Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

21
Jun19

Pilger: é hora de salvar o jornalismo

Talis Andrade

Há uma guerra global pelo controle de informações. Divulgá-las provoca fissuras no sistema, como já fizeram Assange e Greenwald. O direito a saber é a batalha do século. É por isso que governos autocráticos declaram cruzada contra dissidentes

Não é coincidência a estratégia montada por Moro e a equipe da Lava Jato, com apoio total do bolsonarismo. Nessa estratégia, o crime é a publicação da verdade. “As instituições” devem ser preservadas a qualquer preço. O importante não é um juiz agir politicamente em conluio com o MP para tirar ilegalmente do páreo o principal candidato a presidente do país e, portanto, ajudando a eleger quem lhe promete um ministério e uma vaga no STF. O crime, de uma hora pra outra, passa a ser o jornalista publicar como isso aconteceu! Da mesa do Senado vemos um ministro da justiça, ex-juiz federal, afirmando, sem provas, que há “um grupo de criminosos em conluio com um jornalista sensacionalista contra a Justiça e a Presidência do Brasil”. E, num instante, temos manifestações pela deportação do jornalista, ameaças de morte contra o marido e os filhos do jornalista, fake news sobre compra de mandato parlamentar do marido do jornalista ditas EM PLENÁRIO pelo senador filho do presidente e articulações nas redes por manifestações em favor do ministro que rasgou a Constituição e contra o jornalista que provou isso. Detalhe: o jornalista (Gleen Greenward) é simplesmente um dos melhores de nossa geração, com prêmios e reconhecimento mundial. Mais premiado que ele, talvez, somente o John Pilger, que está na profissão desde antes de Gleen nascer. Mas, como disse acima, não é coincidência a linha de defesa escolhida por Sérgio Moro. Os nomes de jornalistas e veículos de comunicação citados na entrevista poderiam ser facilmente trocados por nomes locais. Pilger tem denunciado isso há anos com a perseguição de Julian Assange. Nessa reportagem recentemente traduzida para o português e publicada pelo site Outras Palavras, Pilger mostra os perigos para as democracias da criminalização do jornalismo.  Respirem fundo, leiam, reflitam e repassem.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub