Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

08
Dez20

“Moro está se vendendo”, diz Marcelo Auler, sobre parecer concedido a um bilionário israelense investigado por corrupção

Talis Andrade

Marcelo Auler e Sergio Moro

 

247 - O jornalista Marcelo Auler, em participação no programa Bom Dia 247 desta terça-feira (8), analisou as últimas ações do ex-juiz e ministro Sergio Moro, que agora concedeu parecer a um bilionário israelense investigado por corrupção. Na visão do jornalista, “Moro está se vendendo em verdinhas, em dólares. Daqui a pouco, se bobear, vai estar dando parecer para traficantes de drogas”. 

Moro foi recentemente contratado pela empresa de consultoria norte-americana Alvarez & Marsal, que administra a recuperação judicial da Odebrecht, empresa duramente atingida pelas ações da Lava Jato julgadas pelo ex-juiz. 

Auler destaca que Moro “está administrando a massa falida do dinheiro que ele ajudou a falir, no caso, a Odebrecht”. 

Estranho. Muito estranho. Sergio Moro elaborou um parecer contra a Vale encomendado pelo bilionário israelense Benjamin Steinmetz. O magnata, investigado por corrupção, ingressou com uma ação para provar que a mineradora tinha conhecimento dos riscos em um contrato de exploração da mina de Simandou, na Guiné, quando celebrou o acordo com a BSG, uma de suas empresas. 

Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, Steinmetz tenta reverter uma decisão do tribunal arbitral em Londres que o condenou a indenizar em US$ 2 bilhões a mineradora Vale, que pagou ao magnata US$ 2,5 bilhões por uma mina de exploração de ferro em Simandou, na Guiné, na África.

Um ano depois da negociação, o presidente eleito Alpha Condé iniciou uma investigação nas concessões minerárias no país que teria detectado que Steinmetz pagou propina em 2008 para o ditador Lansana Conté, um militar que subiu ao poder após um golpe de estado e conduziu a nação por 24 anos.

Na visão do jornalista, Moro segue o caminho de consultor pois “zerou politicamente”. “Tudo que ele fez deu errado, foi para o governo Bolsonaro pensando que conseguiria um cargo no STF e na sequência a Presidência da República. Todos os gestos políticos dele deram errado, no momento errado e com as pessoas erradas”. 

“Até figuras como Rodrigo Maia e Luciano Huck disseram que não querem o extremismo de Moro. Por isso, não restou outra opção a Moro a não ser procurar um emprego nos EUA”, acrescentou. 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub