Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

12
Jun19

Globo teme os vazamentos do Intercept

Talis Andrade

moro vaza mentoKayser.jpg

 

Por Altamiro Borges

O furo jornalístico do site The Intercept, que até justificaria mais um Prêmio Pulitzer ao seu editor, Glenn Greenwald, segue gerando pânico na chamada “República de Curitiba” e também no laranjal em Brasília. As mensagens vazadas comprovam que a midiática Operação Lava-Jato foi uma farsa jurídica, o maior escândalo da história do Judiciário brasileiro. Muitos já sabiam desses crimes, mas agora The Intercept garante as provas concretas. 

O juizeco Sergio Moro, atual “superministro” da Justiça do miliciano Jair Bolsonaro, o pateta do power point Deltan Dallagnol e outros fascistas togados montaram uma organização criminosa com o objetivo de sabotar a democracia, pavimentar o golpe do impeachment contra Dilma Rousseff e inviabilizar a candidatura do ex-presidente Lula com sua prisão política. Com o disfarce do combate à corrupção, que iludiu tantos midiotas, a Lava-Jato virou um partido político da extrema-direita, o que permitiu a eleição do fascista Jair Bolsonaro. 

Pelo que veio à público até agora – apenas 1% do material coletado em mensagens de texto, áudios e vídeos, segundo antecipa o site Intercept – já dava para mandar punir, inclusive com ordem de prisão, Sergio Moro e Deltan Dallagnol; dar imediata ordem de soltura ao ex-presidente Lula; e até abrir um processo para analisar a legitimidade das eleições de outubro passado. Mas nada disso vai ocorrer por enquanto. O Brasil ainda vive num tipo de Estado de Exceção, onde impera o abuso de autoridade e a manipulação de corações e mentes. 

Além de abalar Sergio Moro, seus “conges” e os bolsominions, o furo jornalístico também impacta os donos da mídia no Brasil. A relação promíscua entre o Partido da Lava-Jato e o Partido da Imprensa Golpista, o PIG, foi decisiva para produzir o atual retrocesso político no país. Sem a mídia falsamente moralista, o “marreco de Maringá” seria apenas um juizeco insignificante do interior do Paraná. Ele sabia disso, até escreveu sobre esse casamento com a mídia, e, ciente da impunidade, ele não vacilou em praticar tantos abusos de autoridade, em cometer vários crimes contra o Estado Democrático de Direito. 

Agora, diante dos vazamentos, a mídia monopolista está perplexa, meio perdida. Ela não sabe direito como proceder. Teme maiores estragos com as novas revelações. Uma parte, como a Folha e Estadão, já começa a jogar fora o bagaço do “justiceiro” Sergio Moro e do tapado Deltan Dallagnol – até já pede punição aos criminosos. Afinal, eles já cumpriram seu papel na regressão democrática no país e ficaram indefensáveis com os vazamentos – e não por convicção, mas com base em provas concretas. 

Já o império global está mais enrascado. A Globo apostou as suas fichas na Lava-Jato. Fez de Sergio Moro um herói nacional, concedendo-lhe prêmios e todos os holofotes. Enganou milhões de midiotas no país com o objetivo de derrotar as forças de esquerda e viabilizar a imposição do seu receituário ultraneoliberal, com privatizações, fim das aposentadorias, regressão trabalhista e outras maldades antes derrotadas nas urnas. 

vaza morogloboBerze.png

 



Desde o início dos vazamentos, TV Globo, Globonews, jornal O Globo e outros veículos da famiglia Marinho tentam blindar a Lava-Jato e preservar Sergio Moro e seus “conges”. Para o império global e seus jagunços de plantão, The Intercept cometeu crime ao “hackear” as mensagens – o que nem foi confirmado pelo site – e as acusações vazadas não têm “qualquer importância”, são meras conversas entre o juiz e os procuradores – um absurdo que é rejeitado pelo direito internacional e pelo próprio direito brasileiro. 

A tentativa de defesa do juizeco parece desesperada, sem qualquer sustentação. Fica até a sensação de que a famiglia Marinho teme que seu nome apareça em novas postagens do Intercept. Em entrevista, Glenn Greenwald já afirmou que a força-tarefa da Lava-Jato e a Rede Globo sempre foram parceiras. Ele também disse que o material que dispõe é explosivo, que as mensagens envolvem muitos interesses e forças poderosas – do Brasil e do exterior. Será que os EUA e a Rede Globo aparecerão nos próximos vazamentos? A novela fica cada dia mais emocionante. A conferir!
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub