Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

O CORRESPONDENTE

20
Jun23

Lula traz credibilidade e Goldman Sachs já projeta dólar a R$ 4,40 e Roberto Campos fica menos rico

Talis Andrade
 
 
Imagem
 

Brasil voltou a atrair investimentos e um forte influxo de capital estrangeiro, o que contribui para a valorização do real, e Roberto Capos e Paulo Guedes e bolsonaristas outros podres de ricos continuam com suas empresas no exterior

 

247 – Com o Brasil retomando a normalidade e a credibilidade após a volta do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao poder, a equipe de estrategistas para mercados emergentes do banco Goldman Sachs estima que nos próximos seis meses o dólar deverá se depreciar e atingir o valor de R$ 4,40, reduzindo a projeção anterior que era de R$ 4,85. A última vez que a moeda americana esteve abaixo de R$ 4,50 foi em fevereiro de 2020, antes do início da pandemia, segundo informa o Brazil Journal.

De acordo com a Goldman Sachs, um dos principais motivos para o fortalecimento do real nos últimos meses foi a diferença de taxas de juros, levando investidores a buscar moedas de países emergentes de melhor qualidade. Além disso, questões internas também têm contribuído para a valorização do Real e espera-se que continuem influenciando nos próximos meses.

Os analistas preveem que, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) desta semana, o Banco Central deverá ressaltar a melhora da inflação, expectativas favoráveis e o fortalecimento do real. Dessa forma, existe a possibilidade de uma redução da taxa Selic em agosto. No entanto, os analistas afirmam que isso não diminui a atratividade dos juros brasileiros.

No relatório, afirmam: "Considerando o ponto de partida elevado das taxas reais e o contínuo progresso na inflação, esperamos que as diferenças de juros permaneçam favoráveis mesmo com o início da normalização monetária. O fluxo de investimentos em renda fixa continuará sendo um fator positivo para o real".

Outro fator a ser considerado é a recente melhoria na perspectiva da dívida soberana brasileira pela agência Standard & Poor's, que passou de estável para positiva. A Goldman Sachs destaca que, enquanto o cenário doméstico permanecer favorável e as taxas de juros se mantiverem altas, há potencial para que o real apresente retornos positivos nos próximos meses.

De acordo com os estrategistas, o real ainda é considerado "barato" e há espaço para que a cotação do dólar caia antes de atingir um nível considerado "justo", estimado em R$ 4,30 de acordo com o modelo do banco. Eles projetam uma cotação de R$ 4,60 nos próximos três meses, em vez dos R$ 4,90 previstos anteriormente, e de R$ 4,40 tanto em seis como em doze meses, substituindo as estimativas anteriores de R$ 4,85 e R$ 4,90, respectivamente.

 
Imagem
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub