, da canalhice e do amor desenfreado pelos Estados Unidos, ao tempo que sentem um desprezo atávico pelo Brasil. Só Freud explica...

A verdade nua e crua é que os militares se tornaram os paxás da República bananeira, sem participar de quaisquer guerras no mundo, bem como são negligentes e omissos no combate ao tráfico de armas e drogas nas fronteiras do país continental.

Voltemos ao Lula. Enquanto, paradoxalmente, os chefes militares para chegar ao poder com o Bolsonaro conspiraram contra a Dilma e tiveram ataques histéricos, com o apoio das mídias corruptas e golpistas que agem impunimente no Brasil, para que Lula fosse considerado inelegível pelo TSE e preso por meio de mentiras e calúnias perpetradas pela quadrilha da Lava Jato, os generais abraçaram o corrupto e traiçoeiro Michel Temer, para logo se alinharem com seu Bozo de estimação, igualmente acusado de cometer crimes. Contudo, a verdade, novamente assevero, que

não há uma única prova que o Lula tenha incorrido em crimes, como está a se comprovar dia a dia, com seus processos a serem desmontados, um a um, cada qual em seu tempo. Enfim, cara pálida, os militares se comportam como cegos, mudos e surdos, por conveniência e picardia.

Agora, satisfeitos com tantos desmandos e incompetências do desgoverna para o qual servem para terem bons salários, mamatas e mordomias, os generais e seus subordinados apoiam com afinco as políticas econômicas draconianas do fundamentalista de mercado, Paulo Guedes. 

Como cúmplices que são de tanta destruição e retrocessos no Brasil, os generais compactuam com a entrega criminosa do Pré-sal aos estrangeiros, aprovam o desmonte da Petrobrás, apóiam a venda dos Correios e da Eletrobras, estiveram por trás da entrega, que não deu certo, da Embraer, e, como sabujos dos EUA, permitem que a Base de Alcântara seja controlada pelos yankess malandros e espertos.

Os militares ainda são cúmplices do desmonte criminoso dos segmentos que empregam centenas de milhares de trabalhadores, a exemplo dos setores navais --- plataformas e navios ---, nuclear --- submarinos ---, satélites e aviões, além de criarem empregos para os estrangeiros, porque o país passou a importar por causa da desindustrialização proposital e criminosa do país, assim como pretendem entregar aos gringos piratas do mercado o setor energético brasileiro, o que se torna um sinal incontestável de que esses péssimos e traidores brasileiros tem de ser punidos com décadas de cadeia, pois se autoridades de países desenvolvidos cometessem crimes tão graves, certamente que seriam justificadamente encarceradas.

A casa grande brasileira e seu Exército são, na verdade, os verdadeiros subversivos, traidores da Pátria e conspiram contra a soberania do Brasil e os interesses do próprio povo. É inexplicável tanto ódio e desprezo pelo Brasil. Não querem e sabotam qualquer tentativa de independência e desenvolvimento do país. Dão golpes e fazem do país um grande território bananeiro. Se recusam terminantemente a pensar o Brasil. Querem apenas explorar os trabalhadores, retirar direitos, se divertir, comprar mansões, terras, aplicar em bancos e bolsas, adquirir carros, aviões e iates, além de viajar para os EUA, para cumprimentar o Mickey, seu patrão maior, e dar uma de Pateta.

Esses são os brasileiros ricos e de classe média alta, que tem o apoio de parte do povo idiotizado, sendo que os militares brasileiros, por suas posições deletérias, são o fim da picada. Eles poderiam também privatizar os quartéis, hospitais e policlínicas, escolas e academias, apartamentos e casas, clubes, hotéis, terras e até praias, dentre outros patrimônios públicos do Exército e das forças armadas, já que são servidores públicos privatistas e neoliberais, mas sustentados por milhões de trabalhadores e profissionais autônomos, que são a maioria dos contribuintes da nação infernal chamada de Brasil. 

Evidentemente que os militares não farão isso, pois nunca vão querer fazer sacrifícios. "Privatizem o patrimônio dos outros setores e segmentos" --- pensam os generais, para logo completar: "Para nós, no dos outros é refresco!" Espertalhões... A verdade é que, psicologicamente, os militares sentem aversão por qualquer situação que incomode o status quo --- o establishment. E por quê? Porque tais quais os juízes, procuradores e policiais eles são totalmente distantes da rotina e das realidades da população brasileira, pois vivem durante décadas em uma comunidade militar fechada, autônoma e formuladora de seus próprios princípios e culturas. Por isto é muito difícil inserir os militares na sociedade civil e vice-versa. Sempre acaba em conflitos e incompreensões.

Além disso, os oficialatos das três forças armadas, nos papéis de centuriões da casa grande de um país que, vergonhosamente, teve 300 anos de escravidão e que até hoje mata rotineiramente e covardemente negros, índios e pobres, em uma barbárie moralmente inquietante, que se alastra como praga por todo o Brasil, realmente (os militares) não poderiam agir diferentemente de seu passado de garantidores do grande capital e do amor incompreensível pelos Estados Unidos, que deveria ser analisado seriamente por psiquiatras, pois se tem um país que nos trata como "macacos" subdesenvolvidos e não concede contrapartida alguma para o Brasil, este país são os Estados Unidos. 

Militares  aparelham o Estado Nacional como forma de repremir e dedurar os técnicos capacitados e de carreira, que essa milicada incompetente trata como inimigos dos interesses nacionais, quando a verdade é que esses militares oportunistas, entreguistas e claramente sem projeto de país e programa de governo são os verdadeiros inimigos da nação, porque mais uma vez, tal qual a 1964, comportam-se como senhores de engenho dos tempos da escravidão, a terem como base histórica de suas ações as perseguições ideológicas e partidárias, além de apoiarem a entrega do patrimônio público e uma política econômica ultraliberal, que está a arrasar a economia nacional e a causar o maior desemprego e perda de investimentos desde a redemocratização do país, cujo início se deu em 1979, quando os exilados retornaram de seus exílios e os presos da ditadura foram libertados. 

Contudo, os fracassos econômicos do desgoverno militarista são de índices e números vergonhosos, em todos os setores da economia. A Ford e a Mercedez são apenas exemplos emblemáticos. A Ford fechou três fábricas no Brasil e estava há 101 anos neste país infernal e campeão das desigualdades sociais, da violência, do atraso e do retrocesso. Sugiro que o desgoverno fascista do Bozo maluco e irresponsável abra uma fábrica gigantesca de carroças, porque aqui gado não falta.

Por sua vez, em relação às vacinas e à crise sanitária, os bolsominions, com suas idiotas e ignorâncias, afirmam que somente tomarão as vacinas com todos os testes aprovados para sua segurança. Trata-se dos mesmos mentecaptos que tomaram cloroquina sem prescrição médica, um medicamento comprovadamente ineficaz para combater a Covid-19, que foi irresponsavelmente recomendado pelo "cientista" e "pesquisador" reconhecido mundialmente, cujo nome é Doutor Bozo, um arremedo de fascista com doidão. O desgoverno de Bolsonaro, Pazuello e dos generais é isso aí.

03
Dez20

Moro é aquele moleque que o borracheiro pagou para jogar pregos na rua

Talis Andrade

moro privada_luscar .jpg

 

 

por Davis Sena Filho

- - -

De juiz farsante a agente a serviço do FBI e da CIA. Eis o Sérgio Moro — o Homem Muito Menor.

Sérgio Moro é aquele moleque que o borracheiro pagou para jogar pregos na rua.

Moro é Calabar!

O ex-ministro da Educação, Aloizio Mercadante, está a pensar corretamente quando afirma que "é inacreditável que o ex-juiz [Sérgio Moro] vá atuar na empresa de recuperação judicial das empresas que ele próprio destruiu”. Mercadante faz alusão à Odebrecht, OAS, Sete Brasil e Queiroz Galvão, dentre outras grandes empresas que foram devassadas pelos paladinos da família, da moral e dos bons costumes do bando da Lava Jato.

O raciocínio de Mercadante é realmente pertinente, mas digo a ele, se porventura o ex-ministro ler este artigo, que não é surpresa para ninguém o Marreco, vulgo Moro, ter aceitado ir para Washington com o propósito de trabalhar para uma empresa norte-americana diretamente envolvida com a degradação econômica do setor de construção pesada do País, pois, além de ganhar rios de dinheiro, tem o poder de interferir nas empresas nacionais brasileiras, a dar as cartas, de forma que consolide o processo de colonização do Brasil.

Entretanto, para finalizar o raciocínio exposto nos dois parágrafos acima, reitero que não ser surpreendido pelo arbítrio de Moro é lugar comum, porque se ele cooperou decisivamente para golpear a presidente Dilma Rousseff, levou Lula à prisão covardemente e injustamente, sem qualquer fundamento jurídico real, tanto que sua condenação foi por "ato de ofício indeterminado".

Portanto, surpresa não há, porque Sérgio Moro, um juizeco de direita envolvido com a CIA e o FBI, aceitou anteriormente ser ministro da Justiça de Jair Bolsonaro, inimigo figadal das esquerdas, principalmente de Lula e do Partido dos Trabalhadores. Por que, então, o Marreco de Maringá não aceitaria o convite para trabalhar a favor de uma empresa norte-americana, que tem o controle do mercado interno, no que diz respeito às construtoras brasileiras?

Aliás, a Marsal & Alvarez, certamente, repassa informações estratégicas das corporações brasileiras para o governo norte-americano e, sem dúvida, às empresas privadas dos EUA, que atuam no mesmo setor. É isso aí, a Marsal & Alvarez tomou conta do butim das megaempreiteiras brasileiras, que dominavam boa parte dos empreendimentos de construção em âmbito mundial, sendo que muitas delas, a exemplo da Odebrecht, trabalhavam, inclusive, na área nuclear.

E o que os pilantras, entreguistas e traidores da Lava Jato fizeram? Mancomunados com a CIA, o FBI e os Departamentos de Justiça e de Estado do país yankee, delegados federais, procuradores e juízes, à frente da malta o juiz Sérgio Moro, resolveram demolir com as empresas nacionais e, com efeito, colocar no olho da rua cerca de 500 mil funcionários.

Não cuidaram de investigar e processar àqueles que cometeram malfeitos, como fizeram, por exemplo, a Alemanha e a Coreia do Sul, com a Volkswagen e a Samsung. Não preservaram as empresas porque dispostos a destruí-las para repassar informações de alta tecnologia e conhecimento, assim como entregar o mercado interno e externo às multinacionais norte-americanas, conforme já comentei.

Atuaram como ladrões do Brasil, em uma pirataria formalizada oficialmente, sendo que titulares de cargos de relevância e de poder, com a cumplicidade do Supremo Com Tudo (SCT), que vem a ser a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil, além de contarem com a propaganda sempre positiva do Grupo Globo, que vem a ser uma das maiores desgraças que surgiram neste País com vocação para o fracasso, o retrocesso e o atraso.

Algo impensável no Brasil até o ano de 2015, quando o governo trabalhista de Dilma Rousseff começou a ser sabotado por meio das pautas bombas, o que ocasionou a diminuição dos investimentos estatais, a causar desemprego em massa sem precedentes, bem como deixar de joelhos o trabalhador brasileiro, que ficou nas mãos de verdadeiros abutres, que para se empregar passou a aceitar as piores condições de trabalho, a acarretar a precarização do emprego. 

A verdade é que Mercadante e muitas outras pessoas estão certos quanto ao emprego milionário do Marreco, homem de ambição estratosférica e de pouco discernimento quanto ao Brasil e seus interesses de soberania e independência. Porém, se ele sabe não liga, porque se sente norte-americano como grande parte das classes ricas e médias deste País. Esse sujeito malévolo ama os EUA e entrega a cabeça do Brasil de bandeja à moda Paulo Guedes e famiglia Bolsonaro.

A verdade é que Sérgio Moro furou os quatro pneus da Odebrecht e de outras importantes empreiteiras brasileiras, sendo que agora oferece serviços de borracharia. Enfim, Moro representa a direita, que entrega as riquezas e a soberania do Brasil a cantar o hino nacional. Moro é o fim da picada! É isso aí.

02
Dez20

Malandro é malandro e mané é mané é o que o Moro é...

Talis Andrade

 

aroeira debandada moro marreco.jpg

 

"Malandro é aquele que sabe o que quer. Malandro é o cara que tá com dinheiro, e não se compara com um Zé Mané" (Poeta Bezerra da Silva)

 

por Davis Sena Filho

- - -

Moro é um fujão e foi ter com seus iguais em Washington. O Lula não fugiu, Moro. Encarou a Lava Jato e a imprensa hegemônica e corrupta que até hoje o apoia, assim como é também responsável direta pela decadência econômica, social e moral da sociedade brasileira.

Lembro do ditado popular que é este: "Quem puxa aos seus não degenera". Sérgio Moro não só se comporta como um malandro, ele é o próprio malandro e vai servir aos seus em Washington, a continuar com suas infâmias e a trair o Brasil, já que o prometido galardão da vaga no Supremo não foi cumprido por Jair Bolsonaro, fato este que não surpreende ninguém, evidentemente.

Sérgio Moro é Calabar, Silvério dos Reis, Cabo Anselmo, FHC e Michel Temer. O traidor do Brasil e usurpador da democracia e da Constituição. O capitão do mato da oligarquia vira-lata brasileira, pois aliada dos interesses dos EUA. Moro é, sobretudo, Estados Unido.

O Marreco está em Washington onde fica a sede do FBI, seu parceiro e empregador, por intermédio da consultoria Alvarez & Marsal, quando trabalhará em uma empresa que dá "consulta" a falimentar Odebrecht, multinacional brasileira que Moro e os picaretas da Lava Jato destruíram e extinguiram mais de 100 mil empregos. Porém, o Marreco, vulgo Moro, assinou um contrato milionário. Malandro é malandro e mané é mané... Podes crer que é!

A resumir, Moro — o Homem Muito Menor — cedeu oficialmente à sua vocação e ambição: ganhar muito dinheiro. Ele quer ser rico, doa a quem doer. E foi o que tal sujeito fez como ex-chefe do bando da Lava Jato, um juizeco de quinta categoria a serviço do FBI e do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, como ficou comprovado pelo Ministério da Justiça do Brasil, País que tem vocação para a atraso e insiste há séculos ver o futuro pelo retrovisor.

Enfim, o Ministério da Justiça que garantiu, a pedido insistente da defesa de Lula e determinação do ministro do STF, Ricardo Lewandowski, que a súcia da Lava Jato, formada por juízes, policiais federais e procuradores, apesar de suas reações contrárias, que os advogados do ex-presidente preso covardemente e injustamente obtivessem as respostas pertinentes.

Respostas no sentido de saberem se o Governo brasileiro fez acordo para que procuradores norte-americanos fizessem uma parelha com os procuradores e delegados de Curitiba, que terminou com o golpe contra Dilma e a retirada de Lula como candidato a presidente em 2018, além da entrega criminosa do Pré-Sal, por parte da direita brasileira, que chegou ao poder sem a força do voto, cujo sabujo das oligarquias é o lamentável ser humano Michel Temer.

A verdade é que o Ministério da Justiça disse que não há quaisquer documentos em suas dependências que comprovassem a cooperação entre a Lava Jato e os procuradores no processo do triplex, que na verdade não passa de um muquifo, que foi mostrado amplamente nas mídias pelo Movimento dos Sem Teto, fato este que desagradou por demais os juízes e procuradores burgueses totalmente envolvidos com o golpe de estado e, obviamente, com os mentiras perpetradas contra o Lula.

Portanto, o que sobra? Evidentemente anular o processo do triplex e, posteriormente, do sítio de Atibaia, sem esquecer as ridículas acusações sobre o Instituto Lula, que continua há décadas no mesmo lugar, sendo que o alegado terreno que seria (verbo futuro) comprado jamais foi comprado, o que denota calúnia, difamação, mentiras e perseguição perpetradas por policiais, procuradores e juízes, que deveriam ser os primeiros a dar o exemplo e se mostrar justos.

Contudo, esses caras tinham um projeto de poder político e de riqueza, sendo que o PT e seus líderes eram o caminho para que pudessem viabilizar seus propósitos. Uma vergonha. Usaram o Direito como arma política para perseguir, humilhar, prender e falir quem atravessasse o caminho dos delinquentes da Lava Jato.

Esses celerados, comandados por Sérgio Moro, Deltan Dallagnol e Carlos Fernando dos Santos Lima, que tiveram o ápice da fama e prestígio com a prisão de Lula, tornaram-se midiáticos, as estrelas do amanhã e do porvir. Só que não. Todos, um a um, estão a ser desmascarados, mesmo se dando bem financeiramente, na maior cara de pau, por meio de empregos com salários milionários, empresas de consultoria e palestras altamente lucrativas.

Estão aí a rodar na alta sociedade como perus bêbados, que chegaram ao paraíso. A verdade é que a Lava Jato levou seus pequenos burgueses ao paraíso sonhado por uma classe média leviana, inculta, insensível e brega. Um tipo de gente colonizada e sem projeto para o País, além de concurseira e filhinha de papai ou mamãe, que, arrogante e prepotente, pensa ser o mundo seu umbigo e a verdade que vale é apenas a sua, sem, no entanto, conhecer a sociedade brasileira, suas demandas, necessidades, desigualdades e contradições.

E tudo isso sob a égide do Supremo e de tribunais golpistas como o STJ, TRF-4, além das varas federais do Rio, São Paulo e Brasília controladas por juízes de terceira instância, que se valeram de seus cargos para pontuar a perseguição a Lula e outros políticos de importância do PT, a tal ponto de se tornarem cúmplices dos servidores públicos da Lava Jato, um enclave golpista, antidemocrático e antipatriótico.

Os paladinos da Justiça corrompida estabeleceram, como se tivessem poder para tanto, acordos ilegais com o FBI, a fim de destruir as megaempresas brasileiras e dar o controle do mercado interno aos norte-americano, a ter como alvos principais a Petrobras, que está a ser esquartejada, a Odebrecht e a OAS, dentre muitas outras.

Outro exemplo é o Comperj, que foi criminosamente abandonado após o golpe e entregue à sanha dos privatistas e predadores do capital de ações inconsequentes, que mais cedo ou tarde venderão criminosamente o importante e imenso complexo aos estrangeiros, que vão deitar e rolar tais quais ao Moro em Washington.

Sérgio Moro é o fim da picada. Mentiroso, usou de mentiras e armações para fomentar um golpe de estado ao liberar gravações entre um ex-presidente e a presidente após o prazo estabelecido por lei. Esse ex-juizeco irresponsável e analfabeto político, que não sabe nem falar direito, liberava informações fora dos autos dos processos, de maneira sistemática e infame para o Grupo Globo.

O oligopólio midiático de tradição golpista e que há quase 100 anos aposta no atraso do povo brasileiro para que os irmãos Marinho, ícones das oligarquias escravocratas brasileiras, deitem e rolem muito mais do que o Moro alguma vez pensou em sua medíocre vida. O Marreco de Washington, a serviço do FBI e a ter a empresa que o contratou como fachada de seu trabalho como traidor.

Além disso, o juizeco, petulante e soberbo, fez com que uma multidão tentasse invadir o Palácio do Planalto, e nem preso esse sujeito desprovido de ética foi. Tratava-se do liberou geral nas barbas do Supremo e da PGR, que obviamente são e foram partes desse vergonhoso processo bananeiro e considerado como o golpe de 2016.

É um deboche, acinte, além de nenhuma vergonha na cara. O Moro, cara pálida, vai trabalhar em uma consultoria que atende à Odebrecht, que ele ajudou a destruir e a desempregar mais de 100 mil brasileiros. Esse cara tinha de ser processado e preso, além de suas sentenças condenatórias sem quaisquer provas serem consideradas aberrações jurídicas.

Não é a primeira vez que tal indivíduo de pouco siso, mas muita malandragem demonstra ser ligado ao sistema de investigação, espionagem e sabotagem dos EUA. Ele é ligado à CIA e ao FBI. Trata-se de um repassador dos interesses brasileiros ao país yankee, e há muito tempo.

Quando esteve com Bolsonaro nos EUA, o Marreco se reuniu com o diretor do FBI e, posteriormente, fez visita à CIA, sendo que a agenda não era oficial. Que raios de atividades esse brazuca de direita, que interveio ilegalmente na política para influenciar na derrota do PT nas eleições presidenciais de 2016, faz tanto nesses órgãos estadunidenses, quando sabemos que até governos brasileiros direitistas não tinham uma relação tão estreita e promíscua, como agora se vê por intermédio de sua contratação por uma empresa que tem interesses financeiros e de mercado inconfessáveis.

A verdade é que há anos Lula e sua defesa tentam saber, mas o Ministério da Justiça e a Lava Jato sempre criaram obstáculos, alguns ridículos, porque conversas para boi dormir. O resultado disso tudo é o que todos esperavam e já sabiam: as relações da Lava Jato com os meganhas dos EUA para desmontar as grandes empresas da construção pesada brasileira, além da Petrobras\Pré-Sal e indústria naval são e foram as mais promíscuas possíveis.

Essas realidades draconianas cooperaram para haver recessão com inflação na economia brasileira, que foi destruída deliberadamente, o que fez o desemprego explodir e os programas sociais de inclusão social em todos segmentos de atividade humana foram extintos, ou seja, os governos de direita e de extrema direita de Temer e Bolsonaro implodiram os dois pilares de sustentação da economia, que são o emprego e a renda.

Para concluir, a verdade é que o neoliberalismo imposto pelo tucano Fernando Henrique Cardoso, vergonhosamente e infelizmente um golpista quase nonagenário, voltou com força nas mãos de Temer e selvagemente nas mãos de Paulo Guedes, ministro do Bolsonaro, que não possui qualquer plano de crescimento e desenvolvimento do País, a não ser vender as estatais e deixar o Brasil totalmente colonizado.

Por sua vez, o Brasil se tornou diplomaticamente um apêndice dos Estados Unidos, além de os trabalhadores, estudantes, aposentados e as minorias perderem direitos consagrados há décadas neste País. Um retrocesso sem precedentes em qualquer nação. O Moro é o fruto mais podre disso tudo, juntamente com a Lava Jato, o STF e a Globo, além dos militares.

Neoliberalismo é colonização!

Malandro é malandro e mané é mané é o que o Moro é... É isso aí.

 

 

 

26
Ago20

CNMP, como o 'Supremo Com Tudo', é a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil — O Lula que se dane!

Talis Andrade

dallas tucano .jpg

 

 

por Davis Sena Filho

- - -

Os juízes e procuradores se tornaram, no Brasil, os signatários do vale tudo e os algozes da civilização. Eles são simplesmente os bárbaros com punhos de renda, beca, toga e um português afetado como o são suas culpas.

Enfim, o “julgamento” do chefe dos procuradores da Lava Jato, Deltan Dallagnol, no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), após ser, inacreditavelmente, 41 vezes adiado, soou, evidentemente, como um julgamento de cartas marcadas, que parte da população brasileira, que tem o mínimo de discernimento do que é justo ou injusto, considerou uma pantomima, que envergonha os mais talentosos palhaços de circo.

E assim tem acontecido também em todas instâncias do Poder Judiciário quando se trata de proteger àqueles que estão na linha de frente de combate ao Partido dos Trabalhadores e suas principais lideranças, que foram caninamente perseguidos e tratados como criminosos desde que Lula assumiu o poder em janeiro de 2003.

Nenhum partido de direita teve suas lideranças tão perseguidas pelos agentes de Estado, que agem como guardas pretorianos dos tubarões do sistema internacional de capitais e dos interesses da grande burguesia, que não aceitaram a derrota eleitoral para o PT em 2018 e, por sua vez, resolveram tomar o poder, por intermédio de um golpe de estado travestido de legal e legítimo, a ter à frente o abjeto e traidor Michel Temer, político medíocre, mas disposto a desmontar o Estado nacional e extinguir os direitos dos trabalhadores e aposentados.

Portanto, nada a estranhar ou duvidar e que não fosse o lugar comum, ou seja, diferente do que o esperado nesses tempos de intolerâncias e golpes baixos promovidos por agentes do Estado brasileiro, pois cúmplices e atores do golpe contra Dilma Rousseff e a prisão injusta de Lula, para que o líder de esquerda não fosse eleito presidente em 2018 e, evidentemente, alavancar ainda mais os programas de inclusão social do PT, bem como manter a política internacional de soberania, ou seja, exigir igualdade nas relações políticas, culturais e econômicas entre o Brasil e as nações.

A diplomacia independente e multilateral do PT sempre incomodou a escravocrata e irremediavelmente colonizada casa grande brasileira, bem como seus lacaios que controlam as instituições e órgãos públicos, a exemplo de juízes, procuradores, delegados e generais, como se vê, sobretudo, no governo de extrema direita de Jair Bolsonaro, talvez a administração da história deste País mais entreguista e subserviente aos Estados Unidos. Uma coisa de loucos...

Ressalto novamente, o que era esperado se confirmou no que é relativo ao CNMP. Trata-se de um órgão corporativo, que resolveu se comportar, tal qual ao Poder Judiciário, de forma política e ideológica, a proteger um de seus membros mais famosos, o procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, sujeito sorrateiro de ações deletérias, autor de inúmeras mentiras e armações, além de ser acusado de cometer crimes em série, que até hoje não foram devidamente investigados, para que o procurador chefe de um bando encastelado na Lava Jato seja punido de forma severa.

Simplesmente o paladino cristão e midiático, assim como o vingador da família, da propriedade e dos bons costumes lacerdistas, cujo codinome é Pastor, foi absolvido e agora ele irá lépido e fagueiro continuar com suas ações persecutórias, mentirosas e covardes, de cunho partidário e ideológico, a perseguir e a intervir em todos os processos de posse e ao alcance da Lava Jato, que permitam combater o PT e as esquerdas, ainda mais que se aproxima o certame eleitoral para prefeito, que é uma prévia para as eleições presidenciais de 2022.

Não esqueça, cara pálida, Deltan Dallagnol e Sérgio Moro influenciaram nas eleições de 2018, para favorecer o fascista Jair Bolsonaro e, concomitantemente, prejudicar Fernando Haddad, candidato do PT, quando vazaram criminosamente os diálogos entre Dilma e Lula com apoio da Globo, assim como às vésperas das eleições interviram ilegalmente no processo eleitoral, sendo que dessa vez vazaram a delação mentirosa de Antônio Palocci contra Lula, fato este que depois se comprovou como farsa e fraude.

O autor dessa sujeira fétida e asquerosa é o ex-chefe da Lava Jato, o ex-juiz Sérgio Moro — vulgo Marreco —, que ganhou como prêmio o cargo de ministro da Justiça do governo fascista de Jair Bolsonaro. Alguma dúvida, cara pálida?! Se tiver, recorra à história... Porém, tal sujeito desmedidamente ambicioso, de conduta torpe e propósitos golpistas não recebeu do mandatário fascista o galardão maior: uma vaga no Supremo Com Tudo (SCT), que, tal qual ao CNMP, é a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil.

Não há, contudo, condições para que o Brasil tenha a democracia resgatada, o Estado Democrático de Direito restabelecido quando sabemos que procuradores, juízes e delegados participaram, efetivamente, de um golpe de estado e resolveram intervir no processo político-eleitoral, interditar o Estado de Direito para que a esquerda eleita quatro vezes consecutivas fosse derrubada e, consequentemente, tomassem o poder, na mão grande, os políticos e partidos com programas ultraliberais e dispostos a atender os interesses econômicos e geopolíticos dos Estados Unidos e da burguesia e pequena burguesia tupiniquim, que odiaram a ascensão das classes mais pobres, por mais tímida que fosse.   

Porém, perguntemos: por que diabos essa gente, paga com altos salários pelos contribuintes brasileiros, tem tanto poder, ao ponto de se sentir impune e pronta para cometer outros abusos e crimes? Respondo: Os servidores públicos, de poder e mando, sequestraram o estado nacional para eles. Os melhores cargos do Estado pertencem a eles, de classe média e média alta, já que concurseiros que não possuem o controle empresarial dos meios de produção, mas “donos” dos melhores empregos da iniciativa privada e do setor público. Este é o “acordo” secular entre a pequena burguesia e a burguesia.

Com o tempo esses servidores se fortaleceram institucionalmente e passaram a atuar e agir em todos os segmentos e setores da sociedade, a partir da promulgação da Constituição de 1988. Os agentes públicos de poder e mando avançaram em atividades não condizentes por lei ao MPF e assim se tornaram tão poderosos, que a frase “Não sou o Golbery, mas criei um monstro”, do ex-procurador-geral da República, Sepúlveda Pertence, ao presidente José Sarney, em 1989, nunca foi tão real e atual.

O general Golbery do Couto e Silva afirmou em 1981, no governo do general João Figueiredo e durante o episódio da bomba do Rio Centro, que “Criou um monstro”. O monstro era o extinto SNI. A Lava Jato não se utilizou de bombas e nem torturou corpos, mas as mentes sim, e efetivou ações e atividades subterrâneas e ilegais que lembram os tempos da ditadura, sem dúvida.

O que esses agentes da Lava Jato ideológicos, ativistas políticos do campo da direita e politicamente parciais fizeram para combater, por meio da força do Estado, as lideranças e membros do PT, a exemplo de José Dirceu, José Genoíno e Delúbio Soares, dentre muitos outros, está editorado, publicizado e grifado nos manuais da ditadura militar, assim como a história recente deste País irá registrar.

Os três petistas em questão estão a derrubar processo por processo elaborados pela Lava Jato e outros órgãos da Justiça, do MPF e MPE contra eles, porque, na verdade, eles não tem culpa no cartório e nada com o tempo para provar que seus inimigos políticos aboletados no Estado conspiraram criminosamente para demonizá-los publicamente e, com efeito, levá-los injustamente ao encarceramento.

Deltan Dallagnol e CIA construíram verdadeiras farsas como o Powerpoint criminoso, leviano e mentiroso que ele teve a desfaçatez de apresentar ao público e à imprensa de mercado, parceira principal dos golpes e crimes da Lava Jato. Aliás, a Globo está tão desmoralizada que seus jornalistas não podem cobrir movimentos sociais, sindicais e políticos nas ruas e praças, pois são hostilizados duramente pelas pessoas que não mais aturam décadas de péssimo jornalismo, porque manipulador, mentiroso, criminoso e covarde.

Palmas, então, para o colegiado do CNMP, que em vez de corrigir erros e punir aqueles que cometem malfeitos, como o procurador Deltan Dallagnol, prefere passar a mão na cabeça do ativista político de direita dos subterrâneos do MPF, sendo que ainda, nos gabinetes, após a impunidade do ardiloso procurador Dallagnol, tais julgadores devem dar risadas e a debochar da cara da nação, porque simplesmente eles podem tudo, até ter uma Constituição apenas para os procuradores, pois os juízes tem há muito tempo uma Carta para eles.  

O poder dessa gente é tão surreal, que atualmente o MPF engessa ou congela os atos e ações de executivos eleitos pelo povo brasileiro, a exemplo de governadores, prefeitos e servidores públicos da administração pública em todas as esferas governamentais, que governar virou uma atividade perigosa, porque tudo virou crime, além das insatisfações e aborrecimentos constantes, mais do que já acontecia corriqueiramente no dia a dia da administração pública.

Os semideuses procuradores e juízes resolveram, sem terem o voto popular e sem expor seus programas e projetos perante a população, administrar no lugar dos eleitos, sendo que qualquer ato de quem governa é questionado pelos paladinos varonis do MP e da Justiça, de acordo com seus interesses políticos, bel-prazeres e vaidades. Uma bagunça geral promovida irresponsavelmente pelos homens e mulheres de preto, que interditaram a política e engessaram a administração pública em busca do poder.

Trata-se de uma distorção monstruosa, além de ser o fim da picada. Não sei como esse processo dantesco e arbitrário irá terminar no Brasil, mas que as distorções e os casuísmos dos procuradores de classe média alta, que consideram que enfim chegaram ao paraíso tem de acabar, porque desse jeito não há como governar, evidentemente, conforme o que reza a Constituição. Os vingadores de capa e beca querem rivalizar com os outros poderes e assim procedem como se não houvesse o amanhã.

A verdade é que o CNMP não agiu como um como um colegiado que tem por função limitar os abusos de poder dos procuradores, bem como punir aqueles que mesmo mortais pensam que são deuses e, com efeito, são magnetizados pelo canto mavioso de seus interesses e covardias. A verdade é que Dallagnol cometeu um crime sem precedentes contra um homem que depois acabou preso injustamente.

O PowerPoint criminoso, leviano e mentiroso de autoria de tão abjeto sujeito foi indelevelmente perverso, porque caluniou, difamou, injuriou, criminalizou e demonizou um homem que não cometeu crimes, como está a se provar no decorrer do tempo e da história.

O relator do caso no CNMP, Marcelo Weitzel, considerou a ação de Lula improcedente, porque, em sua concepção corporativista, além de se valer de seu poder institucional, o Pastor Dallagnol do bando da Lava Jato não cometeu abuso de poder, apesar de chamar o Lula de ladrão e chefe de quadrilha para 210 milhões de brasileiros, com repercussão internacional. É mole ou quer mais, cara pálida?!

Parece gozação, mas não é, porque é assim que as coisas acontecem no Brasil e é também por isso que o MPF e o STF estão desacreditados por imensa parcela da sociedade brasileira. E os togados sabem disso, mas como mentiram e se acumpliciaram com os crimes da Lava Jato, eles agora terão de levar esse processo golpista e criminoso até o fim, doa a quem doer... E que se dane o Brasil e a história!

Os golpistas de classe média alta querem mesmo ir para Miami comprar bugigangas, além de Orlando para dar uma de Patetas ao cumprimentar o Mickey, o Pluto e o Donald. Contudo, eles sabem que sem justiça não há paz, mas não se importam, pois hereditariamente injustos. O CNMP, tal qual ao Supremo Com Tudo, é a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil. O Lula que se dane! É isso aí.

23
Jul20

Sérgio Moro a cooperar com a ascensão do fascista ignorante Jair Bolsonaro

Talis Andrade

bozo cala-te por helio almeida.jpg

 

 

II - Lava Jato é golpista e entreguista, traidora e lixo moral

por Davis Sena Filho

- - -

A verdade é que o bando da Lava Jato, recheado de coxinhas concurseiros de classe média, que pensam o País por intermédio de suas mentes indelevelmente superficiais, sectárias e elitizadas, pois limitadas a seus mundinhos coloridos e pequenos burgueses, formaram um partido político ilegal, que realiza suas ações nos subterrâneos da Polícia Federal, do Ministério Público e da Justiça, com a cumplicidade da imprensa porta-voz do capital estrangeiro, a ser o Grupo Globo, que antes se autodenominava “Organizações(?)”, a principal arma de controle social para que o golpe fosse aceito por grande parte da sociedade e, consequentemente, angariar apoio para que a tramóia de caráter golpista se concretizasse, como, evidentemente, ocorreu e já consta na história desse triste e azarado País de casa grande de terceiro mundo.

Esses servidores de classe média, estúpidos e analfabetos políticos, aboletados em PF, MPF (PGR) e Justiça, organizaram-se em uma frente integralista, a montar um partido clandestino de direita, useiro e vezeiro em se valer de métodos ilegais e criminosos, de forma sintética e sistemática, como comprovam as denúncias do Intercept Brasil e, mais do que isto, como sempre se soube muito antes do Intercept, porque a blogosfera combativa e de esquerda há muito tempo denunciava e afirmava que servidores de Justiça, MP e PF estavam à frente de um movimento golpista vinculado a interesses do FBI, Departamento de Estado e da própria presidência norte-americana.

Afinal, a presidente Dilma Rousseff e a Petrobras, somente para ficar nesses dois exemplos de inúmeros acontecimentos, foram grampeadas pelos estadunidenses e, evidentemente, com o conhecimento de servidores brasileiros subservientes e subalternos ao sistema de poder norte-americano, porque colonizados desde sempre pelo imaginário dessa gente sobre os Estados Unidos, que remonta suas infâncias de coxinhas de classe média aficcionados por Miami e Orlando, que adoram ir até hoje à Disney para visitarem o Mickey, o Pluto, o Donald e darem uma de Patetas deslumbrados com suas próprias posições privilegiadas de membros integrantes como coxinhas no tecido social brasileiro.

A verdade dura e crua é que esses trágicos amantes de holofotes, fama e dinheiro, bem como muito vaidosos e cuidadosos de seus status como os cavaleiros libertadores da família burguesa, da pátria para poucos e da propriedade privada, que possuem ligação direta com Deus, ainda terão de responder por seus crimes e traições, porque responsáveis diretos, juntamente com a imprensa comercial e privada, pela destruição da economia brasileira, com a perda verificada desde 2015 de quase 20 milhões de empregos com carteira assinada, sendo que 45 milhões de pessoas na informalidade; 15 milhões de subutilizados a ganhar abaixo do mínimo; e 11 milhões de desalentados, porque desistiram de procurar emprego, além de aposentadorias ameaçadas de extinção. Especificamente, portanto, somente em 2019 e neste ano de 2020 cerca de 5 milhões de postos de trabalho foram extintos, a evidenciar, por sua vez, que apesar da pandemia da covid-19 concorrer para a perda de postos de trabalho, desde 2015 e após o golpe de 2016 a economia brasileira desceu ladeira abaixo.

Vale ressaltar, também, que o partido golpista da Lava Jato, subalterno aos EUA, e a imprensa comercial e privada de concessão pública (leia-se Globo e suas congêneres) cometeram crimes gravíssimos de lesa-pátria, a exemplo da destruição das indústrias de base, como as de construção civil, naval e de carnes, além de as hidrelétricas, o setor nuclear e muitos segmentos da agricultura brasileira, que por serem ideologicamente aventureiros e  ideologicamente preconceituosos, estão a dar com os burros n’água, o que é muito bem feito para ter vergonha na cara em um aprendizado feito de dores no bolso, falências e lágrimas de sangue.

Entretanto, cabe acusar, denunciar e responsabilizar o bando da Lava Jato para que cada membro golpista dela seja punido conforme seu comprometimento com o golpe de estado e a destruição da economia do Brasil, afinal são dezenas de milhões de desempregados, o orçamento da saúde e da educação irresponsavelmente congelados por 20 longos e perversos anos, a entrega do Pré-Sal à gringada malandra e esperta, cujos lucros seriam destinados à saúde e à educação do povo brasileiro, bem como o fim da diplomacia soberana e independente do Brasil perante a comunidade internacional.

A criminosa e traidora Lava Jato fez o pior e sempre soube o que fez. Sua obra de combate à corrupção teve como plataforma a sustentá-la a própria corrupção, de maneira que ela pudesse perseguir, humilhar, tutelar e prender apenas os políticos de um partido, sendo que, evidentemente, outros políticos de partidos que sustentavam o governo também seriam investigados para dar uma conotação falsa de imparcialidade, sendo que a Lava Jato foi criada e estabelecida para combater o Partido dos Trabalhadores e suas principais lideranças, além de influir ilegalmente nas eleições presidenciais. Esta é a verdade.

Este é o propósito fundamental da Lava Jato, cujos membros, levianos, parciais e inconsequentes, terão de responder por seus incontáveis crimes, pois inesquecíveis suas vulgaridades, mentiras e patifarias somadas aos seus sentimentos de classe social — a luta de classe — e preconceitos que envergonhariam bandidos.

A Lava Jato é antes de tudo e qualquer coisa golpista, entreguista e traidora, enfim, um lixo moral. Ela e seus integrantes são uma tragédia anunciada, que apresentou sua face diabólica desde o golpe, pois um movimento subalterno praticado por um consórcio de direita composto por generais, procuradores, delegados, juízes, empresários, políticos e empresários, a terem a imprensa de mercado como sua porta-voz de ações mais do que efetivas.

Os golpistas midiáticos da Lava Jato contaram ainda com o apoio e a presença de uma classe média despolitizada, que foi às ruas sem reivindicações e pautas pré-estabelecidas, mas com o propósito de derrubar lideranças trabalhistas e de esquerda, que deram acesso aos bens de consumo para os pobres, sendo que as empregadas domésticas passaram a ter o direito de assinar a carteira de trabalho. Simbolicamente o fim do resquício da escravidão retratado na pequena senzala das casas e apartamentos: o quartinho de empregada. E esta realidade doeu demais nas almas carcomidas e presunçosas da burguesia e pequena burguesia, que no fundo consideram a escravidão uma glória conquistada pela superioridade europeia. Vade retro!

Além do mais, dentre outras considerações, os governos de esquerda promoveram as cotas para negros, índios e portadores de necessidades especiais; receberam grupos como catadores de materiais recicláveis e LGBTQI+ em pleno Palácio do Planalto; legalizaram as terras indígenas e de quilombolas, além de efetivarem programas como Luz para Todos; PAC 1 e 2; Minha Casa, Minha Vida; Bolsa Família; Pronatec; Mais Médicos, dentre muitos outros programas, além de obras como hidrelétricas, recuperação de rodovias e a transposição do Rio São Francisco, que a burguesia brasileira sempre boicotou durante dois séculos, a fim de ter o controle eterno da água e, obviamente, manter os trabalhadores dependentes de seus interesses.

Todo esse processo gigantesco de recuperação da economia e criação de empregos fez com que o PT vencesse quatro eleições e ganharia a quinta com Lula após oito anos de Dilma no poder. Porém, a direita brasileira não reconheceu a quarta vitória e o incompetente e irresponsável playboy das Alterosas, cuja alcunha é Aécio Neves, que até os dias de hoje conseguiu escapar da cadeia, foi à tribuna do Senado anunciar que seria dado um golpe, porque o PSDB estava inconformado, na verdade, com sua incompetência eleitoral e ausência de projeto para apresentar ao País, e, por sua vez, optou-se pelo rompimento com a democracia, o estado de direito e com a Constituição. E assim foi feita a ruptura institucional e constitucional para que a direita voltasse ao poder, já que por meio de eleições seria naquele momento derrotar o Partido dos Trabalhadores.

E todo mundo sabe como terminou essa cafajestada perpetrada por verdadeiros canalhas tucanos, que tiveram o apoio de outros partidos de direita e a cumplicidade mal disfarçada de certa esquerda, a exemplo do PSOL. O MDB traiu Dilma Rousseff, o Congresso traiu a nação, os magnatas bilionários de imprensa repercutiram e fortaleceram com fakes news, que eles hipocritamente criticam, as sandices e os crimes da Lava Jato, a ter o juizeco de primeira instância, Sérgio Moro, a cooperar, de forma cabal e contundente, com a ascensão do fascista ignorante de terceiro mundo, Jair Bolsonaro, cuja alcunha é Bozo, que faz alusão a um palhaço, que aparecia na tevê nos anos 1990. Apenas isso e nada mais... Coitada da nação cujo mandatário é o Bozo, este um palhaço sem graça, perverso, ditatorial e desajuizado.

Enfim, passaram-se sete anos desde que um bando de reacionários vestidos de verde e amarelo foram às ruas fazer micaretas ao tempo que sabiam o porquê estavam a vociferar: NÃO ACEITAVAM A ASCENSÃO SOCIAL DOS POBRES e NEGROS! Esta é a questão primordial. Não existe dúvida.  Trata-se da pior classe média do mundo, pois a mais fascista, conservadora e hipócrita, pois é a maior responsável pela crise moral deste País. Onde tem roubo e corrupção tem gente de classe média, tanto no setor público quanto no privado.

Aliás, os altos funcionários de estatais e de grandes empresas, bem como os que serviram na Lava Jato e outros órgãos do Judiciário e do MPF são de classe média e uma coisa que a Lava Jato fez sem cerimônia foi corromper o processo institucional, constitucional, eleitoral e partidário do País. Usou a finalidade de combater a corrupção com ações e atos corruptos ou corrompidos e, por seu turno, tornou-se vítima de sua própria corrupção. Os procuradores, juízes e delegados da Lava Jato ainda responderão por seus crimes. Nada como o tempo e a história. É isso aí. 

 

 
22
Jul20

Lava Jato é golpista e entreguista, traidora e lixo moral

Talis Andrade

pre sal entreguismo .jpeg

 

 

por Davis Sena Filho

- - -

Quando eu penso no bando da Lava Jato e na súcia que se formou internamente e em seu entorno, principalmente no que diz respeito aos seus mais fiéis e ativos aliados e cúmplices de golpes e crimes, a imprensa corporativa de negócios privados e setores corrompidos da Justiça e MPF, fico a lamentar profundamente como este País, por intermédio das lideranças de suas instituições de Estado, das mídias de mercado e de uma sociedade racista e reacionária se dispuseram, a qualquer preço e custo, a demolir a democracia, a Constituição e, por conseguinte, o Estado de Direito.

Enterraram-se a si mesmos e hoje se enfrentam ferozmente, em luta sem água e trégua no campo da direita, a denotar que o Estado nacional é o butim do olhar dos vendilhões e traidores do Brasil, bem como a política econômico-financeira de um sujeito brutal e impiedoso, além de irresponsável, como o Paulo Guedes, tornou-se a ponte que une a direita fragmentada em seus vícios e idiossincrasias, que evidenciam a ausência de empatia com os interesses do Brasil e de sua população, porque a efetivar uma política antinacional, antipopular e antidemocrática, a exemplificar, sem sombra de dúvida, os motivos e os objetivos de mais um golpe de direita acontecido na história do Brasil, desta vez no ano de 2016.

Quero asseverar que o único propósito que mobiliza, irremediavelmente, a dividida direita brasileira é o draconiano processo ultraliberal de pilhagem e pirataria, que causa graves transtornos ao País, a ser comandado por economista historicamente ultrapassado do naipe do ministro Guedes e a ser garantido pela caserna, cujos generais se prontificam a realizar um trabalho vergonhoso e vexaminoso, que desconstrói o Estado nacional e sabota suas empresas públicas, a prejudicar impiedosamente os interesses dos trabalhadores e aposentados.

O modelo econômico ultraliberal, que fracassou e demoliu as economias dos países desenvolvidos por quase 15 anos, assim como empobreceu seus povos. Porém, a partir de 2016, ano do golpe, o modelo neoliberal volta ser imposto ao Brasil com maior severidade do que nos tempos dos tucanos de FHC — o Neoliberal I —, por meio de um golpe de estado perpetrado pela malta de canalhas do vice-presidente Michel Temer, a ser este indivíduo corrupto e estúpido atroz um dos maiores traidores da história do Brasil.

A implementação de tal modelo econômico de exclusão e entrega das riquezas e do patrimônio público brasileiro foi o principal motivo para levar à deposição da legítima e constitucional presidente Dilma Rousseff, além de enfraquecer e extinguir os programas de inclusão e proteção social, a retirar e congelar também, e brutalmente, recursos orçamentários de educação, saúde e meio ambiente, assim como permitir que grupos empresariais urbanos e rurais, muitos deles financiadores de bandos armados, ataquem e prejudiquem frontalmente os segmentos sociais minoritários e hoje sem vozes ativas, a exemplo dos índios e quilombolas, além dos assassinatos de lideranças sindicais, comunitárias e partidárias, geralmente vinculadas ao espectro político de esquerda. (Continua)

05
Jul20

Moro é a farsa como ato de fé e o ex-andor de um governo fracassado

Talis Andrade

 

moro inquisição.jpeg

por Davis Sena Filho

- - -

“As palavras só confirmam o que já se sabia do personagem: como juiz, indigno; como político, medíocre; como pessoa, lamentável". (José Sócrates, ex-primeiro-ministro de Portugal ao rebater o ex-juiz Sérgio Moro, que o acusou de ser criminoso). *Sócrates não responde por crime nenhum na Justiça portuguesa.

Só para relembrar sobre as ações malévolas e maledicentes do ex-juiz de província e de primeira instância Sérgio Moro - O Homem Muito Menor. 

O bate-pau da burguesia tupiniquim, indelevelmente atrasada e amante do retrocesso, que destruiu a indústria naval e de construção brasileiras, prendeu injustamente o ex-presidente Lula, mesmo a saber que ele é inocente, com o propósito de afastá-lo ilegalmente da corrida presidencial. 

Além de todas essas maquinações dignas de verdugo de terceiro mundo, o ambicioso e desmedido magistrado violou a Justiça, descumpriu a Constituição, subordinou-se criminosamente aos interesses do FBI e do Departamento de Estado dos EUA, cooperou decididamente para o golpe de estado contra a legítima e constitucional presidente Dilma Rousseff, além de ajudar a eleger o fascista e entreguista Jair Bolsonaro, cuja alcunha é Bozo.

Logo após a eleição das fake news pró-Bolsonaro, o juiz e ativista político de direita com problemas cognitivos se tornou o ministro da Justiça do desgoverno ultraliberal e colonizado de extrema direita. Isto mesmo, Moro encarcerou Lula sem provas e ganhou a parte de seu butim junto a Bolsonaro: o cargo de ministro da Justiça e, quem sabe, ser ministro do Supremo. E todo mundo sabe e viu o que ele ganhou do mandatário fascista...

Sérgio Moro é prejudicial à saúde do Brasil e deveria estar na cadeia, a pagar por seus inúmeros crimes, desde os tempos do megaescândalo bilionário do Banestado até sua atuação altamente questionada como chefe do bando da Lava Jato, composto por procuradores e delegados vaidosos, politicamente conservadores e sedentos de notoriedade, poder e ascensão social, a ter a mentira, a traição e a parcialidade descaradas como plataformas ideológicas, políticas e profissionais, a realizarem ações persecutórias e sistemáticas como atos de (má) fé.

18
Fev20

Heleno é general de um Exército elitista e golpista, cujo generalato odeia os pobres e serve aos ricos

Talis Andrade

Resultado de imagem para charges general augusto heleno haiiti

 

por Davis Sena Filho 

Generais, lembrai-vos de Cité Soleil!  

O general Heleno sempre foi oficial língua solta e sem controle. Trata-se de um destemperado, cujos caráter e índole agressivos servem como ponta de lança para as diatribes do fascista Jair Bolsonaro e dos milicos que tomaram conta do Palácio do Planalto, sonho e desejo de 30 anos, que se realizaram com a ascensão de um brucutu fascista ao poder, que hoje serve tal qual a um lacaio aos interesses do governo dos Estados Unidos, da burguesia nacional e da banca internacional e doméstica.

Heleno é movido pelo ódio de classe e ideológico, como a maioria dos generais, pois DNA histórico aprendido em suas escolas em diversos níveis, além de se comportar como um celerado, inclusive publicamente, quando considera que tem que interceder por meio de violência verbal para combater os motivos e contestações que fazem os opositores ao desgoverno fascista e incompetente de Bolsonaro, o qual ele serve como se fosse um pitbull.

A violência é seu modus operandi, a exemplo do Haiti, quando tal general hidrófobo determinou a invasão da maior favela da capital Porto Príncipe pelas tropas militares que comandava, razão pela qual aconteceram inúmeras mortes, além de muita gente ferida. Com a mesma violência esse militar despreparado para tratar de questões políticas complexas, ataca o ex-presidente Lula, porque é o porta-voz feroz do capitão Jair Bolsonaro, que, autoritário e inimigo do povo brasileiro, como comprovam suas ações econômicas, previdenciárias e trabalhistas de seu desgoverno, o escala para combater o político trabalhista onde quer que vá, com o intuito ainda de desqualificar tudo o que o político mais importante do Brasil pensa, age e fala.

Tal general é completamente despreparado e desqualificado para tratar das questões brasileiras complexas, como o é a grande maioria dos generais terceiro-mundistas, que transformaram as forças armadas em corporações policiais, em uma estratégia pensada, estudada e efetivada para garantir os interesses do status quo nacional e, consequentemente, consolidar o domínio do establishment estrangeiro no Brasil, tanto no que dispõe sobre programas e projetos estratégicos de infraestrutura, tecnológicos e de soberania, quanto no que é relativo ao maior País da América Latina implementar uma política diplomática dependente, além de abandonar sua tradição multilateral, como sempre foi, inclusive nos governos da ditadura militar (1964/1985).

Trata-se de um ódio a Lula incompreensível e irracional, até porque esses generais que compõem o desgoverno fascista, antinacional, antirrepublicano e antipopular ascenderam profissionalmente, galgaram cargos e receberam recursos para as forças militares dos governos petistas como nunca antes aconteceu na história deste País. Nem comida para os soldados esses generais arrogantes de despreparados politicamente tinham para alimentar as tropas, quanto mais dinheiro para financiar projetos militares de grande interesse estratégico que hoje estão todos parados, após o golpe contra a presidente legítima e reeleita democraticamente, Dilma Rousseff.

O general Augusto Heleno é um poço de rancor, ressentimento de ódio contra o PT e sua principais lideranças, notadamente o Lula. Ele agora, depois de fazer um monte de cagadas no Haiti e, com efeito, ser destituído de seu cargo de comandante, envereda para o deboche e a falta de respeito que, por sinal, esse sujeito não tem por ninguém que pense diferente das idiotias dele. Na verdade, trata-se de um obcecado ideológico, que vive ainda nas décadas de 1950/1960, quando EUA e URSS atingiram o auge da Guerra Fria.

Os generais brasileiros reencarnam o anticomunismo, mas não passam de servidores públicos a serviço de interesses empresariais e do governo dos Estados Unidos, porque ligados umbilicalmente ao Tio Sam. Um “amor” inexplicável e um desejo de serem parte da alta burguesia que passa a ser um problema tragicômico. Por sua vez, todo o governo trabalhista ou de esquerda que assume o poder por meio do voto, como aconteceu na história do Brasil, esses generais analfabetos políticos e aliados do sistema de capitais se tornam fortes críticos e começam um processo de combate político, com direito a todos tipo de ataque, que deixariam um moleque envergonhado.

Leia o que disse o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Augusto Heleno, ex-chefe das tropas da Missão de Estabilização da ONU no Haiti (Minustah) sobre a visita de Lula ao Papa Francisco no Vaticano: “Parabéns ao Papa Francisco pelo gesto de compaixão. Ele recebeu Lula, no Vaticano. Confraternizar com um criminoso, condenado, em 2ª instância, a mais de 29 anos de prisão, não chega a ser comovente, mas é um exemplo de solidariedade a malfeitores, tão a gosto dos esquerdistas”.

Dizer o quê sobre as palavras desse estúpido, de uma radicalidade tão irracional quanto sua desastrada ação como chefe da Minustah, no Haiti. Compaixão é uma palavra que tal milico destemperado não compreende e jamais compreenderá. Compaixão é tudo o que ele não aprendeu nas escolas militares e na vida, como comprova sua péssima atuação à frente do GSI. Aliás, até agora somente o sargento preso na Espanha, por causa de carregamento de drogas encontrado em um dos aviões da Presidência da República, pagou por este crime, que, evidentemente, não se encerra com a prisão do militar subalterno, que obviamente não é o chefe maior de tal ação criminosa. O general Heleno tem de explicar pelo menos sua incompetência nesse caso, como ocorreu com ele também no Haiti.

Entretanto, o que chama mais a atenção é que esse general, tal qual ao ex-juiz de província, Sérgio Moro — o Homem Muito Menor —, que prendeu o Lula sob a acusação de “fatos indeterminados”, ou seja, sem provas de ele ter incorrido em malfeitos e depois foi servir ao seu principal adversário, o Bolsonaro, é que tal indivíduo da boca grande e língua maledicente não se indigna com a liberdade de políticos corruptos que frequentam o círculo do fascista Jair Bolsonaro, que são do PSL, MDB, DEM, PSDB, além de empresários corruptos que apoiam o seu patrão.

É verdade. O fascista e político do baixo clero, Jair Bolsonaro, chegou ao poder por meio de ações ilegais, a exemplo das fake news e da parceria e cumplicidade de juízes, procuradores, delegados da PF, que entraram de cabeça na política para combater os governos trabalhistas do PT e suas principais lideranças, a ter a Lava Jato como a principal base de ações e atos espúrios, ilegais e criminosos, como comprovam as denúncias do The Intercept, além de todo mundo, que tem ao menos um neurônio a funcionar, percebe que o sistema de Justiça, PF e MPF conspiraram para derrubar os governos do PT, bem como perseguem covardemente até hoje suas principais lideranças.

Aí fica esse general pretensioso, irresponsável, desajuizado, de extrema direita, cujos conselheiros principais são o ódio e o ressentimento contra quem combate e denuncia o pior e mais perverso governo após a redemocratização do Brasil, com todos os índices econômicos e sociais negativos, que está a desmontar o estado nacional, a entregar suas estatais estratégicas e indutoras do desenvolvimento e a retirar direitos dos trabalhadores, estudantes, aposentados, das minorias e dos pobres, de forma sistemática e covarde, a se comportar como se tudo estivesse a mil maravilhas.

Porém, a verdade é que o Brasil vivencia uma crise econômica e moral sem precedentes, além de a sociedade estar indelevelmente dividida por causa de gente inconsequente desse governo radical à direita, de interesse empresarial, e que tem em suas fileiras um militar agressivo e autoritário a mandar na GSI. General Heleno: tu és um membro do desgoverno mais covarde, entreguista, mentiroso e incompetente da história da República, com igual desonra ao desgoverno do abjeto, traidor e golpista Michel Temer, que mostrou o caminho do desmonte do Brasil ao governo odiento de Jair Bolsonaro — o Fascista.

Enquanto o general da GSI fica a falar um monte de bobagens, deboches e insultos dignos de um bárbaro criado em caserna, o Papa Francisco recebe um homem que foi perseguido caninamente por agentes do Estado brasileiro que, tal qual a pequena burguesia, são aliados dos ricos e se juntam mais uma vez na história do Brasil para efetivar um golpe de estado, desta vez pelo instrumento do lawfare e não pelas armas, o que significa que o Direito e o sistema judiciário são usados como ferramenta de combate político, a ter juízes, policiais e procuradores, com a participação nos bastidores do golpismo de generais, sendo o Congresso Nacional o indutor do golpe, pois colocou a mão na massa na deposição de Dilma Rousseff.

Agora, vamos à pergunta que não quer calar: Por que o ex-presidente Lula e sua família não possuem altas somas de dinheiro e patrimônio valioso, como afirmam os meganhas e togados da Lava Jato e dos tribunais inferiores? Eles são os criadores do PowerPoint leviano e mentiroso de Curitiba, bem como gravaram e divulgaram ilegalmente conversas entre presidente e ex-presidente, assim como gravaram criminosamente os advogados de Lula, dentre incontáveis crimes e ilegalidades que cometeram e somente a história um dia irá contar, sem perdão e mentiras.

São golpistas criminosos do establishment e por isto, creio eu, jamais serão severamente punidos por cometerem crimes em série de traição contra o Brasil, a democracia e a Constituição. E um País desenvolvido esses bárbaros celerados estariam presos e perderiam seus empregos e as polpudas pensões e aposentadorias, pagas regiamente, sem quaisquer perdas, porque estão no pico da pirâmide do serviço público e, com efeito, ficaram de fora da criminosa e covarde reforma da Previdência, que não é “reforma”, mas roubo descarado do dinheiro e da paz dos trabalhadores. Ladrões! A reforma da Previdência é o mega roubo dos muitos roubos que um povo já sofreu com a aquiescência dos políticos, dos militares, dos juízes, dos procuradores e dos policiais. Ladrões!

É fácil de comprovar, mas como essa gente criminosa usa seus cargos no poder público pago pelo contribuinte não comprova os crimes imputados a Lula, teve de mentir, distorcer, violar o Direito, a Constituição e, consequentemente, a democracia e o Estado de Direito. O general Augusto Heleno sabe disso? É evidente que sabe, mas quer poder e apoiou mais um golpe na república bananeira pertencente há séculos à “elite” de tradição escravocrata, que ele e tantos outros generais representam e sempre representaram, no passado, no presente e o farão no futuro, porque os centuriões da República, sem quaisquer compromissos com a Nação brasileira. Tanto não tem empatia com os interesses do País, que apoiam as retiradas de direitos, a demolição da economia e o desmonte do Estado nacional. Ponto.

A verdade é o Lula incomoda e seu encarceramento injusto, surreal e covarde foi, sobretudo, para impedi-lo de ser presidente e, por sua vez, no poder bloquear a entrega do Brasil e a extinção de direitos, notadamente a proteção aos pobres. Esses bárbaros encastelados no poder congelaram por 20 anos os investimentos no Brasil, bem como estão diminuindo selvagemente o Estado para que os brasileiros não tenham acesso aos impostos que geram empregos e renda, porque quando o Estado investe, o beneficiado pelos investimentos é o povo. E é exatamente isto que os ricos da iniciativa privada e os poderosos do poder público não querem e por isto combatem o desenvolvimento do povo brasileiro, a fim de ter mão de obra barata e mais dinheiro e poder entre eles.

O Brasil pós-golpe é o butim da direita e extrema direita, que estão no poder. Essa gente vai raspar e varrer o País, conforme deixa claro e sem dúvidas o inimigo das empregadas domésticas, dos trabalhadores e os pobres, o draconiano Paulo Guedes — o cruel e irresponsável chicago boy dos tempos do assassino general Augusto Pinochet. O general Augusto Heleno calado é um poeta. Nunca vi um ser tão bronco e desprovido de sensatez e ponderação. Quando foi destituído do seu desastroso comando no Haiti a pedido da ONU, tomou um ódio pelo PT e suas lideranças. O fato real é que o Papa Francisco e o Lula não estão nem aí para que esse sujeito pensa ou deixa de pensar.  

Jamais e em hipótese alguma um membro do desgoverno fascista e entreguista de Jair Bolsonaro falou em povo, trabalho e emprego. Nunca se importaram com saúde, educação e moradia. Essa gente não tem em suas gavetas um único projeto de desenvolvimento e soberania para o Brasil e povo brasileiro.

A violência e o desprezo são incomensuráveis e inenarráveis. E os generais, a exemplo do Heleno, são servidores públicos pagos pelos contribuintes. São partes intrínsecas desse desgoverno bárbaro e inimigo dos interesses do Brasil. Trata-se da geração de generais mais alienada e completamente doutrinada pelos interesses norte-americanos e empresariais. É tão ridículo quanto perigoso ter nas fileiras das forças armadas generais privatistas e que estão no poder pelos simples fato de ter poder, e nada mais. Heleno é general de um Exército elitista e golpista, cujo generalato odeia os pobres e serve aos ricos.

Enquanto isso, em Roma, Lula afirmou: “A ganância dos interesses empresariais e financeiros é responsável pela revogação de conquistas dos trabalhadores e pelo aumento da desigualdade no mundo. O mundo está ficando mais desigual e a maioria dos trabalhadores está perdendo direitos. Muitas das conquistas que tivemos, no século XX, estão sendo derrubadas pela ganância dos interesses empresariais e financeiros”. É isso aí.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub