Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

04
Jul21

Ministério da Saúde autorizou reverendo picareta a negociar vacina superfaturada

Talis Andrade

Pastor Amilton Gomes, foi homenageado no Congresso e participou de criação de Frente Parlamentar

Pastor Amilton Gomes ao lado do senador Flávio Bolsonaro

 

O pio religioso negociava a compra de 400 milhões de doses da AstraZeneca por valor três vezes maior do que o pago no começo do ano pela quadrilha do Mininistério da Saúde

 
 
O diretor de Imunização do Ministério da Saúde, Lauricio Monteiro Cruz, está supostamente envolvido em uma negociação de compras de vacinas superfaturadas da Davati. Ao menos é o que revelam e-mails apresentados pelo Jornal Nacional neste sábado (3/7).
 Laurício Monteiro Cruz

 

Segundo o telejornal, Cruz autorizou que o reverendo Amilton Gomes de Paula negociasse 400 milhões de doses da vacina AstraZeneca em nome do governo brasileiro. A troca de e-mails entre o reverendo e a empresa norte-americana também envolviam o nome da Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários (Senah), a qual ele é fundador e presidente.

Durante as negociações, o reverendo pede uma oferta completa de venda “com o valor de US$ 17,50” e ressalta que esse foi o acordo feito em 5 de março. Esse preço é três vezes maior do que os US$ 5,25 pagos pelo Ministério da Saúde por cada dose da AstraZeneca em janeiro.

Cristiano Carvalho, representante oficial da Davati no Brasil, confirmou que recebeu os e-mails.

Linha do tempo

23 de fevereiro: o diretor do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Lauricio Cruz, enviou um e-mail para o reverendo. No texto ele agradece a disponibilidade dele e da Senah “na apresentação da proposta comercial para fornecimento de 400 milhões de doses da vacina AstraZeneca”.

Ao fim da mensagem ele pontua ainda que “todos os processos de aquisição de vacinas no âmbito do Ministério da Saúde estão sendo direcionados pela Secretaria Executiva”.

4 de março: o reverendo Amilton compartilhou fotos de uma reunião no Ministério da Saúde. No post em uma rede social ele afirma que a Senah estava envolvida em uma “articulação mundial em busca de vacinas”. Além de pontuar que uma grande quantidade de imunizantes seria disponibilizada no Brasil.

9 de março: o diretor de Imunização enviou um e-mail ao presidente da Davati nos Estados Unidos, Herman Cardenas. Nas mensagens ele afirma que Amilton Gomes se reuniu com as equipes da Secretaria de Vigilância em Saúde e Departamento de Logística para falar sobre a vacina. E que tudo foi encaminhador para a Secretaria Executiva do Ministério da Saúde.

“Por fim, esperamos que os avançoes de forma humanitária entre o Ministério e ‘AstraZenica’ pelo Instituto Nacional de Assuntos Humanitários”, escreve em um trecho.

10 de março: dessa vez quem mandou o e-mail foi Amilton, também para Herman Cardenas. No texto em inglês ele agradece por confiarem na instituição dele (a Senah) no intermédio das negociações com o Ministério. “As negociações estão em estágio final e a expectativa é que o contrato seja assinado em 12 de março de 2021”, escreveu.

11 de março: o reverendo enviou um novo e-mail explicando o papel da Senah ao presidente da Davati. Na mesma mensagem, ele soclita um representante da empresa para uma reunião no dia seguinte no Ministério da Saúde.

ReuniãoAo vivo: Nº 2 de Pazuello, Élcio Franco depõe na CPI da Covid; acompanhe |  Exame

Coronel Élcio Franco

O representante da Davati no Brasil, Cristiano Carvalho, confirmou um encontro com o então secretário executivo do Ministério, Élcio Franco, no dia 12. Também participou da reunião o presidente do Instituto Força Brasil, coronel Hélcio Bruno de Almeida.Image

Helcio Bruno de Almeida

Embora eles tenham se encontrado, o órgão não realizou a compra. No mesmo mês, em 26 de março, Franco foi exonerado do cargo.

Oferta de vacina

Em março, a organização presidida pelo reverendo Amilton Gomes de Paula ofereceu vacinas da AstraZeneca e da Johnson para governos estaduais e municipais. Na época, as doses seriam vendidas a US$ 11, cada.

O valor também era três vezes maior do que o que o Governo Federal pagaria à Fiocruz pelos imunizantes AstraZeneca. Na época o valor foi de US$ 3,16.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub