Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

18
Set17

Tradição, família e propriedade as chaves do sucesso na política, na justiça e no jornalismo do bicheiro Cachoeira

Talis Andrade

 

moro rosangela.jpg

moro-formatura.jpg

 Desde os tempos de estudante, Moro adora pousar 

 

 

 

Os vínculos familiares são determinantes para se entender as dinâmicas dos campos político e judiciário no Brasil.

 

Conheça uma biografia coletiva do juiz de primeira instância Sérgio Moro, dos 14 membros da força-tarefa nomeados pela Procuradoria-Geral da República e de oito delegados da Polícia Federal que atuam no caso, além de ministros indicados pelo presidente golpista Michel Temer (PMDB).

 

O aspecto mais relevante diz respeito aos vínculos da operação Lava Jato com a elite econômica do Paraná. “Este seleto grupo de indivíduos forma parte do 1% mais rico no Brasil, e muitos até mesmo do 0,1% mais rico em termos de rendas”, descrevem os pesquisadores.

 

 

Políticos defensores da ditadura civil-militar e indivíduos que dominaram no sistema de justiça durante o regime também aparecem na “árvore genealógica” da Lava Jato. O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, por exemplo, é “filho do ex-deputado estadual da ARENA Osvaldo dos Santos Lima, promotor, vice-prefeito em Apucarana e presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, em 1973, no auge da ditadura, quando as pessoas não podiam votar e nem debater livremente”, segundo o texto. O pai de Carlos Fernando, assim como os irmãos, Luiz José e Paulo Ovídio, também atuaram como procuradores no Paraná.

 

 

O professor Ricardo Costa de Oliveira conversou com a reportagem do Brasil de Fato e debateu os resultados da pesquisa. Confira os melhores momentos da entrevista:

 

 

 

Todos eles pertencem à alta burocracia estatal. Há alguns, da magistratura ou do Ministério Público, que ganham acima do teto [salarial do funcionalismo público, equivalente a R$ 33,7 mil por mês]. Com suas esposas e companheiras, eles estão situados no 0,1% mais ricos do país.

 

Quase todos são casados com operadores políticos, ou do Direito. Você só entende os nomes entendendo a família. É uma unidade familiar que opera juridicamente, opera politicamente.

 

Família moro.png

 

 

 

O juiz Moro é filho de um professor universitário, mas também é parente de um desembargador já falecido, o Hildebrando Moro. A mulher do Moro, a Rosângela [Wolff], é advogada e prima do Rafael Greca de Macedo [prefeito de Curitiba]. Ela pertence a essa importante família política e jurídica do Paraná, que é o grande clã Macedo, e também é parente de dois desembargadores.

 

 

Boa parte deles também estiveram no [caso] Banestado. Foi uma operação que desviou muito dinheiro e apresentou uma grande impunidade. Leia mais. 

 

Banestado.png

 

 

Rafael Greca tem uma carreira política semelhante a de Dória - outro político de plástico - prefeito de São Paulo. In Wikipédia:  Foi ministro de Esporte e Turismo no segundo governo FHC, entre 1999 e 2000. Em 1999 o ministério público federal entrou na Justiça com ação de improbidade administrativa contra o então Ministro dos Esportes, seu ex-assessor e mais oito pessoas ligadas a casas de bingo do Distrito Federal. Greca e comparsas foram acusados de envolvimento com a máfia dos bingos e autorizar irregularmente a instalação de máquinas caça-níquel. Assim começa uma estranha controvertida história com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, do crime organizado e perigosas relações com o senador Demóstenes Torres, o governador Marconi Perillo (ambos de Goiás), e os deputados federais Sandes Júnior - PP, Carlos Alberto Leréia - PSDB, Stepan Nercessian - PPS, Leonardo Vilela - PSDB.

 

Cachoeira, nome de uma CPI Mista do Congresso, é tão forte politicamente que espera eleger a bela Andressa Mendonça, musa da investigação parlamentar que deu em caviar, deputada federal nas eleições de 2018. Um intento que não vingou em 2014.

 

Como no judiciário e na política tudo acontece em família, Andressa era casada com o senador Wilder Morais quando ficou 'noiva' do bandido Cachoeira. Por ele, Andressa chegou a ameaçar um juiz federal de morte, que é recente o sensacionalismo sobre obstrução da justiça. E mais: a Lava Jato, em propaganda, imita Cachoeira que criou uma agência de notícias e gravações de conversas com fotos e filmes e grampos telefônicos que alimentavam, com exclusividade, os furos jornalísticos seletivos e bombásticos da TV Globo e revista Veja. Cachoeira pode ser considerado o pai do atual 'jornalismo investigativo' brasileiro que deu origem ao Mensalão e engordou a Lava Jato, vide caso Waldomiro Diniz/ José Dirceu.   

 

Vanessa e cachoeira 1.jpg

Vanessa e cachoeira casamento .jpg

 

 

 Cachoeira beija os pés da musa Andressa no dia do casamento 

 

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D