Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O CORRESPONDENTE

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

O CORRESPONDENTE

31
Mar20

Para liberar leitos, hospitais de Paris vão testar oxigenação dos pacientes em casa

Talis Andrade

 

RFI

Para enfrentar a epidemia do coronavírus e os casos graves que lotam as UTIs na França, os hospitais de Paris devem testar a possibilidade de oxigenar os pacientes em casa. A afirmação é do diretor-geral dos estabelecimentos hospitalares da capital, Martin Hirsch.

A iniciativa, batizada de “Covidom 02”, consiste em oxigenar os pacientes em casa com acompanhamento médico à distância e “se preparar para a próxima etapa da epidemia”, disse Hirsch em entrevista ao jornal francês Libération. “A ideia é que os pacientes possam deixar a UTI o mais rapidamente possível para que outros possam ser atendidos. Estamos estudando a possibilidade de acompanhar o estado de saúde e o nível de saturação de oxigênio em casa”, explica.

Pico da epidemia ainda é incerto

Mais de 3.000 pessoas já morreram na França vítimas do coronavírus, mas o pico da epidemia ainda não foi registrado na região parisiense. “Ainda não sabemos quando o pico vai chegar. Vai ser quando houver uma diminuição de pacientes internados nas UTIs. Por enquanto ele só aumenta”, declarou o representante dos hospitais parisienses.

Um dos temores é a falta dos medicamentos usados nos setores que recebem pacientes em estado críticoDe acordo com Hirsch, os hospitais parisienses têm reservas para apenas mais alguns dias. A boa notícia,entretanto, é que em Paris, por enquanto, existem respiradores artificiais para todos os pacientes e novos aparelhos que estão sendo fabricados devem ser entregues rapidamente.

As equipes, entretanto, estão tendo que utilizar equipamentos que nem sempre são os mais adequados, sublinha Martin Hirsch. Ele também garantiu que, por enquanto, não faltam máscarasnos hospitais da capital.

DW

França alerta contra automedicação com hidroxicloroquina para covid-19

Todos os tratamentos que estão sendo testados para curar a covid-19, doença causada pelo coronavírus Sars-Cov-2, só podem ser realizados em hospitais, alertou a Agência Nacional de Segurança do Medicamento e dos Produtos de Saúde (ANSM) da França.  

Medicamentos "que não tiveram eficácia comprovada formalmente no tratamento ou na prevenção da covid-19" só devem ser aplicados no âmbito "de testes clínicos em curso". "Em caso algum esses medicamentos devem ser utilizados para automedicação, prescrição de um médico da cidade ou autoprescrição de um médico", insiste o texto.

Segundo Dominique Martin, diretor-geral da ANSM, hospitais na França teriam constatado até 30 efeitos colaterais relacionados a medicamentos utilizados para tratar a covid-19. Esses medicamentos estão sendo testados por pesquisadores europeus.

dauphine. frança 31m.jpg

depeche. frança 31m.jpg

humanite. frança 31m.jpg

lacroix. frança 31m.jpg

sudouest. frança 31m.jpg

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub