Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CORRESPONDENTE

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil

O CORRESPONDENTE

13
Dez21

A metáfora da ganância

Talis Andrade

 

bezerro de ouro.png

 

por Márcio Santilli /Ninja

A semana passada foi marcada pela polêmica escultura de um touro de ouro, que foi colocada, sem qualquer autorização da prefeitura, no calçadão da Rua 15 de novembro, onde fica o edifício-sede da Bolsa de Valores de São Paulo. A obra, que foi promovida por Guilherme Benchimol, presidente do conselho da XP-Investimentos, é um plágio de outra similar, que fica em Wall Street, diante da Bolsa de Nova Iorque. Dias depois, a escultura teve que ser removida por decisão da Comissão de Proteção à Paisagem Urbana, vinculada à Secretaria de Urbanismo.

Benchimol criticou a decisão: “um dos maiores absurdos que já vi. O touro é um símbolo mundialmente conhecido pela sua virilidade e prosperidade. Um ícone da força do mercado de capitais mundial”. Recebeu apoio de outros atores do mercado financeiro, que também acham mais do que normal interpor a significativa escultura no passeio público, já que é público e notório o apreço que a maior parte das pessoas tem pelo dinheiro. Na lógica deles, se réplicas da Estátua da Liberdade podem estar diante de lojas da Havan, e há estruturas grotescas, como a do bandeirante Borba Gato, expostas em avenidas de São Paulo, por que alguém deveria implicar com um touro de ouro?

O deputado Eduardo Bolsonaro, que teve mais de um milhão de votos em São Paulo, criticou a prefeitura – comandada por um político de direita, Ricardo Nunes (MDB) – dizendo que a remoção do touro “atende às demandas da esquerda”. Eduardo também acha que se há uma escultura de um touro de ouro em Wall Street qualquer pessoa pode colocar outra, mesmo sem autorização, na maior cidade do Brasil.

 

“PROSPERIDADE”

No mercado financeiro, o touro representa “otimismo e a força dos investidores”. Essa metáfora surgiu para se referir à alta nos papéis, quando os preços estão subindo: “bull market” (mercado do touro). Só que, no Brasil, a Bolsa caiu 27,9% em 2021, o PIB anda de lado há anos e a renda se concentra cada vez mais nas mãos de poucos. Enquanto isso, a doença, o desemprego, o endividamento e a fome atormentam milhões de pessoas. O “nosso” touro aterrissou numa hora imprópria.

Os meus críticos dirão que não há hora imprópria para prosperar e que, ainda que sejam poucos os atuais privilegiados, todos necessitam do dinheiro para sobreviver e muitos o têm como um valor inerente às suas vidas. Sendo assim, a escultura interposta aos transeuntes da 15 de novembro seria um símbolo universal do que a maioria acredita e deseja.

De fato, a superação do estado de miséria para o de sobrevivência digna também pode ser entendida como prosperidade. Mas a prosperidade dos pobres só é aceita socialmente se cumprir o papel de reproduzir a miséria, como o dízimo que locupleta falsos pastores ou o auxílio emergencial do estado. Mesmo nestes sinistros tempos de pandemia, agravada pelo egoísmo e pela negação da ciência, a disposição de dar dinheiro a quem precisa é tida como suspeita e associada a algum interesse inconfessável – até mesmo pelos eventuais beneficiários.

A prosperidade de alguns contra os outros, ou a que favorece poucos excluindo cada vez mais gente, não tem o mesmo sentido positivo e está associada à ganância e ao egoísmo. Notem que as suspeitas dos que adoram o touro de ouro em relação ao bom uso do dinheiro revelam que, no fundo, eles sabem que a sua divindade é perversa, em essência.

 

ANTIGAMENTE

bezerro de ouro.png

É duro termos que encarar a resiliência histórica de certas crenças e sentimentos humanos, mas também é difícil dissociar a simbologia do touro de ouro daquela narrativa bíblica sobre o bezerro de ouro. Parece até que a humanidade patina, há milênios, no mesmo pântano ético. Ou que precisou desse tempo todo só para transformar o seu bezerro em touro.

Naquele tempo, Moisés ficou estupefato quando desceu o Monte Sinai com a Tábua dos Dez Mandamentos e flagrou o seu povo fazendo oferendas e sacrifícios em adoração a um bezerro de ouro. Irado, ele perguntou a Arão, que o substituiu como líder na sua ausência, o que lhe haviam feito os judeus para que ele os levassem a cometer tamanho pecado. Ao que Arão respondeu: “Não te enfureças, meu senhor; tu bem sabes que esse povo é propenso para o mal”.

Moisés não se limitou a confinar o bezerro num depósito, como se fez com o touro em São Paulo. Derreteu, moeu e diluiu o ouro em água, determinando que todos a bebessem. Eu sugiro que, se houver mesmo ouro ou qualquer substância de valor na escultura do touro, que seja convertida em alimentos para os moradores de rua da cidade. Sugiro, sobretudo, que as pessoas percebam – logo – que, quando se chega ao ponto de infernizar até o clima da Terra, torna-se indispensável substituir o dinheiro pela ética nas relações entre nós, como condição de sobrevivência.

09
Dez21

"O Brasil segue sendo um dos países com maior desigualdade social e de renda no mundo"

Talis Andrade

dia-internacional-dos-direitos-humanos.png

Manuela d'Ávila no Twitter

j bosco direitos humanos.jpg

 
 
Manuela
Agora sim uma escultura que representa o que o povo brasileiro está passando: fome e desemprego! A "vaca magra" é da artista Márcia Pinheiro e foi instalada em frente à Bolsa de Valores.Image
Para o ministro da saúde, a liberdade vale mais que a vida. Será? Confiram um trecho da minha entrevista para o MyNews. A íntegra você confere no vídeo da jornalista Myrian Clark:

ImageImagewww.brasil247.com - { imgCaption }}

www.brasil247.com - { imgCaption }}

"Em 2022 nós precisamos de unidade, humildade e pé no chão. Humildade porque vai ser uma batalha difícil e existe uma máquina poderosa que joga sujo. Unidade porque se diante disso não tivermos unidade quando teremos? E muito pé no chão e conexão com o nosso povo".

"Eles vão ampliando e naturalizando a violência e fazem isso porque sabem que vozes como a da Daiana, da Karen, da Bruna, da Laura e do Matheus, aqui em Porto Alegre, são o caminho do futuro".

"Eles buscam argumentos para legitimar uma política centrada no extermínio da população brasileira. Mais de 600 mil famílias não vão passar o Natal com seus amores porque esses amores morreram durante uma pandemia que vitimou o nosso país de Norte a Sul."

"O que me espanta é essa naturalidade com que as instituições veem parlamentares sendo ameaçados, sempre pela extrema direita, e são sempre as mulheres e homens de esquerda os ameaçados, e continuam agindo como se nada tivesse acontecido."Image

Já é natal no posto de saúde de Santa Teresa, Rio de Janeiro  Que acharam dessa árvore feita com os vidros vazios das vacinas contra a covid-19?  #vacinajáwww.brasil247.com - { imgCaption }}

Ao escolher não cobrar comprovante de vacinação de estrangeiros que entram no Brasil, Bolsonaro decide colocar nosso país no centro do negacionismo mundial e põe em risco a vida dos brasileiros expostos a novas variantes. Genocida.
www.brasil247.com - { imgCaption }}
 
O Brasil segue sendo um dos países com maior desigualdade social e de renda no mundo, é o que indica o estudo do Laboratório das Desigualdades Mundiais.
24
Nov21

Já removeram o touro dourado da B3; falta remover Paulo Guedes e a corja

Talis Andrade

 

 
 
A Bolsa de Valores (B3) retirou o Touro de Ouro colocado em frente ao seu prédio sede em São Paulo. A saída aconteceu depois que a Prefeitura multou a empresa responsável pela obra, por falta de licença urbanística.
 

O touro foi embalado em plástico para que não fosse danificado. Ainda não há informações para qual local a estátua será levada. Depois que foi retirado, a porta principal da B3 foi atingida por tinta vermelha.

De acordo com a Prefeitura, a instalação não teve autorização, e infringiu os artigos 39 e 40 da Lei Cidade Limpa. O valor da multa é definido pela Subprefeitura da Sé, responsável pela área onde estava o monumento.

A Comissão de Proteção à Paisagem Urbana (CPPU), órgão da Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento (SMUL), que é formada por representantes do poder público e membros da sociedade civil, entendeu que a escultura tem caráter promocional. Um dos idealizadores, Pablo Spyer, tem o apelido de “Tourinho”, e fundou a companhia de educação financeira Touro Inc.Image

 

 

17
Nov21

Estátuas de plástico da Havan são mais grotescas do que o touro dourado

Talis Andrade

 

Por Moisés Mendes /Jornalistas pela Democracia

O touro dourado da Bolsa de Valores, plantado sobre a calçada, no centro de São Paulo, é a expressão rococó do bolsonarismo financeiro que pretende produzir “arte simbólica”, mesmo que muito mal copiada.

Mas o touro não é mais ofensivo nem mais bizarro do que as réplicas de plástico da estátua da liberdade das lojas do véio da Havan espalhadas pelo Brasil.

O touro é uma agressão a um espaço público. O poder do dinheiro pode o que os sem-dinheiro nunca poderiam. Joga na calçada, com naturalidade, uma figura imposta pelo que pretende representar, mas nada representa,

O touro dourado da Bolsa é um deboche com a própria Bolsa. Há muito tempo não é nesse reduto que o capitalismo brasileiro se expressa. A Bolsa não significa nada como forma de captação de recursos, potencialização de negócios e partilha de ganhos.

A Bolsa só partilha blefes. O capitalismo de empresas abertas no Brasil é um boi castrado alquebrado, não é um touro. As bolsas de outros países prosperam, aqui a Bolsa definha.

O touro dourado está no contexto de um país destruído pelo subcapitalismo miliciano bolsonarista. Mas, em relação à réplica da estátua da liberdade, há um atenuante. O touro pode ficar ali na calçada só por três meses, conforme concessão da prefeitura.

As réplicas grotescas da estátua da liberdade poderão ficar até o fim dos tempos. São reproduções permanentes, algumas desproporcionais em relação à original, sem qualquer vínculo e sem sentido em relação ao ambiente em que apareceram como assombrações.

O touro pode, por imitação, dizer que está ali tentando jogar as ações brasileiras para o alto, mesmo que seja sobre a cabeça de Paulo Guedes.

Há uma intenção de falar de interesse coletivo no touro dourado. Mas as estátuas do véio da Havan significam o quê? A imposição do marketing e do gosto do véio da Havan.

Em cidades com códigos de postura razoáveis, conquistados depois de décadas de arbitrariedades em terras sem lei, a estátua é uma agressão ao espaço urbano. Não apenas estética, mas cultural e política.

Uma réplica da estátua da liberdade não deveria onde foi colocada em nome de presumidas liberdades dos moradores. Liberdades de quem?

Ninguém mais, sem poder econômico, conseguiria erguer estátuas ou totens semelhantes em lugar algum, por que as leis e as regras do bom senso urbano não permitiriam.

É inimaginável que, na maioria das cidades brasileiras, algum comerciante consiga erguer réplicas de Batman, Mickey, Shrek, mesmo no mais privado dos espaços.

As réplicas erguidas pelo véio da Havan estão fora do lugar e não têm outro significado se não o da imposição de uma ideia econômica. Conviver sem reação com as estátuas é mais do que aceitar que as cidades assumam um jeito jeca de ser.

É se submeter ao olhar de fora que invade os costumes, os espaços e a história locais em nome de uma marca, apenas isso. Ou alguém imagina que as estátuas verdes de até 50 metros de altura sejam capazes de inspirar consciências cívicas e mensagens e ações edificantes? Até o touro dourado sabe que não.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub