Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

27
Mai19

Em dia de micareta fascista, negros gritam: PAREM DE NOS MATAR!

Talis Andrade

gilmar negro extra.jpg

 

 
 
Enquanto apoiadores de Jair Bolsonaro foram às ruas de várias cidades do País neste domingo, 26, defender pautas que atentam contra a democracia, como o fechamento do Supremo Tribunal Federal e do Congresso Nacional, no Rio de Janeiro, milhares de pessoas protestaram contra a matança da população negra e moradora de periferias cariocas.
 

parem mata negro .jpg

O ato Parem de Nos Matar reuniu milhares de pessoas nas ruas de Ipanema e foi organizado por movimentos em defesa do povo negro, de mães de vítimas da violência policial e movimentos sociais. O ato protestou criticou a política de segurança pública adotada pelo governo de Wilson Witzel (PSC) que já resultou em 434 apenas no primeiro trimestre de 2019, segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP).
 
Entre as lideranças ouvidas pelo 247 está a coordenadora do Movimento Negro Unificado no Rio de Janeiro, Fátima Monteiro. Ela conta que sob o argumento da "guerra às drogas", as polícias do governo do Rio de Janeiro, comandado por Wilson Witzel estão cometendo um verdadeiro genocídio.
 
"Foi declarado um estado de guerra nas favelas. Nós mulheres negras vivemos 24 horas com medo que nossos filhos saiam na própria favela. Quando a polícia entra na favela, ela entra atirando indiscriminadamente", disse Monteiro. "O projeto de extermínio da população negra está em curso. E hoje mais do que nunca ele tem avançado", afirmou.
 
A manifestação também contou com apresentações artísticas de MC Leonardo, Filhas de Gandhi, de alunos da Biblioteca Parque, Slam da Poesia, Coletivo Favela Tem Voz, entre outros. Parlamentares também marcaram presença no atividade, como as deputadas federais Benedita da Silva (PT-RJ) e Jandira Feghali (PC do B), a deputada estadual Renata Souza (Psol-RJ) e o vereador Eduardo Suplicy (PT-SP).
 
 

drone.jpg

flavio witzel.jpg

flavio bolsonaro e queiroz .jpg

arma negro violencia .jpg

negro pm arma bala.jpg

pm negro arma bala .jpg

 

 
Fonte: 247/ Tribuna da Imprensa

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub