Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

O CORRESPONDENTE

12
Set23

Jornalista quando erra admite o erro e corrige. Não é, Alexandre?

Talis Andrade

por Ricardo Noblat

Em vídeo postado no Youtube, o jornalista Alexandre Garcia, ex-TV Globo, ex-CNN, diz que “é preciso investigar que não foi só a chuva” que causou enchentes no Rio Grande do Sul e a morte de mais de 45 pessoas, fora as que estão desaparecidas.

Segundo Garcia, “no governo petista foram construídas, ao contrário do que recomendavam as medições ambientais, três represas pequenas que aparentemente abriram as comportas ao mesmo tempo. Isso causou uma enxurrada”.

“Aparentemente abriram as comportas ao mesmo tempo”? Afinal, abriram ou não abriram?

O jornal O Estado de S. Paulo checou a informação: é falsa. As três represas não possuem comportas que armazenam ou retêm água para geração de energia. Nos períodos de chuva ou de aumento na vazão do rio, a água excedente passa por cima das barragens.

Esse tipo de estrutura, chamado de vertedouro de soleira livre, afirma o jornal, não controla o fluxo dos rios e apenas escoa o excedente de água. É o que diz a Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema) do Rio Grande do Sul após ser consultada.

É o que repetem a Companhia Energética Rio das Antas e a Agência Nacional de Energia Elétrica, responsável pela fiscalização da geração de energia. É o que diz a Agência Nacional de Águas. A produção de energia é feita apenas com a força da correnteza.

A tragédia que atingiu a região serrana e do Vale do Rio Taquari foi desencadeada por um ciclone extratropical que causou ventania intensa e muita chuva. As represas tiveram seus projetos iniciados em 2001, no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Elas entraram em operação, por etapas, entre 2004 e 2009, nos dois primeiros governos de Lula. O Ministério Público Federal abriu inquérito para apurar as providências adotadas pelo governo do Rio Grande do Sul em relação às enchentes.

No domingo (10/9), o advogado-geral da União, Jorge Messias, usou as redes sociais para comunicar que acionou a Procuradoria Nacional de Defesa da Democracia contra o jornalista que teria disseminado informações falsas.

O ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Paulo Pimenta, observou ontem:

“As pessoas acham que as redes são o universo da impunidade. Estão disseminando mentiras em meio a uma tragédia, o que potencializa a dor das famílias. Devemos agir com rigor e buscar a responsabilização de quem promove e propaga fake news”.

A liberdade de expressão nada tem a ver com o caso de Garcia. É obrigação do jornalista verificar se a notícia é verdadeira antes de divulgá-la. Se é falsa, lixo com ela. Se errou passando-a adiante, peça desculpas e tenha mais cuidado.

Credibilidade é um atributo difícil de construir e fácil de perder.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub