Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

03
Jan21

Bolsonaro recebe premio de maior corrupto no mundo, e seu criador Sergio Moro de mãos vazias

Talis Andrade

por Emanuel Cancella

- - -

Bolsonaro é eleito 'Pessoa Corrupta do Ano' por consórcio internacional de mídia (1). Ninguém tem duvidas do mérito do premio, mas causa indignação a indiferença dos premiadores ao ex juiz Sergio Moro. Sem Moro não existiria Bolsonaro.

E verdade seja dita Bolsonaro reconheceu o trabalho do ex juiz, Moro, tanto que como retribuição lhe deu a chefia do ministério da Justiça e ainda a promessa de indicá-lo   ministro do STF (7).

Com certeza os organizadores da homenagem a Bolsonaro não sabem da proeza inédita no mundo do ex juiz Moro.

Numa clara intenção de beneficiar Bolsonaro o cara prendeu Lula, sem provas na véspera da eleição, líder em todas pesquisas. E assim como Dilma que foi empixada segundo o senador Romero Jucá com STF com tudo (2). 

Lula também foi preso com STF com tudo, pois vejam: A Nossa Constituição Federal não admite prisão em segunda instancia e se calou na prisão de Lula (3).   E o The Intercepet Brasil com áudios denunciou vários ministros do STF cumpliciados com a vaza jato.  

- Quanto ao ministro Edson Fachin, dissera Deltan Dallagnol após encontro com o ministro do STF, denunciado em áudio pelo Intercepet: “ Aha uhu o Fachin é nosso”. (4)

- Já o ministro Fux: “O procurador, que afirma no trecho ter sido o interlocutor com Fux, disse que estava satisfeito com o resultado da conversa. No trecho, o ministro do STF Teori Zavascki, morto em acidente de avião em 2017, também é citado.

“O ministro Fux disse quase que espontaneamente que Teori fez queda de braço com Moro e viu que se queimou, e que o tom da resposta do Moro depois foi ótimo. Disse para contarmos com ele para o que precisarmos, mais uma vez”, afirmou (5)”.

- Ministro Barroso: “Diálogos obtidos pelo "The Intercept" e divulgados por Reinaldo Azevedo apontam que ministro do STF, Luís Roberto Barroso, passou a funcionar como orientador de procurador da Lava Jato (6)”.

Além de prender Lula o principal adversário de Bolsonaro para garantir sua vitoria, o ex juiz Sergio Moro foi premiado pela Globo (8). Acho que temos que pedir revisão do premio o mundo não conhece o ex juiz Moro!

Fonte: 1 - https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2020/12/30/bolsonaro-e-eleito-pessoa-corrupta-do-ano-por-consorcio-internacional-de-midia.htm

2 - https://operamundi.uol.com.br/samuel/47554/com-o-supremo-com-tudo-quem-e-romero-juca-o-resolvedor-geral-da-republica

3 - https://agenciabrasil.ebc.com.br/justica/noticia/2019-11/segunda-instancia-condena-lula-17-anos-de-prisao-em-caso-de-sitio

4 - https://www1.folha.uol.com.br/poder/2019/07/aha-uhu-o-fachin-e-nosso-disse-deltan-apos-encontro-com-o-ministro-do-stf.shtml

5 -  https://www.redebrasilatual.com.br/politica/2019/06/intercept-revela-novo-escandalo-no-fux-eu-confio-diz-moro-a-dallagnol/

6 - https://www.redebrasilatual.com.br/politica/2019/09/vaza-jato-lacos-dallagnol-barroso/

7 - https://brasil.elpais.com/brasil/2019/05/12/politica/1557677235_562717.html

8 - http://g1.globo.com/hora1/noticia/2015/03/juiz-sergio-moro-vence-premio-faz-diferenca-como-personalidade-do-ano.html

31
Dez20

'Corrupto do Ano': Bolsonaro vira meme após ganhar 'prêmio' internacional

Talis Andrade

bolsonaro-pessoa-corrupta_Prancheta-1-scaled.jpg

 

 

Por Pablo Rodrigues /Sputnick

O consórcio internacional OCCRP elegeu Bolsonaro o "Corrupto do Ano", tendo "vencido por pouco" de Trump e Erdogan. O "prêmio" deve ter pegado o presidente do Brasil de surpresa, ainda mais pelos memes que estão surgindo.

A premiação, organizada pelo Projeto de Reportagem sobre Corrupção e Crime Organizado (OCCRP, na sigla em inglês) e votada por jornalistas investigativos e centros de mídia independente de todo o mundo, contou com o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, no "pódio" da "pessoa do ano no crime organizado e na corrupção".

Tendo "vencido por pouco" dos presidentes dos EUA, Donald Trump, e da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, Jair Bolsonaro acabou não só "levando o prêmio para casa", mas ocasionando o surgimento de hashtag, embalada por críticas e memes.

Entre os assuntos mais comentados no Twitter nesta quinta-feira (31), a hashtag #BOLSONAROCORRUPTODOANO está dando o que falar.

Quando a corrupção acabou no Brasil.

​Bolsonaro está em todas.

​Corra, Forrest!? Ops... Bolsonaro.

​É campeão!

​De cara no caminhão do lixo.

​Pedido dado é pedido realizado.

​Como faz?

​Driblando a vacina.

Imagem
27
Abr20

Biografias impudicas

Talis Andrade

MORO historia.jpg

 

 

O exercício vazio das retóricas de Jair Bolsonaro e Sergio Moro, além de descortinar o jogo sórdido e indecente das relações nada republicanas, expõe suas biografias

por Henrique Matthiesen 

- - -

Todo ser vivente possui uma biografia: seja ela, digna, honrada, decente, honesta ou não, a descrição da vida é inerente a própria vida que tem historicidade.

Os maiores genocidas, os gângsteres, os bandidos, todos sem exceção, trazem consigo suas biografias, assim como os antônimos adjetivados.

Na atual crise que vivenciamos, seja pandêmica, econômica, ou política os atores que a protagonizam escrevem irreversivelmente suas biografias, até porque, é uma imposição da própria existência.

Nada mais inconteste do que a força da história e a narrativa das biografias ao seu tempo, sua era e de seus ciclos. E é exatamente isso o que assistimos em meio a crise dos iguais protagonizada pela política pátria: a transformação do Estado brasileiro em mero apêndice dos mais lascivos e nefastos interesses de seus representantes.

O exercício vazio das retóricas de Jair Bolsonaro e Sergio Moro, além de descortinar o jogo sórdido e indecente das relações nada republicanas, expõe suas impudicas biografias.

Fato que não há o que se contestar e que ambos, de forma indistinta, estão honrando suas torpes biografias. Nada, absolutamente nada, se mostra decente, digno e honesto nesta disputa.

biografia moro.jpg

 

O afloramento dos instintos mais primitivos, a revelação nada incomum do uso do Estado para defesa e proteção da delinquência familiar do presidente e as chantagens e uso dos meios mais abomináveis de Sergio Moro para atingir seus propósitos, honram indiscriminadamente o que sempre foi usual para ambos.

Nesta briga não há inocentes. Assim como não há decência. Tanto Jair Bolsonaro como Sergio Moro comungam das mesmas concepções torpes de uma amoralidade inerente àqueles que não têm limites e daqueles que enxergam o Estado como instrumento necessário para aprazar suas ambições e seus crimes.

São biografias construídas na cumplicidade da margem delinquente, do compadrio mais vil de um monopólio midiático e ideologicamente reacionário, e hoje, vítima dos próprios monstros criados.

Biograficamente carregam em suas digitais a destruição de um país, a catástrofe sanitária,  a captura do Estado por milícias e bandidos de colarinhos brancos, em uma era de ignorância, ódio e retrocessos.

É mais do que correto que o senhor Sergio Moro ao se despedir do seu mito, dizer que o faz por sua biografia. Biografia pequena, de uma historicidade torpe, de ações amorais, de vaidade excessiva, e de uma subserviência conveniente às transgressões de seus aliados da hora, e revelou também em suas digitais biográficas o senhor Sério Moro, toda a sua face pérfida e seu profundo desprezo pela fonte a qual se lambuzou. Um homem só, que não se importa com os meios para chegar aos seus desígnios traçados. A deputada federal Carla Zambelli que o diga.

Já Jair Bolsonaro é exatamente mais do mesmo. Nenhuma novidade, nenhuma evolução, nenhuma surpresa. Jair Bolsonaro sendo o Jair Bolsonaro de sempre: corrupto, medíocre, grosseiro e inapto.

moro-apresenta-provas-contra-bolsonaro-a-globo-zam

moro-apresenta-provas-contra-bolsonaro-a-globo-zam

 

 

 
01
Mar20

Sérgio Moro, um juiz que não é juiz. E sim um criminoso

Talis Andrade

Mais grave do que ter criminosos na política

é ter criminosos no Judiciário

 

Por Bo Sahl
comentário no post Xadrez do apoio da mídia a Sérgio Moro, por Luis Nassif

 

1) Um juiz seletivo já não é juiz. É político e/ou corrupto abusando de autoridade concedida pelo Estado.

2) Um juiz que investiga e acusa não é juiz. É parte.

3) Um juiz que autoriza condução coercitiva de qualquer um (se for um ex-presidente, mais grave ainda!), à disposição da Justiça, sem antes sequer convidá-lo a prestar depoimento, não é juiz.

4a) Um juiz que intercepta conversa telefônica qualquer SEM AUTORIZACÂO judicial (dele mesmo!), não é juiz. Comete crime, portanto é criminoso.

4b) Um juiz que intercepta conversa telefônica com uma autoridade PRESIDENCIAL, com ou sem autorização judicial (dele?) não é juiz. Comete crime, portanto é criminoso.

4c) Um juiz que DIVULGA uma interceptação telefônica em processo de investigação sob sigilo, de qualquer um (quanto mais um ex e um presidente), ainda que TIVESSE autorização judicial, não é juiz. Comete crime, portanto é criminoso.

5a) Um juiz que intercepta conversas telefônicas de advogado de um processo seu, não é juiz. Comete crime, portanto é criminoso.

5b) Um juiz que intercepta toda uma CENTRAL telefônica de advogados de um processo seu não é juiz. Comete crime, portanto é criminoso.

6) Um juiz que mesmo sem ser questionado declara que não entrará para a política e depois de condenar o candidato líder nas pesquisas e deixa de ser juiz para entrar na política convidado pelo beneficiado daquela condenação, não é juiz. Apenas um mentiroso.

7) Um juiz que articula com uma das partes para fortalecê-la e rejeita repetidamente pedidos e provas da outra parte, tratando-a como inimiga, não é juiz.

Por quê a míRdia defende Moro? Porque ela trabalhou juntinho com ele e sua “quadrilha” judicial (MPF e TRF-4) para conduzir o processo a fins políticos comuns, vazando publica e defendidamente os processos (até mesmo antes das fases de investigações), com o fim de influenciar a opinião pública à seu favor e contra investigados, indiciados e réus selecionados.

A maior evidência de que Moro não é juiz é que para a míRdia e a opinião publica, o EMBATE com Lula não era contra o MPF (acusador), mas contra o próprio juiz, que é OBRIGATÓRIAMENTE NEUTRO até o julgamento, pois ele não pode acusar, mas JULGAR, acusando ou absolvendo de acordo com as provas e a lei.

Nem precisa(va) de vaza-jato para constatar que este pseudo-juiz é até criminoso. Ou ligações ilegais e suspeitas com instituições estrangeiras, publica e confessadamente envolvidas na “operação”.

Mais grave do que ter criminosos na política é ter criminosos no Judiciário.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub