Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil

O CORRESPONDENTE

12
Mai20

Quando Bolsonaro vai revidar os ataques mortais de Moro?

Talis Andrade

juiz-sergio- moro  -grampo.jpg

 

Bolsonaro e Moro pautam a esquerda brasileira. 

Todo santo dia, Bolsonaro larga um besterol para os jornalistas no curral do Palácio do Planalto. Conversa fiada que vira manchete da imprensa. Papo furado de quem foge dos assuntos sérios. Até deputados e senadores dos partidos de esquerda aceitam a retórica presidencial. Lereia que diverte o povo.

Transcrevo do portal 247: O jornalista Reinaldo Azevedo mostra que o ex-ministro Sergio Moro utiliza as mesma “táticas midiáticas de quando era juiz aliado [de Jair Bolsonaro]”. Ele publicou texto do ex-ministro em que diz que “nota-se o jeito de Moro de ser”. Por comprovar em publicação, que o vídeo da reunião ministerial confirma suas declarações, apesar do depoimento ainda ser sigiloso (a postagem de Moro foi feita antes da divulgação do conteúdo do vídeo pela imprensa).

Azevedo diz que “mais uma vez, [Moro] usa um vazamento a serviço de uma tese sua, como sempre fez quando juiz”. “Ou seja, tudo aquilo que fazia contra Lula, o PT e outros partidos ou políticos, como se nota, faz agora contra Bolsonaro, embora as situações sejam bem distintas: afinal, desta feita, o Ministério Público não atua como um simples subordinado seu, e ele não detém, no caso, os poderes de juiz”, ressalta o colunista.

Ele continua afirmando que o ex-ministro “continua habilíssimo na arte de mobilizar o noticiário” e que “Bolsonaro e Moro resolveram ter uma relação marcada pela fidelidade entre serpentes”. Segundo o jornalista, Moro “roeu a corda quando Bolsonaro decidiu afrontar o subordinado que se entendia como chefe do chefe”.

Moro passou a ser mais oposicionista do que qualquer líder de esquerda. Bate mais duro. Que Bolsonaro não sabe como revidar. Cousa fácil de fazer. Era só investigar as bandidagens de Moro nos ministérios da Segurança e da Justiça. É só seguir o dinheiro. Inclusive nos presídios.

O jornalista Marcelo Auler está publicando uma série de reportagens que mostram os crimes praticados por delegados em Curitiba. Tem até suicídio de delegado, perseguido por ser considerado dissidente entre os lavajatistas, entre os moristas. Em sendo dissidente, com certeza um louco.

Se tem safadezas mil na Superintendência do Paraná outras existem por esse Brasil misterioso, desconhecido, que jamais pune os abusos de quem investiga, fiscaliza, multa, julga, condena e prende. 

Reportagem de Natalia Viana mostra como Sergio Moro abriu as porteiras do Brasil para o FBI, para a Cia, para os serviços estrangeiros de espionagem. Basta uma leitura nos acordos assinados de quinta-coluna. Nos acordos de lesa-pátria assinados por Moro, por Maurício Valeixo. Em nome do nacionalismo, bandeira esquecida das esquerdas das campanhas do Petróleo é nosso. Era. Que até Lula fez leilões no Pré-sal. Cinco leilões empata com Fernando Henrique. Dizem que foram seis.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub