Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

22
Dez20

Ministro determina que inquérito sobre “venda de facilidades” na Lava Jato do Rio siga para o STJ

Talis Andrade

Alvo da PF, jovem advogado tem clientes famosos e é estrela da Lava Jato

Nythalmar Dias Ferreira Filho novo rico da Lava Jato

 

247 O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, determinou que o inquérito que apura a suspeita de “venda de facilidades” envolvendo integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato no Rio, incluindo o juiz Marcelo Bretas, seja encaminhado à Corte. Com a decisão, tomada nesta segunda-feira (22), o inquérito deixa de tramitar na 3ª Vara Criminal Federal do Rio de Janeiro. As informações são do jornal O Globo.

As investigações sobre a venda de facilidades na Lava Jato do Rio tiveram início após a Polícia cumprir mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça contra o advogado Nythalmar Dias Ferreira Filho, que possui diversos clientes que respondem a inquéritos abertos pela operação. 

A suspeita é que o advogado vendia acesso privilegiado ao juiz da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, Marcelo Bretas, além de procuradores. 

ConJur - Uma denúncia registrada em março de 2019 no Tribunal de Ética da OAB do Rio, feita por criminalistas do Luchione Advogados, afirmava que Nythalmar Dias Ferreira Filho vinha aliciando réus e investigados na operação com advogados já constituídos, sem a anuência destes. O escritório diz já ter presenciado Nythalmar "vendendo facilidades" a investigados e réus e oferecendo acordos de delação premiada.

A reclamação dizia ainda que "há rumores no meio da advocacia criminal que na ilegal cooptação estaria inclusive sendo aventada a possível 'aproximação' com o juiz e promotores da força tarefa da "lava jato", no sentido de alcançar seus objetivos". O juiz referido era Marcelo BretasCom informações da Assessoria de Imprensa do Superior Tribunal de Justiça.

Clique aqui para ler a decisão
Reclamação 41.279

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub