Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

12
Jul18

A nova heroína do Jornal Nacional Laurita Hilário promotora da ditadura militar de 1964

Talis Andrade

 

laurita-vaz.jpg

 

 

Rogério Correia escreve sobre "a nova personagem, tratada como heroína, plo jornal dito nacional da Globo. Laurita Hilário, promotora de Justiça do Ministério Público do Estado de Goiás de 1978, governo do general Ernesto Geisel, a 1984, governo general Figueiredo, quando ingressou no Ministério Público Federal como procuradora da República. Em 2001, foi nomeada ministra do Superior Tribunal de Justiça pelo presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), sendo candidata recomendada pelo governador tucano Marconi Perillo.

 

A nova heroína do Jornal Nacional 

globo jn ficcao.jpg

 por Rogério Correia

---

 

William Bonner continua sua cruzada pela desinformação e diz meias verdades, aquelas que são piores que as mentiras, sobre a polêmica do habeas corpus a Lula no último domingo.

 

A nova personagem, tratada como heroína, é a presidenta do STJ, Laurita Hilário. Como se sabe e todos esperavam, ela negou o HC a Lula. Para ganhar as manchetes do Jornal Nacional da Globo, foi além e criticou a decisão do desembargador Rogério Favreto, classificando-a como "inusitada e teratológica".

 

Virou protagonista da Globo, o que talvez fosse seu objetivo, embora não combine com as funções de uma magistrada.

 

Quando foi que Laurita Hilário ganhou tanto destaque na mídia? Bonner fez de conta que não era com ele, mas deveria ter informado: foi ela, a atual presidenta do STJ, quem concedeu prisão domiciliar a Roger Abdelmassih, o médico condenado por 48 estupros de 37 pacientes.

 

Em fevereiro passado, a mesma Laurita, durante o recesso do Judiciário, como plantonista, negou um pedido para que uma lactante respondesse ao processo em casa. A mulher estava presa pelo porte de 8,5 gramas de maconha. Tinha um filho de apenas um mês de idade e gostaria de amamenta-lo em casa. Laurita negou o que não negou ao estuprador de 37 mulheres pacientes.

 

Nestes tempos de golpe, estes e estas são os heróis da mídia.

 

 

 

promotora laurita hilário.jpg

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D