Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

29
Mai18

DITADURA MILITAR Recordações da Casa dos Mortos

Talis Andrade

 

casadamorte.png

 

 

1

Vieram

soldados

de armas

     nas mãos

 

Vieram

soldados

de botas

     pretas

 

Gritaram forte

espancaram forte

vasculharam tudo

      tudo

 

2

Tomaram retratos documentos

Os carcereiros regiam quase tudo

Os carcereiros não podiam acorrentar

os sonhos de liberdade a doce

esperança de encontrar

a Terra Sem Mal

 

3

Acaso o corpo presunto

se conserve vivo

na câmara frigorífica

Liberto dos sequazes

o corpo defunto

escape do inferno

não há como afastar

a persistente presença

do senhor da tortura

 

Acaso o preso escape

ileso das mãos homicidas

não há como esquecer

o contato na carne

das tenazes em brasa

a comida pastosa

empurrada na boca

as unhas arrancadas

os dentes quebrados

Não há como esconder

as visíveis marcas

confundindo a alma

quebrantando o corpo

 

4

Como varrer da memória

as cenas de esquartejamento

Esquecer uma madrugada

a porta da casa derrubada

foi retirado da cama

e jogado em um negro carro

idêntico aos coches

das casas mortuárias

Uma madrugada as corujas nefastas

cobriram o céu azul com suasas negras

e metálicas

Uma noite os olhos diante

dos horrores do holocausto

quedaram macabramente inúteis

Infaustos olhos de Santa Luzia

exibidos em um prato de prata

 

5

Os olhos desbotados

pela salmoura das frias

paredes dos presídios

vazados nas masmorras

do Santo Ofício

arrancados nos porões

 

 

d a   d         d

         i         u

         t         r

d i  t  a d u r a 

u      d

r       u      

a       a  d i t a

 

Os olhos tristes

de quem sentiu

quanto (ser)vil

pode se tornar

o bicho homem

 

De Lázaro os olhos

de quem voltou

do país das sombras

querem

 

os verdes anos perdidos

o azul a paz

de longínquo cais

 

a liberdade dos espaços

brancas velas de uma jangada

no horizonte

 

pássaros velejando

o infinito

 

---

Foto Casa dos Mortos, em Petrópolis

Prisão clandestina da Ditadura de 64

Poema do livro O Enforcado da Rainha

de Talis Andrade

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub