Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

15
Dez19

Renhida disputa no bestialógico

Talis Andrade

Desde seu início, o governo Bolsonaro surpreendeu e chocou pelo baixo nível cultural de seus componentes e pelas opiniões tresloucadas de seus mentores. Sob certo aspecto, parecia a composição burlesca de um teatro de comédia com palhaços chinfrins. Mas apenas parecia – porque o palco desse teatro bufa era o governo do Brasil

moro olavo tv globo pato fiesp bolsonaro TUTUBARAO

 

por Haroldo Lima

Pairava acima do grupo governamental tido como “ideológico”, a figura alucinada de um chamado guru que vivia nos Estados Unidos como uma assombração, deitando falação sobre uma porção de coisa, esbanjando ignorância, petulância e palavrão.

ri-merda olavo.jpg

 

E assim foi-se constituindo o governo. No ministério do Exterior aboletou-se um diplomata de terceiro escalão que acha que fascismo e nazismo foram movimentos de esquerda, o que constrangeu o próprio Museu do Holocausto de Israel e o governo alemão; no ministério da Educação foi posto um ser para quem universidades públicas “fazem balbúrdia” e devem ter seus orçamentos cortados; no Meio Ambiente uma figura condenada em primeira instância em São Paulo por improbidade administrativa, por ter favorecido a uma mineradora em detrimento do meio-ambiente; no ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos uma mulher que começou suas atividades recomendando que “meninos vistam azul, e meninas, rosa”, expondo um anacronismo cultural que dá pena.

Mas, nos últimos dias, Bolsonaro suplantou-se na capacidade de indicar para seu governo pessoas rudemente atrasadas, desconhecidas e de um reacionarismo exacerbado.

RACISMO minorias.jpg

 

O tipo que indicou para defender a cultura negra na Fundação Palmares, Sérgio Camargo, acha que “não há salvação para o movimento negro. Precisa ser extinto! Fortalecê-lo é fortalecer a esquerda”. E mais: o Dia da Consciência Negra, que “celebra a escravização de mentes negras pela esquerda, precisa ser abolido”. Negro, provocou a repulsa imediata de seu irmão Wadico Camargo, que veio a público declarar “Tenho vergonha de ser irmão desse capitão do mato”.

Para a presidência da Fundação Nacional das Artes (Funarte), órgão que cuida do fomento às artes visuais, à música, ao teatro, à dança e ao circo, Bolsonaro nomeou, em 2 de dezembro passado, um tal Dante Mantovani, que disse, entre outras barbaridades, que os Beatles eram comunistas e que “o rock ativa a droga, que ativa o sexo, que ativa a indústria do aborto. A indústria do aborto, por sua vez, alimenta uma coisa muito mais pesada, que é o satanismo. O próprio John Lennon disse abertamente que fez um pacto com o diabo para ter fama”. Uma estultice completa.

O Mantovani investiu ainda contra o musical da abertura da Olimpíada do Rio, em 2016, criticando os clássicos da música popular brasileira interpretados por Caetano Veloso, Gilberto Gil e Anitta, entre outros.

Nos seus ataques diversificados, Mantovani abre uma exceção para a banda Angra. O baixista da banda, Felipe Andreoli, correu para dizer: “Quanta ignorância, quanta desinformação – e que vergonha ter minha banda citada em associação a esse cara”.

Finalmente, nesse mesmo dia 2, também foi nomeado para a presidência da Biblioteca Nacional um Rafael Nogueira, que se considera “aspirante de filósofo” e aluno do boquirroto “ideólogo” que mora em Virgínia, o Olavo de Carvalho. Descobriu-se que o Rafael, em 2017, examinando causas do analfabetismo entre nós, avaliou que uma das razões é a existência de “livros didáticos cheios de músicas de Caetano Veloso, Gabriel O Pensador, Legião Urbana”.

A nomeação de pessoas desse naipe para cargos da maior importância na administração federal enche-nos de vergonha, e nos envergonha perante o mundo. De cambulhada com tudo isso vem a estúpida desconfiança da ciência, a crítica a cientistas como Einstein, Darwin, Newton, e as considerações ridículas sobre o “terraplanismo”, a teoria de que a Terra é plana.

A coisa chegou a um ponto tal que o juiz Emanuel Guerra, da 18ª Vara Federal do Ceará, considerando o atrevimento e o deboche de um presidente que nomeia para chefiar um órgão de defesa da negritude uma pessoa que insulta os negros, resolveu suspender a nomeação de Sérgio Camargo para a presidência da Fundação Palmares. O magistrado escreveu que as declarações do Camargo se constituíam “em frontal ataque às minorias cuja defesa, diga-se, é a razão de existir da instituição” que ele iria presidir.

Tudo isso mostra que caímos muito, nos enredamos num pântano humilhante e sórdido.

calados governo.jpg

 

Bolsonaro age com total irresponsabilidade nessas nomeações. Nem ele mesmo sabe quem são as pessoas que nomeia. Ante o vexame que causou a nomeação do Sérgio Camargo para a Fundação Palmares, foi logo se explicando: “Não o conheço pessoalmente”.

O Camargo foi barrado porque houve protestos vários, que respaldaram o recurso jurídico contra o despotismo obscurecido.

A disputa pela vanguarda do bestialógico é grande. Mas na frente mesmo, isolado, está o comandante do espetáculo, o Bolsonaro.

 

seja-franco bolsonaro cultura.jpg

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub