Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CORRESPONDENTE

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

Os melhores textos dos jornalistas livres do Brasil. As melhores charges. Compartilhe

O CORRESPONDENTE

12
Jul23

A Cara do Golpe, Capítulo 1: A reunião preparatória

Talis Andrade

bolsonaro cleaning_professional_force__paolo_calle

 

Primeiro capítulo da série recupera audiência pública realizada no Senado um mês após as eleições e que serviu como estopim para os ataques de 8 de janeiro. Sâmia chama Girão de "terrorista" por envolvimento em ações golpistas

 

Em 30 de outubro de 2022, a maioria da população brasileira escolheu Lula como seu presidente. Derrotado nas urnas, Jair Bolsonaro se comportou como era de se esperar de alguém que não respeita a democracia e se recusou a telefonar para o candidato vitorioso, reconhecendo a derrota.

O silêncio do ex-capitão era a senha que seus seguidores mais fanáticos esperavam. No dia seguinte, eles começaram a bloquear estradas, tentando provocar o caos no país. E não demorou para que começassem a se fixar em frente a quartéis do Exército, pedindo por um golpe militar.

Reuniao golpista no Senado

Foi nesse clima de tensão e de clara ameaça à democracia que, em 30 de novembro de 2022, um mês após o segundo turno das eleições, o Senado abrigou uma audiência pública que, devido ao que se falou e às pessoas presentes, pode ser considerada uma reunião preparatória dos ataques terroristas e golpistas de 8 de janeiro.

Realizada na Comissão de Transparência, Fiscalização e Controle (CTFC), a audiência foi proposta pelo senador Eduardo Girão (Podemos-CE) para “discutir o pleito no Brasil de 2022”. Mas “discutir” é um termo muito suave para o que de fato ocorreu.

No encontro, os presentes, em sua totalidade apoiadores de Jair Bolsonaro, se recusaram a aceitar o resultado das urnas. Segundo eles, a eleição havia sido “fraudada”, “injusta”, “discriminada”, “suspeita”, “parcial”, “maculada”, “não transparente”, “duvidosa”, “de mentirinha”.

O então deputado eleito Gustavo Gayer (PL-GO), por exemplo, afirmou que “simplesmente não houve eleição”. E o deputado Marcelo Moraes (PL-GO) disse haver “elementos suficientes para derrubar essa eleição”.

Tudo foi transmitido ao vivo em telões para golpistas acampados em frente aos quartéis Brasil afora. Inclusive o Quartel General em Brasília, que já abrigava — graças ao financiamento de empresários bolsonaristas que estão sendo identificados — os terroristas que atacaram os Três Poderes no dia 8.

Girão "terrorista" 

 

A sessão da CPI do MST desta quarta-feira (12) virou um intenso bate-boca após a deputada Samia Bomfim acusar Elieser Girão de "terrorista". O argumento da parlamentar surge após denúncias exclusivas da jornalista Denise Assis, do Brasil 247, apontando o envolvimento do deputado em ações golpistas.

Elieser Girão, coronel aposentado como general, foi flagrado trocando mensagens com o terrorista que tentou explodir o aeroporto de Brasília, George Washington. 

 

General anuncia semana de terror

Humor negro. O general aposentado deputado Girão anunciou a bomba no Aeroporto de Brasília como um presente de Natal. Inclusive divulgou a senha mórbida: coloque sapatinhos na janela. Veja vídeo reportagem dos jornalistas Marcelo Auler e Leonardo Attuch.

Tem outro general Girão, o senador, que promoveu a reunião doutrinária de 30 de novembro no Senado Federal, o que também nao deixou de ser uma piada macabra de quem pretende um golpe que vai depor um presidente eleito e fechar o Congresso. 

Os terroristas pretendiam no dia primeiro de janeiro matar o presidente Lula que derrotou Bolsonaro no primeiro turno. E no segundo. O plano falhou.

No dia 8 de janeiro prentendiam golpear o Brasil. O plano falhou.

 
Antigas fake news
 

Durante mais de 11 horas de audiência, antigas mentiras inventadas por eles mesmos foram repetidas para “comprovar” sua aloucada tese de eleição “fraudada”. O ex-ministro de Bolsonaro Fabio Wajngarten recuperou o factoide de que rádios deixaram de veicular a campanha do ex-presidente derrotado.

Já o youtuber argentino de extrema direita Fernando Cerimedo ganhou espaço para repetir sua já desmoralizada denúncia sobre indícios de fraude nas urnas eletrônicas.

Outras “provas” seriam o “fato” de os institutos de pesquisa manipularem dados e a fake news de que o ex-presidente do TSE Roberto Barroso teria dito que “eleição não se ganha, eleição se toma”. Desmentida desde agosto (veja vídeo abaixo), essa frase foi citada como sendo verdade ao menos quatro vezes.

No fim, o quadro pintado era o de que o Brasil vivia um estado de exceção, expressão empregada mais de 20 vezes por diferentes participantes. E o culpado por essa “ditadura” era o Poder Judiciário, que não só interferira no processo eleitoral como estaria “perseguindo” e “censurando” a direita brasileira.

Dando força a essa tese, o advogado e professor Ives Gandra Martins, espécie de guru jurídico dos que defendem a tomada de poder pelos militares, ganhou espaço de destaque na audiência, para criticar a atuação dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Ao cidadão, disseram os participantes, caberia resistir e defender a democracia, em uma completa inversão da realidade. “Não podem voltar ao poder. Faremos de tudo o que for necessário. (…) Vocês que estão protestando – e é legítimo – e nós faremos a nossa parte. Estamos juntos nessa empreitada, até o fim”, atiçou o senador Luis Carlos Heinze (PP-RS).

Enquanto a sessão transcorria, mensagens explodiam na caixa de comentários no canal da TV Senado no YouTube. “SOS Forças Armadas”, “GLO (Garantia da Lei e da Ordem)”, “Artigo 142” eram algumas das expressões mais comuns. Todas, um claro apoio a um golpe militar.

Efeito imediato: queima de Brasília

O incentivo à turba acampada em frente aos quartéis surtiu efeito e foi como gasolina lançada sobre uma fogueira que estava acesa desde a derrota de Jair Bolsonaro (baixe aqui a Linha do Tempo e o Roteiro do Golpe).

A temperatura golpista subiu em Brasília após a reunião no Senado. Três dias depois, bolsonaristas invadiram um shopping da capital federal aos gritos, pedindo “liberdade” e a prisão de Lula. Ação semelhante se repetiu na semana seguinte. E indígenas apoiadores de Bolsonaro surgiram como protagonistas de protestos contra o resultado das eleições e o STF.

O tom agressivo se transformou em violência de fato em 12 de dezembro, dia da diplomação de Lula e Geraldo Alckmin como presidente e vice eleitos. Terroristas incendiaram veículos, levaram o pânico às ruas de Brasília e tentaram invadir a sede da Polícia Federal.

A escalada insana continuou. Em 24 de dezembro, um atentado a bomba, que mirava o aeroporto de Brasília, foi evitado pela Polícia Militar do Distrito Federal. E, por fim, em 8 de janeiro de 2023, um ataque golpista e terrorista atingiu as sedes dos Três Poderes da República.

Golpistas estavam no Senado

Não coincidentemente, os protagonistas desses ataques estavam na audiência de 30 de novembro no Senado. O cacique Rony Pareci, que ao lado do cacique Tserere liderou protestos contra as eleições e o STF, estava lá.

O empresário George Washington de Oliveira Sousa, hoje um dos condenados pela tentativa de explodir o aeroporto de Brasília, também estava lá.

O blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio – apontado como um dos principais articuladores do 8 de Janeiro e que, em 12 de dezembro, após a prisão de Tserere, refugiou-se no Palácio da Alvorada, ainda ocupado por Bolsonaro – não só estava como também discursou na audiência.

Além dos três, estavam ou foram citados na reunião do dia 30 várias outras pessoas que, nos últimos anos, ajudaram a criar no Brasil um verdadeiro ecossistema de desinformação. São nomes que vão de juristas a parlamentares de extrema direita, como Bia Kicis e Daniel Silveira, passando por blogueiros e canais de YouTube, a exemplo do foragido Allan dos Santos e seu Terça Livre e o Brasil Paralelo.

Muitas dessas pessoas, que formam essa organização criminosa, já eram citadas ou tinham sido punidas no inquérito das fake news, que investiga atos antidemocráticos no país. Mesmo assim, insistiram não só na continuidade do crime como também premeditaram os atos terroristas de 8 de janeiro, que ameaçaram e ainda ameaçam a democracia brasileira.

Mostrar os principais atores e a origem desse ecossistema de mentiras e seus desdobramentos é o objetivo desta série.

Bolsonaristas espalharam botijões e atacaram viaturas; ninguém foi preso 

12
Jul23

Farra das visitas a Mauro Cid na prisão

Talis Andrade

CPMI dos Atos Golpistas e Exército vão investigar visitas a Mauro Cid personagem-chave para elucidar crimes cometidos por Bolsonaro, um kid preto em silêncio nos inquéritos e falante e alegre nas animadas farras na prisão especial do quartel 

A CPI Mista dos Atos Golpistas e o Exército vão investigar a farra das visitas ao ex-assessor de Jair Bolsonaro Mauro Cid, que recebeu 73 pessoas desde que foi preso, em 3 de maio. Entre os visitantes, 41 eram militares

Escreve Valdo Cruz, G1: Pegou muito mal, durante o não-depoimento do tenente-coronel Mauro Cid à CPI, a informação de que o ex-ajudante de ordens de Bolsonaro recebeu visitas de Fábio Wajngarten, interessado direto no depoimento dele na CPI, e do coronel Jean Lawand Júnior, também investigado.

A CPI busca saber agora quando foi a visita de Lawand a Mauro Cid. Se antes ou depois de divulgadas as mensagens em que o coronel defende um golpe de Estado e cobra de Mauro Cid uma ação de Jair Bolsonaro para tentar impedir a posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Se foi depois da divulgação, é ainda mais grave. Para todo efeito, tem gravidade, já que Lawand sabia das mensagens e poderia ser alvo de investigação, o que já acontece hoje.

Ao tomar conhecimento do número "elevadíssimo" de visitas a Mauro Cid, o ministro Alexandre de Moraes decidiu restringi-las apenas à mulher, filhos e advogados. As demais, apenas se autorizadas por ele.

O ministro questionou ao Batalhão da Polícia do Exército, onde o ex-ajudante de ordens está preso, as regras das visitas e por que tantas foram liberadas, inclusive as de investigados pelos atos golpistas de 8 de janeiro deste ano.

Segundo interlocutores do comando do Exército, o depoimento de Mauro Cid ocorreu dentro do previsto, já que ele havia sinalizado que não pretendia falar à CPI, como tem ocorrido nos depoimentos à Polícia Federal.

Mas a avaliação dentro do governo Lula é que o ex-ajudante de ordens acaba prejudicando a imagem do Exército e passou a imagem de que realmente tem "culpa no cartório" ao se manter em silêncio.

 

Neste trecho do Café do MyNews, do dia 03 de maio de 2023, os jornalistas Mara Luquet e Afonso Marangoni repercutem a prisão do ex-assessor de operações e braço direito do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), Mauro Cid, em uma operação da Polícia Federal. A prisão de Cid foi uma determinação do Ministério Público junto ao ministro do Superior Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes. Mauro Cid teria, junto a outros representantes públicos e integrantes da equipe de Bolsonaro, falsificado cartões de vacina contra a Covid-19 para entrar nos Estados Unidos após a derrota do ex-presidente nas eleições passadas. De acordo com Afonso Marangoni, a prisão do braço direito de Bolsonaro foi decretada na Vila Militar, onde Mauro Cid reside, o que gerou desconforto nos militares. Já segundo o jornalista João Bosco Rabello, a prisão de Cid pode levar a desdobramentos que envolvem o ex-ministro de Bolsonaro, Anderson Torres. Ainda, após deixar sua residência, Jair Bolsonaro declarou que os Estados Unidos não o pediram carteira de vacinação. 

11
Jul23

Terrorista George Washington e o plano para explodir o Aeroporto de Brasilia na véspera do Natal (parte 5)

Talis Andrade

 

George Washington informa que comprou as dinamites para explodir Brasília por R$ 600,00

 

(Continuação)  Ainda no dia 23/12/2022, GEORGE parecia estar esperando para se encontrar com outra pessoa que estava demorando para aparecer, possivelmente Alan Diego. Pois, em entrevista, GEORGE disse que, no dia 23/12/2022, teria entregue os explosivos para ele (Alan Diego) no QG (Quartel General). Essa entrega ocorreu dentro do veículo de GEORGE. No entanto, GEORGE disse que não sabia que os explosivos seriam colocados em um caminhão-tanque no aeroporto de Brasília/DF”. As mensagens abaixo, porém, não deixam dúvidas sobre o que e do que estão falando:

print87
print78
print565
print8787

Relatório da Polícia: “No depoimento na ocasião de sua prisão, GEORGE WASHINGTON afirmou que comprou as dinamites utilizadas na tentativa de explosão do caminhão, de um homem do estado do Pará, que teria vindo a Brasília para lhe entregar o material, por R$600,00, conforme imagem abaixo. Durante entrevista informal (primeiro depoimento) nesta delegacia, GEORGE afirmou que o nome do envolvido é RICARDO, morador do município de Xinguara/PA”.

 Em operação na quinta-feira (06/07), a Polícia Federal prendeu em Marabá, um homem chamado Ricardo, também ligado a Washington, sob suspeita de ser um dos seus colaboradores. Trata-se de Ricardo Guimarães, o preso em operação da PF que apura possíveis financiadores dos atos de invasão ao Aeroporto de Brasília. Esse Ricardo já foi vice-prefeito da cidade no Pará. Os agentes cumpriram seis mandados de busca e apreensão no Pará, Mato Grosso e no Distrito Federal. Pode ser o que enviou dinheiro para George. É preciso aguardar as apurações.

Nervosismo no final da “missão”. Cacique Serere pertence ao grupo 

A poucas horas da execução do plano terrorista, Alan Diego dos Santos desaparece. A troca de mensagens traduz apreensão.

print252

Surge agora um personagem novo, na história. Trata-se de Solange Patriota, uma pessoa ligada ao cacique Serere. Diante dos fatos, é possível agora supor que não era apenas uma liderança bolsonarista solta na história. Pelas apurações da Polícia, descobre-se que o cacique sabia da existência do grupo de George Washignton. Vê-se também que o Próprio Alan Diego, que agora, em seus depoimentos na CPMI, procura se colocar alheio aos fatos.

Relatório da Polícia: “Durante entrevista (primeiro depoimento) com GEORGE, o preso citou uma pessoa chamada Solange, oriunda de São Félix do Xingu. De acordo com GEORGE, Solange teria participado de algumas reuniões em tendas dentro do QG (Quartel General), mas não foi muito claro quanto à sua participação sobre o uso dos explosivos. No entanto, no diálogo com GEORGE, SOLANGE faz algumas citações sobre “peça de caminhão”. Como dito anteriormente, esse seria o código para se referir aos explosivos. Portanto, a seguir, serão expostos alguns trechos com o contato descrito como “Solange Patriota SFX”.

“No dia 01/12/2022, Solange menciona uma peça que precisa ser buscada e depende da autorização de GEORGE. Infere-se que o motorista responsável por buscá-la seria BENTO”. Que, depois descobre-se, vem a ser parente dela (Têm o mesmo sobrenome).

print999

“No dia 03/12/2022, TIAGO envia uma mensagem dizendo que está fazendo a segurança do homem, mas não especifica quem. No dia 04/12/2022, TIAGO comenta sobre um vídeo do índio Serere e que seria importante postá-lo, principalmente a parte em que ele fala em português. Em outro áudio, TIAGO parece convidar GEORGE para fazer a segurança, pois diz que GEORGE já tem os “negócios tudo documentado”, provavelmente se referindo a armas. Por volta das 22h do dia 04/12/2022, TIAGO pede para GEORGE enviar as fotos que tirou juntamente com os filhos do Serere no hotel.

No dia 11/12/2022, Solange solicita a presença de GEORGE para uma reunião com índio Serere. Além disso, cita novamente uma peça do caminhão e que o motorista estaria esperando instruções. Em seguida, GEORGE responde que está no QG, envia outras mensagens que são apagadas. Essas mensagens apagadas não foram recuperadas”. 

Porém, os diálogos do grupo prosseguem, sempre na linha da execução do plano:

“No dia 11/12/2022, Bento diz que está em uma missão servindo como motorista de índio. Em seguida, envia uma imagem em que é possível observar o índio Serere, preso pela polícia federal no dia 12/12/2022”. Depreende-se pela mensagem: “cacique quer os CACs”, que Serere tinha alguma importância nas ações do grupo.

print3434

No período em que antecedeu a posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, circularam boatos e postagens nas redes sociais, de que o plano era impedir que o presidente eleito não subisse a rampa. Para isto, ainda segundo os boatos, a direita raivosa estava pensando em contratar um “sniper” para alvejá-lo. A ideia era executá-lo e, para isto, usariam um profissional que usasse uma arma de precisão e usada para tiros à distância. Por essa documentação, agora fica-se sabendo, que o plano, de fato, chegou a ser posto em marcha, mas interrompido. George Washington fez contato com um professor, de uso desse tipo de arma para, de acordo com o relatório da Polícia, ao que parece, ser ele o atirador:“O interlocutor das mensagens abaixo trata-se do sniper MARCOS ROBERTO SIBINELLI, cujos serviços GEORGE queria contratar. Apesar da negociação, o encontro entre eles não aconteceu. SIBINELLI prestou declarações nesta delegacia, onde confirmou que foi procurado por GEORGE para receber aulas de tiro. Entretanto, as aulas não chegaram a ocorrer”.

Relatório da Polícia:  “No dia 13/12/2022, por volta das 22h, HERMETO envia alguns áudios para GEORGE para que eles, no dia seguinte, possam ir comprar pólvora com o intuito aparentemente de fabricar dispositivo explosivo. Além da pólvora, HERMETO fala que eles precisam comprar uma mochila, touca e peteca. Ele pede para GEORGE ir cedo, pois precisará fazer alguns protótipos e testá-los. Segue abaixo trecho da conversa e transcrição dos áudios.

Transcrição áudio PTT-20221213-WA0580: “Deixa eu te falar. Tu vai vir pra cá no QG ou tu vai ficar aí, já? ou tu vai ficar aí já?”.

Transcrição áudio PTT-20221213-WA0581: “É quase dez horas já né? Amanhã cedo tu vem aqui para nós comprar uma pólvora ali pra mim fazer uns negócio. Mas tem que vir cedo, para fazer as pólvoras”.

Transcrição áudio PTT-20221213-WA0597: “Chefe, por aqui está tudo bem, tudo calmo. Os Pica de 500 foram tudo embora. Ficou só os pica de 100 dormindo. (inaudível). Peão é peão. Mas está tudo certo, graças a Deus”. (Eles parecem falar dos coordenadores do acampamento).

Transcrição áudio PTT-20221213-WA0598: “Tu já está aí já? E cadê o teu paraquedista lá, o gago. Porque tu não leva o gago pra Xinguara (palavrão)?”. Transcrição áudio PTT-20221213-WA0599: “Ei, nós tem que comprar a mochila amanhã, umas toucas e a pólvora, pô! Mas tu vem cedo. Vem umas oito horas para nós ir lá.

Tem que ser rápido a missão. Tem que fazer uns protótipos aqui. Tem que fazer e testar, fazer e testar. Para ver onde chega à quantidade de pólvora e o tanto de enrolado que tem dar nas petecas. Tem que comprar umas petecas também para nós. Aí tem que fazer o teste drive”.

Transcrição áudio PTT-20221213-WA0600: “Porque os protótipos tem que fazer enrolando na sacola. Tem que ver quantas voltas, entendeu? Tem que ir testando. Porque, se botar muitas voltas, fica muito (inaudível) demais. Tem que ser uma volta só, que é para estourar em qualquer vidro, qualquer coisa assim”.

No dia 17/12/2022, HERMETO envia uma foto vestindo uma roupa camuflada com uma touca ninja. Possivelmente uma das máscaras citadas no dia 13/12/2022. Depois envia um áudio sobre uma pessoa chamada TIAGO que pergunta sobre uma Glock (marca de arma de fogo).

Transcrição áudio PTT-202217-WA0215: “Ei, Washington, o Tiago está perguntando se tu trouxe a Glock dele já”.

No dia 23/12/2022, véspera da prisão de GEORGE, HERMETO realiza uma chamada telefônica e, em seguida, envia alguns áudios dizendo para GEORGE que “as coisas” dele estavam guardadas. Depois envia outro áudio e informa que “as coisas” estão com ALAN”.

O diálogo que se segue dá bem a noção do quanto irresponsáveis foram aquelas pessoas com relação ao manuseio dos explosivos. Chegaram mesmo a armazená-lo na cozinha do acampamento, sob um “palete”.

Relatório da Polícia:

“GEORGE se chateia com HERMETO por ele ter entregue o(s) objeto(s). Durante os áudios, não foi especificado o que seria esse pertence de GEORGE. Cabe ressaltar que, em depoimento, GEORGE afirmou ter entregue a bomba para ALAN no dia 23/12/2022.

Transcrição áudio PTT-20221223-WA0012: “Ei, Washington, pega o teu negócio aqui. Está comigo, viu? Guardei aqui. Vai ficar aqui ele”.

Transcrição áudio PTT-20221223-WA0013: “(inaudível) de uns containers aqui, do paletes. Só levanta os paletes aqui que ele vai estar aqui debaixo. (inaudível) cozinha”.

Transcrição áudio PTT-20221223-WA0033: “Tá com o teu amiguinho aqui, com o ALAN, viu?”.

George solta um palavrão e diz que não era para Hermeto ter entregado para Alan, os artefatos, demonstrando que não havia uma relação de confiança entre os dois, o que talvez explique a postura de Alan Diego Rodrigues, ao depor na CPMI. 

Relatório da Polícia: 

Transcrição áudio PTT-20221223-WA0098: “Amigo, desculpa lhe falar, mas infelizmente você agiu muito errado aí comigo. Entregar esse material na mão desse rapaz.

Você sabe que eu não sou amiguinho dele. Desculpa aí, tá? Mas tudo bem, beleza. Obrigado aí, valeu”.

Por volta das 16h20, do dia 23/12/2023, HERMETO envia outros áudios perguntando sobre o que está acontecendo no QG e uma encomenda de GEORGE que estava com TIAGO. Além disso, HERMETO envia alguns áudios dos quais não foi possível realizar a extração e mensagens de texto alertando GEORGE a não seguir algumas pessoas e “não tentar ser um herói”. No dia seguinte, 24/12/2022, HERMETO envia mensagens perguntado como GEORGE está e envia uma matéria sobre a bomba encontrada no aeroporto de Brasília.

Relatório da Polícia:

“No dia 16/12/2022, GEORGE envia uma mensagem dizendo que irá realizar uma transferência em dinheiro como uma forma de ajuda. Não ficou claro no que consistiria essa ajuda financeira. BENTO envia os dados para recebimento e GEORGE realiza duas transferências, uma no valor de R$4.000,00 (quatro mil reais) e outra no valor de R$1.000,00 (mil reais). Além disso, GEORGE se dispõe para enviar mais dinheiro se for necessário, porém pede sigilo. BENTO responde que é o suficiente e acrescenta que outras pessoas também irão ajudar”.

Acontecem nesse momento algumas transações bancárias, combinadas pelo celular de George. A operação está praticamente pronta e, de acordo com ele, que tudo leva a crer, seja o líder da operação, já há recursos suficientes.

 

print232
print9898
print8781
print10

George se refere a Bento com a saudação: “meu nobre general”. Não há indicações se ele é, de fato um militar ou se o tratamento é apenas uma forma de se referirem na intimidade. (continua)

11
Jul23

Terrorista George Washington e o plano para explodir o Aeroporto de Brasilia na véspera do Natal (parte 3)

Talis Andrade

O outro Girão general senador

por Denise Assis
EXCLUSIVO Portal Brasil 247
 
- - -

(Continuação) George tentou também contato com o senador Eduardo Girão (Novo-CE) -, que hoje integra a CPMI do 8 de janeiro. Na época (dia 11/12) o terrorista lhe enviou mensagens com cobranças sobre a atuação e uso dos CACs, (Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador) no golpe. Vamos nos lembrar que um dos planos ventilados na época que antecedeu a posse do presidente Lula foi a do uso de um “Sniper” para alvejá-lo na subida da rampa.

eduardogirão

 

print3

 

Não se tem notícia de um retorno do senador Eduardo Girão, que é também radical de direita. (Basta lembrar da cena dele tentando entregar para o ministro dos Direitos Humanos, Silvio Almeida, em uma audiência, um feto de cera, para provocar uma discussão sobre aborto).

 

Sabe-se, no entanto, que ele foi um dos que bateu pé para a criação da CPMI. Convém também, trazer de volta a organização, feita por ele, de uma audiência pública em desagravo ao deputado - hoje preso -, Daniel Silveira (PTB-RJ), que contou com os terroristas George Washington e seu cúmplice, Alan dos Santos, na plateia. (Na época, a mídia publicou que “foi pedido sigilo” sobre quem os havia convidado. Depois, soube-se que o convite partiu do senador Girão). Em reportagem do site Metrópoles, George Washington aparece na foto, de camisa xadrez.

 

Recentemente, no dia 13 de junho, em matéria para a Agência Senado, Girão afirmou, em pronunciamento no Plenário, que o governo “invadiu” a CPMI do 8 de Janeiro e “não deixou a oposição votar e aprovar uma série de requerimentos que iriam elucidar a verdade”. Por “verdade”, ele quer fazer prevalecer a ideia de que o governo se omitiu propositalmente no golpe do dia 8, para se “vitimizar”. A tese não se sustenta, mas ele esbraveja afirmando que a maioria da comissão rejeitou requerimentos que solicitavam, por exemplo, acesso a imagens do Itamaraty e do Ministério da Justiça e Segurança Pública no dia do ataque. 

“Ficou muito claro o teatro, o circo que querem fazer dessa CPMI. Eles querem fazer uma investigação seletiva, só do que lhes interessa, e nós, da oposição, que iniciamos essa CPMI, que fomos lutar por ela, com o povo brasileiro junto, tivemos nossos requerimentos, praticamente todos, rejeitados. Mas nós aprovamos os deles! Por quê? Uma prova de que a gente quer a verdade!” A “verdade” a que se refere é a versão absurda, por exemplo, sobre a viagem do presidente Lula a Araraquara (SP), onde prestou solidariedade às vítimas das chuvas que arrasaram a cidade, atitude que o ex-governo que ele defende nunca fez. Ao que parece, o senador se arrependeu de lutar por uma CPMI que de todo ângulo que se olha, não vai beneficiar à oposição. 

George Washington apela também às FAs, se colocando à disposição para “matar ou morrer”, conforme declarou ao ser preso pala Polícia Civil - DF.                       

print4
Mensagens enviadas ao perfil das forças armadas no Instagram (continua)

 

10
Jul23

Terrorista George Washington e o plano para explodir o Aeroporto de Brasilia na véspera do Natal (parte 2)

Talis Andrade

 

General Elieser Girão deputado bolsonarista prometia boas novas

“Coloquem os seus sapatinhos na janela”

 
por Denise Assis
EXCLUSIVO Portal Brasil 247
 

Aqui é forçoso dizer que o deputado federal Elieser Girão (PL-RN) é de uma turma anterior à de Bolsonaro na Academia Militar de Agulhas Negras (AMAN) e, portanto, segundo a lógica militar, tem ascendência sobre ele. Girão formou-se em 1976 e Bolsonaro é da turma de 1977. É forte a relação entre ambos.

O deputado entrou para a política na condição de general reformado, reconhecidamente um radical de direita e que, em 2009, comandava a 1ª Brigada de Infantaria de Selva sediada em Boa Vista - RO, e ficou malvisto pelo governo da época – Luiz Inácio Lula da Silva -, por ter seguido o general Augusto Heleno, então comandante do Batalhão de Selva de Manaus, em suas preleções favoráveis aos “arrozeiros”. O grupo era acusado de entrar em confronto e matar indígenas nas comunidades de Raposa do Sol, na divisa com a Venezuela.  

Elieser Girão é conhecido na Câmara como “general Girão”. Nas eleições presidenciais, fazia discursos inflamados, convocando a população para o golpe. Em um áudio postado no Twitter pelo colega de Câmara, Glauber Braga (PSOL-RJ), ele aparece, (curiosamente o atentado se deu na véspera do Natal), prometendo para o “Natal”, boas novas aos bolsonaristas. “Coloquem os seus sapatinhos na janela”, recomendava nesse vídeo:https://twitter.com/glauber_braga/status/1607781504352145409?s=48&t=s_c_febHYy5WHDo6HrzeCA . Postado às 1h52 de 27/12/2022, o tuíte foi reverberado pelo coronel Marcelo Pimentel, militar reformado e contrário à politização do Exército. Ele comentou que atitude de Girão era “impensável para um militar”.


tweets

 

Na sexta-feira (07/07), o ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou a abertura de inquérito para apurar suposta incitação, por parte do deputado Girão, aos atos golpistas de 8 de janeiro pelo deputado federal General Girão (PL-RN). A decisão atendeu a um pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República) e da PF (Polícia Federal).

Os presentes em sessão da Comissão de Comunicação gritaram "Lula ladrão" durante discurso do deputado General Girão, que ironizou dizendo que "seria preso".

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub