Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil

O CORRESPONDENTE

12
Set18

É MENTIRA Lava Jato não prendeu Richa

Talis Andrade

Coordenador do Gaeco diz que não poderia se dar ao luxo de esperar período eleitoral

leonir.jpg

 Leonir Batisti

 

 

por Roger Pereira

---

O coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Paraná, Leonir Batisti, afirmou, nesta terça-feira que as prisões do ex-governador Beto Richa (PSDB) e da ex-primeira-dama Fernanda Richa (PSDB), além do cumprimento de outros 13 mandados seguiram o ritmo normal das investigações, sem terem sido adiantadas ou adiadas por conta do período eleitoral. Richa é candidato ao senado nas eleições de 7 de outubro.

 

“O ritmo de investigações é próprio. O MP não pode, quando investiga, se dar ao luxo de aguardar determinados eventos sob pena nós termos em determinado momento fechar, tirarmos férias ou aguardar outra oportunidade. O período eleitoral é um período importante, sabemos de seu significado e até das intercorrências que dele deriva, no entanto, a investigação que o Gaeco tem seu ritmo e posso assegurar que ela não é feita a fim de inibir ou perseguir ou dificultar candidatos ou candidaturas ou obter simpatia para outras posições”, disse o procurador.


O Gaeco cumpre, nesta terça-feira, 26 mandados de busca e apreensão e 15 mandados de prisão referentes à investigação sobre direcionamento de licitação e pagamento de propina nos contratos das Patrulhas do Campo – programa do governo estadual que visava a locação de equipamentos e utensílios para a conservação de estradas rurais. “Insisto que, por ora, estamos fazendo uma investigação, não existe uma acusação, em face de empresários e de autoridades do estado do Paraná, entre outras pessoas”, disse Batisti. “Nos foram trazidas informações de direcionamento de licitação mediante o pagamento de propina a agentes públicos para favorecer tal situação. O procedimento está sob sigilo de justiça e, por tal razão, não há outros detalhes”, explicou.

 

Batisti afirmou que, após a operação, o Gaeco, agora, se debruçará em analisar os documentos e objetos apreendidos e ouvir os investigados para concluir a investigação.

 

Relação com a Lava Jato

 

A prisão de Beto Richa e familiares foi ação do Gaeco, do Ministério Público do Paraná. Foi desencadeada simultânea e paralelamente com a 53ª Fase da Lava Jato, a Operação Piloto, que apura irregularidades na licitação de duplicação da PR-323.


O fato gerou desinformação, uma vez que a prisão de Richa chegou a ser entendida como pela Lava Jato. De acordo com o procurador Leonir Batisti, do Gaeco, no entanto, "ocorreu uma grande coincidência".



Disse mais Leonir Batisti: "Ninguém vai acreditar, mas foi apenas uma coincidência, uma ação não tem relação com a outra".

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub