Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

27
Dez20

Bolsonaro é falso e muito mal intencionado

Talis Andrade

Image

Mortes por Covid -19 também incidem de forma desigual na comparação entre brancos, com 157 óbitos a cada 100 mil habitantes, e negros, com 250 óbitos pela doença a cada 100 mil habitantes

por Nilto Tatto

O pouco caso do governo Bolsonaro com a vida do povo brasileiro se manifesta não apenas nos pequenos gestos, em suas declarações infelizes, mentirosas ou preconceituosas, mas também na postura institucional e nas propostas apresentadas pelo Executivo ou por sua base no Congresso Nacional. Não é por acaso que, na mesma semana em que fraudou o Plano Nacional de Vacinação, o governo federal apresentou uma resolução para zerar impostos sobre a importação de armas de fogo.

A flexibilização do porte e da posse de armas já é uma bandeira tradicional do presidente, mas extremamente perigosa para a sociedade brasileira. Uma isenção como esta, além de facilitar a entrada de armas no País, prejudica a indústria nacional e impacta diretamente na arrecadação do Estado, justamente no momento em que mais precisamos de recursos. O mais grave, no entanto, é o potencial de aumento do já elevado número de assassinatos por ano no Brasil. Anualmente, são assassinadas 57.956 pessoas, segundo o último Atlas da Violência.

necropolítica.jpg

 

Taxa de homicídios O levantamento apontou que 75,7% das vítimas de assassinatos no País são negras e 68% das mulheres assassinadas também são negras. Enquanto a taxa de homicídios diminuiu 12,9% entre não negros, entre os negros ela aumentou 11,5% na última década. Por mais infeliz que possa parecer, as mortes por Covid -19 também incidem de forma desigual na comparação entre brancos, com 157 óbitos a cada 100 mil habitantes, e negros, com 250 óbitos pela doença a cada 100 mil habitantes.

O mesmo vale para a população do campo e os povos tradicionais, cujas vidas estão cada vez mais ameaçadas, seja pela pandemia ou pelos desmontes de políticas públicas promovidos pelo governo. Isso não são apenas coincidências. Bolsonaro sabe quais são as parcelas da população que têm enfrentado as maiores dificuldades em meio à pandemia, que não diferem muito das vítimas históricas dos principais problemas sociais brasileiros. Muito poderia ter sido feito para socorrer estas pessoas, mas, ao contrário, o presidente preferiu investir em bravatas, notícias falsas, projetos equivocados e muito mal intencionados.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub