Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

19
Set18

Dilma repudia preconceito de Mourão contra mães e avós "heroínas"

Talis Andrade

o tempo mourão contra mãe avó.jpg

Em palestra na ACSP,  o general Hamilton Mourão falou sobre as declarações dadas na segunda-feira na qual ligou famílias pobres "onde não há pai e avô, mas sim mãe e avó" a uma "fábrica de desajustados", que fornecem mão de obra ao narcotráfico.


"Um órgão de imprensa disse que critiquei as mulheres, estou apenas fazendo a constatação de coisas que ocorrem em comunidades carentes, com famílias lideradas por mães e avós, pois o homem ou morreu ou está preso, e a maioria dessas mulheres são trabalhadoras, cozinheiras, faxineiras e não tem com quem deixar seus filhos porque não tem creche e escola de tempo integral, então, essa criança vira presa fácil do narcotráfico."


"Não sou antidemocrático, se fosse não estaria disputando essas eleições, estaria em casa limpando as minhas armas."


Na palestra, ele citou ainda a prioridade, em um eventual governo de Jair Bolsonaro, da urgência de se colocar em execução da reforma da Previdência. "Estamos nos aposentando cedo demais, expectativa de vida aumentou mais 20 anos", emendou.

 

Marcelo Rubens Paiva: "Fui criado pela minha mãe e irmãs porque a ditadura matou meu pai"

 

O jornalista e escritor Marcelo Rubens Paiva repudiou a declaração do general Hamilon Mourão (PRT) sobre mães e avós.

 

"Mourão afirma nas entrelinhas que mulher não sabe criar filhos. Fui criado pela minha mãe e irmãs, porque a ditadura matou meu pai aos 11 anos, e meu avô morreu de tristeza dois anos depois. Por isso que sou um desajustado", afirmou o escritor no Twitter.

 

De acordo com o general, "a partir do momento em que a família é dissociada, surgem os problemas sociais". "Atacam eminentemente nas áreas carentes, onde não há pai e avô, mas sim mãe e avó. Por isso, é uma fábrica de elementos desajustados que tendem a ingressar nessas narco-quadrilhas".

 

Mourão afirma nas entrelinhas que mulher não sabe criar filhos. Fui criado pela minha mãe e irmãs, pq a ditadura matou meu pai aos 11 anos, e meu avô morreu de tristeza dois anos depois. Por isso que sou um desajustado.

 

"Repudiamos o preconceito de quem é indiferente ao amor verdadeiro de milhões de mulheres, mães e avós"

 

A presidente deposta pelo golpe e candidata do PT ao Senado por Minas Gerais, Dilma Rousseff, manifestou seu repúdio contra o preconceito do general Mourão (PRTB), que chamou de "fábrica de elementos desajustados" para o tráfico os lares formados apenas por mães, avós e seus filhos e netos, sem a presença de pais ou avôs.

 

"No Brasil, segundo o IBGE, há 11,6 milhões de lares formados por mulheres e seus filhos, sem a presença de cônjuges masculinos. Minha solidariedade às mães e avós que heroicamente criam os seus filhos e netos sozinhas", postou Dilma no Twitter. "Repudiamos o preconceito de quem é indiferente ao amor verdadeiro de milhões de mulheres, mães e avós. Meu respeito e admiração a todas elas", acrescentou.

 

Em evento do Sindicato da Habitação (Secovi), em São Paulo, Mourão declarou: "Família sempre foi o núcleo central. A partir do momento que a família é dissociada, surgem os problemas sociais que estamos vivendo e atacam eminentemente nas áreas carentes, onde não há pai nem avô, é mãe e avó. E por isso torna-se realmente uma fábrica de elementos desajustados e que tendem a ingressar em narco-quadrilhas que afetam nosso país".

 

Nesta terça, ele tentou consertar a declaração, mas piorou, ao atacar os homens das regiões mais pobres pobres. "Ontem, numa exposição similar a essa, em outro ambiente, eu deixei claro que esse atingimento da família é muito mais crucial nas nossas comunidades carentes, onde a população masculina ou está presa, ou está ligada à criminalidade ou já morreu, e que deixa a grande responsabilidade por levar a família à frente nas mãos de mães e avós", disse.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub