Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil

O CORRESPONDENTE

01
Mai22

Centrais repudiam atos antidemocráticos de bolsonaristas no 1º de Maio

Talis Andrade

Ato-1-de-maio- césar xavier.jpg

 

O presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adilson Araújo, disse que a movimentação em prol de Bolsonaro e do deputado condenado Daniel Silveira é uma agressão ao Estado Democrático de Direito

 

por Cezar Xavier e Iram Alfaia

Presentes no ato unificado do 1º de Maio, neste domingo, em São Paulo, os dirigentes da CTB, UGT e CUT repudiaram os atos antidemocráticos de bolsonaritas que atacam instituições como o Supremo Tribunal Federal (STF). Já as manifestações convocadas pelas centrais têm como centralidade a defesa dos empregos, direitos e a democracia.

O presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adilson Araújo, disse que a movimentação em prol de Bolsonaro e do deputado condenado Daniel Silveira é uma agressão ao Estado Democrático de Direito.

“É uma afronta a Constituição e a causa democrática, portanto, nós devemos repudiar. Por outro lado, evidentemente, esconde-se atrás desse arroubo autoritário, a incompetência do governo genocida que não atribui valor a vida nem tão pouco ao drama que vive a maioria do povo. Cresce o desemprego junto com a fome e a indigência, um Brasil que segue colapsado”, afirmou Adilson.

O presidente da CUT, Sérgio Nobre, também considerou as manifestações fascistas mais um ataque a democracia. “Se Bolsonaro tivesse apoio força política ele já teria implantado uma ditadura. Nosso principal recado aqui na praça Charles Miller é que nós não queremos Bolsonaro”, afirmou.

De acorco dom ele, a classe trabalhadora está vivendo seu pior momento com um terço da população desempregada ou vivendo com um trabalho precário que não garante o sustento da família. “A fome voltou a atingir milhares de brasileiros, as famílias estão inteiras nas calçadas pedindo ajuda, uma cena dramática que a gente já havia erradicado no final do governo Lula”, criticou Nobre.

O presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah, disse que o 1º de Maio é um dia fundamental para unir as forças para enfrentar “o demônio e derrubar o fascismo”. “Um momento histórico para mostrar nossa indignação contra essa direita fascistas que quer se apropriar do dia para atacar a Constituição”.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub