Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

31
Out20

'Ninguém morre por ser cristão no Brasil': especialistas debatem 'cristofobia' citada por Bolsonaro na ONU

Talis Andrade

bolsonaro bíblia.jpg

Bolsonaro-cloroquina-Alvorada.jpg

 

  • Leandro Machado /BBC News

     

    Em um discurso na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o Brasil é um país "cristão, conservador e tem na família a sua base", embora a Constituição estabeleça que o país é laico e secular. Ele também fez um "apelo" à comunidade internacional "pela liberdade religiosa e combate à cristofobia."

    A fala de Bolsonaro é um aceno a sua base eleitoral evangélica. Esse segmento religioso, que representa 30% da população, é hoje uma das principais forças políticas do país e sua bancada representa cerca de 20% da Câmara dos Deputados.

    Dentro das esferas evangélicas, o termo cristofobia tem sido usado para se referir a perseguições sofridas por adeptos do cristianismo em diversos países.

    Todos os anos, a ONG internacional Portas Abertas, que auxilia cristãos que sofrem perseguição religiosa, produz um ranking de 50 países onde seguidores do cristianismo são mais perseguidos por causa de sua fé — o estudo é feito a partir de relatos de incidentes de violência. Desde que a lista começou a ser feita, há 25 anos, o Brasil nunca apareceu entre os 50 primeiros colocados.

    "Terrivelmente evangélico" foi uma expressão usada pelo presidente Bolsonaro quando questionado sobre qual seria o perfil ideal para uma indicação sua a uma vaga o Supremo Tribunal Federal.

    "Há outra perseguição que precisa ser denunciada: a perseguição dos terrivelmente evangélicos contra aqueles que não são assim. Os seguidores de Jesus de Nazaré estão sendo perseguidos pelos terrivelmente evangélicos", afirmou Araújo, que tem se mostrado uma das vozes mais críticas à aliança entre o bolsonarismo e pastores conservadores de grande igrejas.

    "Como se não bastasse, alguns 'isentões' que não querem bater de frente com os terrivelmente evangélicos, terminam, por ação ou omissão, vendendo os discípulos de Jesus de Nazaré por 30 moedas de prata", diz.

    Já Magno Paganelli, doutor em história social pela Universidade de São Paulo (USP), embora destaque que religiões afro-brasileiras sofram mais com discriminação, acredita que exista de fato uma cristofobia no Brasil, "se você considera o rigor do conceito de islamofobia, lgbtfobia e afins". (Transcrevi trechos)Image

    cloroquina jumentos.jpeg

    cloroquina bozo.jpg

     

     
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub