Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

28
Jun19

Glenn responde a ameaças de Moro e diz que Brasil passa vergonha lá fora

Talis Andrade

marreco nu vaza.jpg

 

 

Jornal GGN – O jornalista Glenn Greenwald afirmou na tarde desta terça (25) que o ministro da Justiça Sergio Moro tenta criminalizar o jornalismo do Intercept e faz o Brasil passar vergonha no exterior com esse atentado à liberdade de imprensa e garantias constitucionais.

Glenn disse que o tempo todo Moro associa o Intercept a “hackers criminosos”, “falando que nós temos envolvimento” no crime resultou no vazamento. “A intenção de Moro é obvia. É uma ameaça, está tentando nos intimidar e criminalizar.”

“Quero falar uma coisa sobre isso. Eu tenho passaporte norte-americano, minha família (também) pode sair desse País a qualquer minuto. Se eu tivesse envolvimento nesse crime, eu ficaria aqui? Eu poderia sair a qualquer minuto, mas eu estou publicando esses documentos e vou ficar aqui”, disparou Glenn.

“Moro mente quando nos associa ao hacker. Ele não tem evidências disso. Ele deveria parar com essa tática porque é uma violação à Constituição brasileira. Essa tática não dará em nada, a não ser estragar a imagem do Brasil internacionalmente, porque o ministro está criminalizando o jornalismo”, pontuou.

gervasio moro marreco a fogo brando vaza.jpg

 

Moro, de acordo com Glenn, era tratado pelos procuradores como “chefe” da operação. Ele colaborava com o Ministério Público ativamente e, depois, entrava nas audiências, na presença dos advogados de defesa, e “fingia que era neutro”.

Segundo Glenn, quando ele recebeu o material de sua fonte – mantida sob anonimato – a primeira coisa que ele fez, “enquanto jornalista”, foi ler o dossiê e consultar “professores de Direitos, juristas, advocados, de direita à esquerda, mas pessoas sem perspectivas políticas fortes, para entender o material.”

camelo moro marreco.jpg

 

Leia mais: Glenn: “Não era às vezes, era o tempo todo” Moro atuando contra Lula

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub