Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

22
Dez17

O Segredo dos Deuses: quem é quem na investigação da TVI sobre a Igreja Universal do bispo Edir Macedo

Talis Andrade

“O Segredo dos Deuses”, a primeira série informativa da televisão portuguesa, revela uma rede de adoções ilegais de crianças portuguesas levadas para o estrangeiro por bispos da IURD. À medida que os 10 episódios vão sendo revelados, conheça os principais intervenientes deste enredo:

 

Igreja Universal do Reino de Deus

É uma denominação cristã, evangélica neopentecostal, fundada em 9 julho de 1977 no Brasil.

Chega a Portugal em 1989, compra o cinema império em Lisboa e em 1995 tenta comprar o Coliseu do Porto, o que acaba por causar uma enorme reação popular nas ruas da cidade. Esta pessoa coletiva religiosa defende a teoria da prosperidade e, em Portugal, declara, mais de 30 milhões de euros/ano em ofertas, livres de impostos. Até hoje, nunca divulgaram o número de fiéis que têm no nosso país.

A IURD garante que tem 9 milhões de fiéis espalhados por 182 países, 320 bispos e cerca de 14 mil pastore.

A Universal tem sido ao longo dos tempos alvo de críticas, controvérsias e de muitos processos judiciais.

O seu fundador e líder Edir Macedo Bezerra é um dos homens mais poderosos do mundo, considerado como o pastor mais rico do Brasil, com um património superior a mil milhões de dólares.

Edir Macedo é dono de um banco no Brasil, do grupo e da TV Record, a segunda maior emissora de televisão no Brasil.

 

 

Edir Macedo Bezerra

Edir Macedo Bezerra.jpeg

 

Líder máximo e fundador da Igreja Universal do Reino de Deus. Nasceu a 18 de fevereiro de 1945.

Começou como vendedor de lotaria e atualmente é um dos homens mais ricos e influentes no Brasil.

Bispo evangélico, fundou a IURD em 9 de julho de 1977 no Brasil.

Casou em 1971 com Ester Bezerra, com quem teve duas filhas biológicas - Cristiane Cardoso (1973) e Viviane Freitas (1975) – e adotou Moisés Bezerra.

Em 1990, compra a rede Record de televisão e em 2013 o Banco Renner.

O PRB surge como o braço político ligado à IURD e conquista terreno no Brasil.

Chegou a estar preso em 1992 e atualmente responde num processo que está em investigação em S. Paulo, em que está acusado de charlatanismo, formação de quadrilha para lavagem de dinheiro e evasão de divisas. A TVI sabe que também está a ser investigado pelo FBI, em Nova Iorque.

Líder carismático defende a vasectomia e o aborto.

 

Ester Bezerra

Ester Bezerra.jpeg

 

Esposa de Edir Macedo. Casaram a 18 de dezembro de 1971. Têm duas filhas, Cristiane e Viviane, tendo adotado mais tarde um rapaz, Moysés Bezerra, que chegou à vida do casal com apenas 14 dias vida, pela mão da sua própria mãe, que o entregou ao bispo para que o criasse.

 

Lar universal

Lar Universal IURD.jpeg

 

 

Através de uma associação de fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus, foi criado o lar de crianças, que abriu portas a 23 de maio de 1994, na Rua do Zaire, em Camarate, tendo mudado de instalações em 1997, para a Avenida Almirante Gago Coutinho, Lisboa. O lar fazia parte da Obra Social da IURD e funcionou ilegalmente até 2001. Curiosamente, a própria Segurança Social e alguns tribunais encaminharam para lá crianças, que acabaram por desaparecer.

A maioria dos menores chegou pelas mãos de fiéis e mães desesperadas que procuravam ajuda. Posteriormente, o lar dificultava a visita aos filhos e promovia o abandono das crianças, que seguiam para serem adotadas por bispos e pastores da igreja.

O lar funcionou ilegalmente sete anos, sem qualquer fiscalização da Segurança Social. Aqui, contornava-se o normal processo de adoções em Portugal e as crianças que os bispos adotavam eram escolhidas por fotografias.

 

Viviane Freitas

Viviane Freitas.jpeg

 

Filha do bispo Edir Macedo, nasceu no Rio de Janeiro a 18 de janeiro de 1975.

Casou-se com o bispo Júlio Freitas em 1992. Terá tentado adotar no lar da igreja, mas não foi aceite como candidata por não ter idade, nem residência em Portugal.

Escolheu os irmãos Vera e Luís por fotografias. Acabaram a viver consigo, durante anos, sem conhecimento dos tribunais portugueses.

A escolha da filha do bispo promoveu a separação dos irmãos. Vera e Luís foram afastados do seu irmão Fábio.

 

Bispo Júlio Freitas

Bispo Júlio Freitas .jpeg

 

 

Nasceu na Bahia, em 11 de fevereiro de 1973, marido de Viviane Freitas, a filha mais nova do bispo Edir Macedo, com quem casou em 1992.

Enquanto Bispo, era vasectomizado, o que impedia o casal de ter filhos.

Acedeu a ficar com Luís e Vera, que garante serem seu filhos adotivos, mas que, formalmente, não lhe são nada à luz da justiça portuguesa que foi enganada.

 

Alice Andrade

Alice Andrade.jpeg

 

 

Nasceu a 4 de março de 1956. É natural de Angola e mãe de duas filhas.

Foi, durante uma década, secretária pessoal do bispo Edir Macedo. Enquanto pessoa da máxima confiança do líder da IURD, serviu como testa de ferro para a adoção dos três irmãos que retirou do lar com uma guarda para entregar à filha de Edir Macedo, nos EUA. Viviane escolhe apenas 2 dos 3 irmãos e Fábio, o mais novo, acaba no Brasil, nas mãos de outro bispo importante da IURD.

Entrou em rota de colisão com a igreja por causa das crianças e foi despedida da igreja. Acionou a justiça americana e acabou por assinar um acordo de confidencialidade com Edir Macedo e a IURD que a obriga a não divulgar o que aconteceu com os menores que levou do lar e a manter silêncio sobre todos os esquemas financeiros da igreja nos quais participou.

Há mais de 4 anos que não vê, nem fala com as crianças que adotou para dar à filha do Bispo Macedo, que acusa de ter “um coração de gelo”.

Casou com um americano e hoje vive em Los Angeles, nos EUA.

 

Vera Andrade

Vera Andrade.jpeg

 

Nasceu a 23 de março de 1992, natural da Venteira, Amadora. Terá sido retirada da sua casa, com os seus irmãos, por uma técnica da Segurança Social que a entregou no lar ilegal da IURD.

Quando o Bispo Edir Macedo visita a instituição, é escolhida para ser adotada pela sua filha Viviane. Tem dois irmãos, Luís e Fábio, que também foram levados por Alice Andrade, a secretária do bispo Macedo, para os EUA, em avião privado e sem autorização dos tribunais portugueses.

Depois de viver anos com Viviane Cardoso, é devolvida a Alice Andrade, que formalmente é a sua mãe adotiva. Atualmente, é obreira na igreja universal.

 

Luís Andrade

Luís Andrade.jpeg

 

 

Nasceu a 17 de março de 1993. Irmão de Vera e de Fábio, é natural da Amadora e foi, juntamente com a sua irmã, escolhido por Viviane e Júlio Freitas, respetiva filha e genro do bispo Edir Macedo.

Foi maltratado nos EUA, ao ponto de a babysitter portuguesa se ter despedido.

Num mês, batizou-se e tornou-se pastor da IURD. Acredita que foi abandonado pela mãe biológica e não contacta com a sua mãe adotiva.

 

Fábio Andrade

Fábio Andrade.jpeg

 

Nasceu a 15 de dezembro de 1994. Natural da Venteira, Amadora, é o irmão mais novo de Vera e Luís.

Foi levado para os EUA por Alice Andrade, mas separado dos irmãos. Viviane não quis ficar com ele e acabou entregue ao Bispo Romualdo Panceiro, com quem viveu durante três anos no Brasil, ilegalmente e à margem dos tribunais portugueses.

Viveu no Brasil com a identidade falsa de Filipe Barbosa Panceiro e viajava com documentos falsos.

Reencontrou os irmãos, Vera e Luís, anos mais tarde quando foi viver com Alice, a secretária do Bispo, que acabou por os adotar a todos.

Faleceu em 2015, sozinho [de overdose], num quarto de hotel em Nova Iorque. Foi Alice quem foi chamada para reconhecer o seu corpo.

 

Bispo Romualdo Panceiro

Bispo Romualdo Panceiro.jpeg

 

É um dos principais bispos da igreja universal e neste momento está à frente dos destinos da IURD em Portugal e na Europa.

Atualmente, é ele quem dirige o culto da igreja de Chelas, com capacidade para 3 mil crentes.

Nasceu a 31 de março de 1959, no Rio de Janeiro. É casado com Márcia Panceiro e foi ele que ficou com Fábio, o mais novo dos três irmãos, retirados do lar da universal e levados para os EUA.

Fábio viveu ilegalmente no Brasil e tinha documentos falsos, com o nome de Filipe, e viveu anos numa confusão de identidades.

 

“Maria”

 

Mãe biológica de Vera, Luís e Fábio. Após uma denúncia de que deixava os filhos sozinhos em casa, a Segurança Social da Amadora retirou-lhe as crianças e entregou-as no lar ilegal da IURD.

Jovem mãe, vítima de violência doméstica, tinha dois trabalhos para conseguir alimentar os filhos e irmãos menores que deixava entregue ao pai dos filhos mas este ausentava-se.

Vera, Luis e Fábio acabam no lar da UIRD, onde deixou de conseguir vê-los e onde lhe negaram o livro de visitas para assinar.

As crianças chamaram a atenção do bispo Macedo e os pais biológicos foram afastados.

O lar mentiu ao tribunal e disse que a mãe abandonou lá as crianças e que nunca os foi visitar e, assim, conseguiu que a guarda dos menores fosse entregue a Alice, a secretária do bispo, que levou os irmãos para a filha do líder da IURD, nos EUA.

“Maria” foi à polícia duas vezes denunciar o roubo das crianças, mas ninguém a levou a sério. Os relatórios do lar dizem que “Maria” era toxicodependente e seropositiva.

A TVI descobriu “Maria”, a mãe que procurava os seus filhos há 22 anos.

 

 

“Ana”

 

Ex-funcionária do lar, escolhida para ser a babysitter de Vera e Luís na casa do bispo Macedo, na Califórnia.

Sai de Portugal a 17 de setembro de 1996, como missionária paga pela IURD, mas na realidade era empregada do bispo e babysitter das crianças.

Assistiu a maus-tratos dos irmãos e resolveu despedir-se e voltar para Portugal, onde começou a procurar a mãe biológica dos menores.

 

Cristiane Cardoso

Cristiane Cardoso.jpeg

 

Filha mais velha do Bispo Macedo, adotou uma criança do lar da Iurd, contornando o normal processo de adoções em Portugal, e promovendo a separação de dois irmãos.

Filipe Bezerra Cardoso foi separado do seu irmão, Pedro, também ele adotado por outro Bispo da igreja.

Nasceu no Rio de Janeiro, a 31 de Outubro de 1973. Casou com 17 anos, com o bispo Renato Cardoso, e apresenta, ao lado do marido, o programa The Love School – A Escola do Amor - na rede Record.

 

Bispo Renato Cardoso

Bispo Renato Cardoso.jpeg

 

Marido de Cristiane Cardoso, a filha mais velha do bispo Macedo e pai adotivo de Filipe.

Nasceu no Rio de Janeiro, a 16 de janeiro de 1972, é considerado um dos mais importantes bispos da igreja universal, sendo apontado pela comunicação social como o sucessor de Edir Macedo.

Além de apresentador, ao lado da mulher, é o autor de diversos livros sobre um casamento feliz.

 

Filipe Cardoso

Filipe Cardoso.jpeg

 

Nasceu em Lisboa, em 21 de abril de 1993. Filho adotado de Cristiane e Renato Cardoso, é neto do bispo Edir Macedo e foi entregue no lar da Universal pela avó, em 1996, à revelia da sua própria mãe, que considera que a igreja Universal lhe roubou o filho.

 

Jaqueline Duran Marques

Jaqueline Duran Marques.jpeg

 

Foi diretora do lar universal em Lisboa e é mulher do bispo Sidney, que estava em Portugal no final dos anos 90.

O bispo Macedo obrigou-a a adoptar Pedro, o irmão mais velho de Filipe, que tinha uma mancha preta e peluda num braço e que Cristiane, filha do líder da IURD, não quis adotar.

 

Pedro Duran Marques

Pedro Duran Marques.jpeg

 

 

Nasceu a 24 de fevereiro de 1990. É irmão biológico de Filipe Bezerra Cardoso e foi adotado por Jaqueline Duran Marques, na altura diretora do lar universal, a mando do bispo Edir Macedo.

Com 6 anos, libertou a sua mãe, que estava sequestrada em casa e era vítima de violência doméstica por parte do pai.

Foi entregue no lar da universal pela avó em 1996, à revelia da sua mãe biológica.

 

“Clara”

 

Mãe biológica de Pedro e Filipe. Foi a avó das crianças que os entregou no lar da IURD. “Clara” foi vítima de maus tratos e foi o filho mais velho que a ajudou a escapar aos abusos do marido.

Pediu ajuda à mãe, devota da Iurd, para cuidar dos netos enquanto ia fazer uma desintoxicação, mas quando regressou a avó tinha entregue os netos no lar da IURD.

Conseguiu visitá-los apenas três vezes. Depois, quando se dirigiu ao lar, já tinham saído para a adoção.

O tribunal afirma que a mãe deu o consentimento para adoção, mas “Clara” nunca foi ouvida ou se sentou num tribunal. Na altura, o seu bilhete de identidade desapareceu, o que explica este falso consentimento em que se enganou o tribunal.

Não sabia do paradeiro dos filhos e continuava a procurá-los nas redes sociais.

 

Bispo Alfredo Paulo

Bispo Alfredo Paulo.jpeg

 

Foi um dos bispos principais da igreja universal até 2011. Esteve à frente da IURD em Portugal e na Europa entre 2002 e 2009. Foi expulso da IURD por ter sido infiel à mulher e, quando saiu, descobriu que o seu nome estava em muitas das empresas ligadas à igreja.

Hoje, tem um canal de youtube onde denuncia a hipocrisia da cúpula da IURD. Tem milhares de seguidores, na sua maioria ex-fiéis da IURD.

Vive escondido e muda frequentemente de morada por se sentir ameaçado.

A TVI entrevistou-o na Suíça, onde estava refugiado na altura.

No Brasil, a IURD avançou com mais de 80 processos contra si em vários estados e é defendido por um advogado que também é um ex-crente da IURD.

É casado com Teresa Paulo e o bispo Macedo obrigou-os a adotar Lucas, um recém-nascido com 16 dias, no Brasil.

 

Lucas Paulo

Lucas Paulo.jpeg

 

Filho adotivo do bispo Alfredo Paulo, foi criado dentro da igreja universal. Chegou a ser pastor e, quando o seu pai saiu da igreja, foi enviado para o interior das Filipinas, onde passou muito mal.

Foi amigo de Filipe e em adolescente ambos se revoltaram contra a vida da igreja. Denuncia a “imagem da familia perfeita” e a utilização dos “filhos dos bispos” para passar a mensagem da igreja e angariara fiéis e dinheiro.

Garante que há as crianças são usadas pela IURD e que muitas desconhecem que são adotadas.

 

Teresa Paulo

Teresa Paulo.jpeg

 

Mulher do bispo Alfredo Paulo, foi obrigada a adotar por ordem do bispo Macedo. É mãe de Lucas Paulo.

 

Nídia Martins

Nídia Martins.jpeg

 

 

Advogada do lar, foi ela quem tratou dos processos de adoção dos menores para os bispos e pastores.

Adotou um recém-nascido do hospital S. Francisco Xavier e duas gémeas, no lar da IURD.

As funcionárias dizem que levou Danielle Cristelle e Cristelle Danielle, no mesmo dia em que foram entregues no lar.

A TVI encontrou-a a viver no interior do Algarve e recusou explicar estas adoções.

---

O SEGREDO DOS DEUSES. Partidos políticos de Portugal pedem investigação profunda.  

 

 

 

21
Jul17

Breve ensaio contra a minha indiferença à cracolândia do Jacaré

Talis Andrade

por TATIANA PEQUENO

 

jacarezinho.jpeg

 

 

Avanço protegida por uma película
de vidro - esta janela - por onde
filtro cegada pelo sol o bebê caído
de uma teta mirrada de mãe verde
entrando pelo coletivo e assumindo
seu desejo de transbordar tudo o
que for falta. Queria escutá-la mas
havia uma transparência imanente
eu a trouxe para cá, todavia
queria que ela falasse no poema
ela pede centavos para não morrer
e diz a cerveja poderia me ajudar a parar
a cerveja no entanto é muito lenta
abro a bolsa constrangida porque
aqui sou eu que tenho pele demais
aqui sei que estou retornando à casa
aqui gaguejo e murmuro ainda constrangida
pela visão do bebê absorto pendurado
no semelhante peito caído
posso te fazer algo a mais e
ela diz me dá dinheiro e depois me esqueça
muitos dizem sentimos muito e é provável
que não haja nada que possamos fazer
ressono de culpa, acordo, ela permanece atrás, sentada com
seu bebê atravessado por uma espécie de contágio
é uma criança hipotônica recém-saída
da faixa dos conflitos onde sempre se espera a
gratuidade frequente dos extermínios.
nunca vou esquecer o seu corpo
tampouco sua voz de fantasmas e ausências graves de fumo.
me esqueça - relembro - essa frase
que guardo há meses doendo os dedos
quando conto as moedas quando
retomo o mesmo caminho para os
sonhos ou para casa para a espinha
que fica a me botar de pé entre sorrisos,
salários, aniversários ou cabelos novos.
Vamos te esquecer certamente
eu vou, tanto que te guardo aqui neste
poema para lembrar que não podemos
te esquecer porque nós te levamos
às pedras nós transformamos você
também em cinza eu finjo que não
a conheço quando prossigo depois
do sinal fechado e me esforço para
saber onde foi que nos separamos
e em que espelho miserável ficou
a tua verdadeira face sem história
que diz aqui
é o que me restou dos acidentes.
Me esqueça, sei, compreendi, mas
é que não posso, é que não sei e é
exatamente o que faço todos os dias
não sei e não saber aproxima o fim
desta civilização genocida
eles não sabem
os especialistas não sabem
estou e estamos sonâmbulos à nossa revelia.
Olho-te inteira e queria que me olhasses
de volta para que tua criança ameaçasse um choro um
escândalo uma antipatia enquanto
tento te esquecer através da minha
poesia já que te dei um nome secreto
(suponho a minha idade e a tua muito definidas)
e gravito, ao fim, entre o teu silêncio e a minha falta de economia neste longo poema solitário
perdoa-nos a pele, perdoa a indiferença dos poetas,
perdoa as notas nos bolsos,
fica.

 

 

28
Jun17

Jesus nunca usou a palavra pecado

Talis Andrade

impunidade crime compensa.jpg

 

 

Jesus usava a palavra certa. Crime. Chamar um crime de pecado é querer suavizar,  camuflar, esconder um ato profundamente corrupto, repugnante, imundo, horrendo, indiscutivelmente nojento, segundo os padrões da moral vigente.

 

Sou pela volta dos pecados capitais, e assim sendo favorável à reforma trabalhista, pela felicidade do povo em geral.

 

Os crimes praticados contra o trabalhador começaram com o primeiro ato institucional da ditadura militar de 64, quando foi cassada a estabilidade no emprego. E o rasga da CLT continuou nos chamados governos democráticos de Fernando Henrique, criando os pejotas, a terceirização perpetrada por Joaquim Levy ministro de Dilma Rousseff, indicado pelo Bradesco.

 

O Henrique Meireles, que continua a política econômica adotada por Roberto Campos e Delfim Neto, é o mesmo Mei reles ou todo reles presidente do Banco Central nos tempos de Lula.

 

Pretender tirar todos os direitos trabalhistas não é reforma. Nunca foi.

A reforma costuma ser uma iniciativa ou um projecto que procura implantar uma inovação, uma melhoria nalgum sistema.

A reforma pretendida por Michel Temer, como chefe da Orcrim, visa beneficiar o patronato, as empresas multinacionais do império capitalista, os banqueiros agiotas conforme os ditames do FMI.

 

a_portrait_of_capitalism__tjeerd_royaards capitali

 

 

OS PECADOS CAPITAIS DO SÉCULO XXI

 

Não vou citar o atual Papa Francisco, que a direita condena como "comunista" e "ateu". E sim um Papa chamado de "nazista", Bento XVI, alemão de nascença, e que pertenceu à juventude de Hitler, e combateu contra os Aliados na Segunda Grande Guerra.

Pontificou Bento que os humanos desenvolveram sete pecados capitais modernos. Eles são:

 

Pressa: Uma pessoa apressada não tem tempo para Deus.

Pela carga horária desejada por Temer, o trabalhador não tem tempo para descanso, para dedicar à família, o que explica o atual abandono de crianças e adolescentes, o que motiva suicídios.

Fica desmoralizada a invenção da lenda da baleia azul, existente apenas nos países em crise no Terceiro Mundo. A baleia azul assume os crimes do governo e outros.

 

Para Bento XVI, outro pecado capital Causar Pobreza: Retirar dinheiro dos outros por avareza. Prática comum da agiotagem bancária, dos prestamistas, do roubo do empréstimo consignado para funcionários públicos, que cobra os impagáveis

juros sobre juros, tal como acontece com a dívida externa do Brasil.

  

Também constitui pecado capital Ser muito rico: Causa desigualdade social, o que é inaceitável, pois todos são iguais perante Deus.

 

E causar Injustiça Social: Nada mais injusto que o nababesco, principesco salário acima do teto constitucional em um país que paga o salário mínimo do mínimo, e as existências de duas justiças, de duas polícias.

 

Existem mais dois pecados capitais:

Interferir no Meio Ambiente: Adicionar imperfeições na Criação de Deus. Permitir a multiplicação das favelas. Mil e cem favelas na Capital Rio de Janeiro. Mais de duas mil na Capital São Paulo. Nada mais absurdo que a construção de moradias indignas, principalmente em áreas de risco.

 

Interferir no próprio corpo: Usar drogas como acontece com as prostitutas infantis. Que entorpecem o corpo para suportar de oito a dez estupros diários. As vaginas pequenas e estreitas sangram. O sexo das meninas uma dolorida, uma ferida aberta.

 

O tráfico de órgãos rende bilhões. Vender parte do corpo `a medicina de vanguarda passou a ser um meio de vida ou morte.

 

AUTO_william auxílio moradia justiça salário pr

 

 

 

 

03
Jun17

Meu próprio pai me abusou

Talis Andrade

de Thalia Mendes Meireles

 

Thalia 7 instagram.jpg

 

 

 

Eu não queria morrer.

Eu tenho inúmeros motivos

para ter feito o que fiz.

Meu próprio pai

me abusou

e foi por isso que eu morri

por dentro. 

 

Eu fui morrendo

durante dois anos.

Fui vendo minha morte

sem poder fazer nada

a respeito.

 

Quantos cortes

eu não fiz?

Eu até apelei 

a drogas,

o que não resultou

em nada.

 

Meu pai iniciou

a destruição. 

 

 

---

Foto: Thalia Mendes Meireles

A menina enforcada/ Carta suícida

 

 

 

25
Mai17

Impressionante carta de uma menina suicida

Talis Andrade

"Você pode ver uma pessoa sorrindo, parecendo feliz, mas não se engane, sempre há coisas além. Por isso somos cegos. Nunca vemos além".

 

 

blogue thalia memória.jpg

 

thalia foto maior.jpg

 Thalia Mendes Meireles, 15 anos, vivia e morreu enforcada no dia 13 de abril último, Quinta-Feira Santa, em Monção, pequena cidade do Maranhão, onde imperam o patriarcado, e uma cultura de incesto e estupro de crianças. No Brasil, incesto não é crime. 

Thalia, desde os 13 anos era violentada pelo pai, o empresário José Meireles da Silva.

Invejada pela beleza e inteligente, Thalia sofria bullying na escola. 

Escrevia um diário, um romance, confiscados pelo pai, e páginas nas redes sociais e blogues, que foram deletados.

Thalia Mendes 1.jpg

Thalia foto blusa laranja.jpg

thalia mendes nova foto.jpg

 A CARTA DE THALIA

 

 

Eu sei que a decisão que tomei foi totalmente desqualificada e imoral. Quem diabos é para tirar a própria vida?

Mas eu posso dizer uma coisa: Pra que serve o livre arbítrio?

A vida é minha, a essência é minha. Respeitem.

 

As pessoas passam a vida inteira julgando tudo que vêem. Jogam palavras que não voltam, olhares que machucam, rejeitam, maltratam, usam. Isso dói, tá legal? O ser humano vai guardando isso dentro de si até formar uma grande bola prestes a explodir. Você pode ver uma pessoa sorrindo, parecendo feliz, mas não se engane, sempre há coisas além. Por isso somos cegos. Nunca vemos além.

 

Aquela menina sentada de cabeça baixa tá precisando de ajuda. Mas o que as pessoas fazem? “Fulana está na bad”.

 

Que sociedade maldita. Como se tristeza fosse algo irrelevante, que não precisa de atenção. Idiotas. Quando é tarde eles se perguntam o que tinha de errado.

Pais que não vêem seus filhos se cortando, se drogando, se destruindo. Escolas que não vêem o bullying debaixo do seu nariz. Pais que estupram os filhos, mães que humilham, irmãos que rejeitam. Malditos. Malditos.

 

 

Tudo isso acima faz a mente humana enlouquecer, sabia? Ela definha, fica angustiada e cheia de coisas inexplicáveis, pensamentos perigosos. Você vê no jornal aquele jovem que matou inúmeros estudantes e julga. Já parou pra pensar o que levou ele fazer aquilo? Será que não foi a hipocrisia e idiotice da sociedade? Essa sociedade que nos coloca em um lugar durante anos, em total humilhação, e depois quer escolher um futuro pra nós. Ninguém nunca vê. Até que é tarde.

 

Eu não queria morrer. Eu penso que tenho um futuro pela frente. Eu sei que tenho. Tenho mais amigos para fazer, mais músicas para escutar, mais pessoas para namorar, mais shows para ir. Tanta coisa.

 

Mas sabe o que eu e outras milhões de pessoas pensam sobre isso?

“Eu não tenho força de vontade para continuar. Eu não sou forte, eu não consigo seguir em frente sem derrubar mais uma lagrima”.

Sejam mais gentis, por favor. Amem mais, ajudem mais, vêem mais, peguem na mão de pessoas que estão se afogando. Dê sua mão.

Dê um sorriso.

 

Eu tenho inúmeros motivos para ter feito o que fiz.

Meu próprio pai me abusou e foi por isso que eu morri por dentro. Eu fui morrendo durante dois anos.

Fui vendo minha morte sem poder fazer nada a respeito.

Quantos cortes eu não fiz?

Eu até apelei a drogas, o que não resultou em nada.

Meu pai iniciou a destruição.

 

Minha mãe me tirou minha rotina e passou a assistir tudo em total inconsciência. Eu sei que ela via, mas quem disse que ela percebia?

Ela era uma mãe tão atenciosa, o que aconteceu? Por que ela ficou tão alheia? Por que ela demonstra amar mais a meu irmão? Por que ela não me ama? Por que ela não me abraça e me beija assim como ela faz com meu irmão?

Por que ela me humilha por causa de um erro tão pequeno?

Por que ela não pergunta como foi meu dia na escola? Por que ela não quer saber o motivo de eu estar tanto tempo trancada no quarto? Por que ela não pergunta o motivo de eu usar tanta blusa de manga comprida?

Ela tá deixando eu morrer sem fazer nada. E eu não quero as lágrimas de meus pais. Eu sentiria nojo delas. Eu sentiria nojo porque eu passei a odiar meu pai e odiar minha nova mãe. Porque eu ainda amo aquela mãe que me abraçava e me beijava. É como se ela não me amasse mais porque fui usada pelo meu pai, como se ela sentisse nojo de mim. Sim, ela sabe do abuso, mas jogou pra debaixo do tapete. Assim como aquela maldita escola em que eu passei os piores momentos da minha vida.

 

Eu já tentei suicídio outras vezes. E isso e é horrível, porque eu já sei a sensação. Pensar em suicídio é uma coisa, mas planejar e ir no ponto é outra. Dá aquele aperto no peito, aquela sensação de frio na barriga. “O que acontecerá depois disso?” Eu não acredito em deus, eu creio que depois disso não há nada. Mas enfim, fazer isso é difícil. Eu sou muito covarde.

Eu irei deixar muita coisa no mundo e o mundo irá perder muita coisa. Eu sou diferente.

Eu sou uma daquelas pessoas que os outros precisam .

As vezes acho que sou hipócrita porque eu vejo pessoas depressivas e vou ajudar, dar conselhos, tirar a pessoa daquela situação. Mas eu não faço isso comigo. Porque não dá mais.

 

Droga, eu queria tanto ficar aqui. Por que ninguém me ajudou antes?

 

Ontem vi pessoas dizendo que a série 13 Reasons Why influência jovens a se suicidarem.

Mas eu não acho isso.

Eu estava planejando tirar minha vida a meses e essa serie só fez eu parar e pensar: "Estou prestes a fazer algo muito idiota”.

Sim, eu tinha desistido de tirar minha vida por causa de uma série, mas depois algo mudou. Eu voltei com a decisão .

Então eu digo: Eu não me matei porque uma serie me influenciou, não pensem isso .

 

Eu me matei porque eu não aguentava mais existir assim. Eu já estava morta, o que mais eu serviria nesse mundo? Uma garota totalmente sem essência, sem nada por dentro. Já imaginou um oceano no meio da tempestade? O céu escuro? É assim dentro de mim. Mas tudo silencioso. Tudo muito destruído e silencioso. Tudo muito angustiante e doloroso. É difícil acordar de manhã e pensar: “Mais um dia em que irei ter lembranças más” “Mais um dia ao lado de pessoas que não me amam, que me odeiam” ”Mais um dia sentindo uma imensa vontade de chorar em todos os momentos”. “Mais um dia desejando morrer”

 

Então eu quero pedir que sejam mais tolerantes. Depressão não é frescura. Não neguem ajuda a aqueles que estão angustiados no fundo do poço. E quando forem se lembrar de mim, pensem em uma Thalia verdadeira. Aquela feliz que vocês viam era total mentira.”

Adeus

Thalia Mendes Meireles.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D