Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

O CORRESPONDENTE

19
Set18

Como exploração sem limites de areia põe em risco grão que 'transformou a civilização'

Talis Andrade

areia 1.jpg

areia 2.jpeg

areia 4.jpg

areia 3.jpg

 

Ensina a publicidade comercial: A areia para construção é um item fundamental em qualquer obra. Isso porque esse produto é versátil e pode ser usado em diversas etapas da reforma. Existem opções finas, médias e grossas, para finalidades diversas - como produção de argamassa ou reboco. Embora a areia seja um material bastante comum e conhecido, muitas pessoas não conhecem a importância de saber escolher a variedade correta na hora de planejar a construção. É fundamental utilizar a areia mais adequada para cada tipo de uso, já que o produto errado pode prejudicar a qualidade da obra e, até mesmo, ter graves consequências para a estrutura da construção. 

 

Veja os preços aqui. Compare os preços de areia, cimento, gesso e outros materiais de construção ensacados no comércio do Nordeste brasileiro.

 

Depois de pesquisar quanto custa um saco de areia você vai acreditar que é um negócio bilionário. O mercado global de areia vale US$ 70 bilhões (cerca de R$ 290 bilhões), segundo especialistas em comércio da ONU.

 

BBC publica reportagem com impressionantes dados: "Em um número chocante de países, pessoas estão sendo presas, torturadas e assassinadas por causa da areia. Ainda assim, a quantidade de areia sendo extraída em todo o mundo está aumentando - a custos terríveis para as pessoas e para o planeta".


O consumo é impulsionado pela crescente urbanização. Há temores de que a demanda pelos grãos proverbiais tenha atingido um ponto insustentável.

 

Em um relatório contundente divulgado em 2014, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) estimou que o consumo global de areia e cascalho estava "conservadoramente em mais de 40 bilhões de toneladas por ano" e alertou para questões de sustentabilidade.


"Areia e cascalho representam o maior volume de matéria-prima usada na terra depois da água. Seu uso excede em muito as taxas de renovação natural", disse o relatório.


"Essa grande quantidade de material não pode ser extraída e usada sem um impacto significativo na biodiversidade, na turbidez da água (uma das medidasde qualidade) e nos níveis. Há também consequências socioeconômicas, culturais e até políticas".

 

Grandes consumidores como Cingapura e China não conseguem o suficiente de seus mercados domésticos.


Cingapura é o maior importador do mundo, graças a um programa de quatro décadas de expansão territorial no qual a ilha recuperou terras do mar - uma área total de 130 quilômetros quadrados.


A China usou mais concreto (e mais areia) durante seu boom de construção entre 2011 e 2013 do que todo o consumo dos Estados Unidos durante o século 20, de acordo com dados da International Cement Review e do US Geological Survey. Transcrevi trechos 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub