Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CORRESPONDENTE

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil

O CORRESPONDENTE

23
Mar22

Deltanl, embora condenado ficou milionário. Ele e a família Dallagnol

Talis Andrade

dallagnol por geuvar.jpeg

 

 

247 – O repórter investigativo Joaquim de Carvalho avalia que a condenação do ex-procurador Deltan Dallagnol a indenizar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em R$ 75 mil pelo episódio do powerpoint ficou barata para um personagem que enriqueceu com a Lava Jato, processo que destruiu 4,4 milhões de empregos no Brasil, além da própria credibilidade do sistema de Justiça. Joaquim também lembra que Dallagnol sai milionário desse processo de destruição da economia nacional:
Joaquim de Carvalho
Tem q pagar pelo mal que fez ao País, e também ao sistema de justiça. Mas hj tem 2 apartamentos, de um andar cada um, a família comprou 4 franquias da Hering e, segundo site de Curitiba, em outubro estava surfando nas Ilhas Maldivas. O Brasil empobreceu, mas enriqueceu.
 
Ficou rico Dallganol! e a famiação, de uma tacada só recebeu milhões e milhões. Dallagnol até escondia dinheiro em banheira. 
 
Escreveu o jurista e ex-procurador Lenio Luiz Strek: Dallagnol "tentou uma fundação de bilhões". Dinheiro depositado pela "vítima" em uma conta gráfica na Caixa Economica Federal de Curitiba, no primeiro mês de Sergio Moro super ministro da Justiça e da Segurança Púlica, em 30 de janeiro de 2019. Dois e meio bilhões, repetindo, 2 bilhões e mais de 500 milhões. Dinheirama ao deus-dará para gastança de Dallagnol. 
Lenio Luiz Streck
Dallagnol se diz “injustiçado”. Ora, ele escapou barato. Pintou e bordou. Ganhou dinheiros com palestras em conflito de interesse. Tentou uma fundação de bilhões e levou chinelada do STF. Na Europa estaria preso. Agora o STJ fez ele literalmente PAGAR pelos seus atos!
 
Reportagem de Vinicius Souza, em Jornalistas Livres: 
 
Cousa recente.
Família latifundiária do ex-procurador chefe da Lava-Jato tem laços estreitos com a política e com altos setores do judiciário.
 
Prima de Deltan Dallagnol, advogada Ninagin Prestes Dallagnol, recebe uma indenização de R$ 17 milhões por uma desapropriação de terras feita pelo Incra.
 
No mesmo dia, o irmão dela, Belchior Prestes Dallagnol, ganhou R$ 9,5 milhões. A mãe de Ninagin também foi beneficiada no mesmo dia, mas com um valor mais modesto: R$ 1,6 milhão.
 
Agenor Dallagnol, tio de Ninagin e pai de Deltan, foi outro beneficiado: recebeu R$ 8.8 milhões. 
 

 

13
Nov21

Operação Lava Jato fez o Brasil perder R$ 172 bilhões em investimentos

Talis Andrade

moro demolidor destruidor.jpeg

 

 

4,4 milhões de empregos foram destruídos

O impacto da Operação Lava Jato, comandada pelo ex-juiz Sérgio Moro e pelo procurador Deltan Dallagnol, dissolvida no mês passado pelo MPF (Ministério Público Federal), foi desastroso para o país. É o que indica o estudo científico elaborado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômico) a pedido da CUT.

O levantamento foi desenvolvido durante um ano e é o primeiro a usar dados oficiais da Lava Jato e estatísticas consolidadas da área econômica. 

O estudo aponta que a Operação provocou o fechamento de 4,4 milhões de postos de trabalho, sendo mais de um milhão só na construção civil. Além disso, fez o Brasil perder R$ 172 bilhões em investimentos, o que representa 40 vezes mais do que Lava Jato diz ter recuperado. Caso esses investimentos tivessem sido concretizados, haveria acréscimo positivo de 3,6% no PIB (Produto Interno Bruto) de 2014 a 2017.

Com a operação, o país deixou de arrecadar R$ 47,4 bilhões de impostos, sendo R$ 20,3 bilhões em contribuições sobre a folha de pagamento, além de ter reduzido a massa salarial do país em R$ 85,8 bilhões.

Os dados foram apresentados pelo presidente da CUT, Sérgio Nobre, e pelo coordenador técnico do Dieese, Fausto Augusto Júnior.

Sérgio lembrou que o movimento sindical sempre alertou que apenas os empresários envolvidos deveriam ser punidos e não os trabalhadores, as empresas e o país.

“A maneira como a Lava Jato tratou as denúncias foi de uma exposição negativa sem precedentes. O que uma empresa tem de mais importante é a sua marca e ninguém faz contrato com uma empresa que está todos os dias nas manchetes como corrupta e irregular. As pessoas têm que ser investigadas, mas os empregos precisam ser preservados”.

O dirigente destacou ainda que Lava Jato dizimou a Petrobras e as respeitadas empresas de construção civil brasileiras. Com relação à estatal, disse que foi com claro intuito de preparar a privatização.EUA assumem usar "corrupção" como arma contra rivais — PT no Senado

“A Petrobras é uma das mais importantes do mundo, um instrumento de desenvolvimento do nosso país, é uma empresa importante e estratégica, mas a Operação Lava Jato não pensou nisso. Não podemos permitir que eles falem que quem quebrou o Brasil foram os governos progressistas, esse discurso está servindo para fatiar a Petrobras e entregar o patrimônio do povo brasileiro”.

“Ninguém em lugar nenhum do mundo faz essa destruição sem servir a interesses internacionais, essa é uma questão importante que tem que ser investigada. A operação Spoofing vem mostrando que a Lava Jato tinha um claro projeto político e foi responsável pela eleição de Bolsonaro”.

“Esses números são impressionantes e precisam ser objeto de debate e investigação, é importante que a classe trabalhadora saiba quem quebrou o Brasil”, completou o presidente da CUT.Odebrecht, a multinacional verde e amarelo que a Lava Jato destruiu - CTB

O coordenador do Dieese explicou detalhes de como foi elaborado o estudo e lembrou que os números são só uma parte do problema.

“Muitos dos dramas que vivemos hoje começaram em 2014. O endividamento da Petrobras começa em 2014, a Lava Jato destruiu a imagem da empresa e fez crescer a taxa de risco das ações. O fato de hoje a gasolina chegar a R$ 8 e um botijão de gás custar quase R$ 135 tem a ver com a Lava Jato”.

Sérgio Nobre afirmou que apresentará o estudo aos presidentes da Câmara e do Senado e aos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal). Um livro com o material completo está sendo produzido para divulgação nacional e internacional.

Impactos no emprego e na economia

• Fechamento de 4,4 milhões de postos de trabalho

• Perda de R$ 172 bilhões em investimentos. É 40x mais do que a Lava Jato diz ter recuperado

• Com os investimentos perdidos, haveria acréscimo de 3,6% no PIB

• Brasil deixou de arrecadar R$ 47,4 bilhões de impostos, sendo R$ 20,3 bilhões em folha de pagamento (Previdência Social e FGTS)

• Menos dinheiro na economia. Reduziu a massa salarial em R$ 85,8 bilhões.

Fonte: Estudo CUT-Dieese

demolidor petrobras.jpg

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub