Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

Por que o brasileiro continua um analfabeto político? Como conviver com a ameaça de uma intervenção militar? Este Correspondente tenta buscar respostas na leitura dos jornais

O CORRESPONDENTE

23
Ago17

Os assaltos a caixas eletrônicos praticados por policiais e a chacina de policiais honestos por policiais bandidos

Talis Andrade

chacina de policiais.jpg

LEMBRA DO MENINO ACUSADO DE MATAR PAIS POLICIAIS? HÁ UMA REVIRAVOLTA NO CASO

 

Alguns casos policiais acabam chamando a atenção da imprensa e também da mídia. Em 2013, por exemplo, uma família foi encontrada morta na Zona Norte de São Paulo. Era a família Pesseghini. 

 

O pai, a mãe, a avó materna e a tia-avó de Marcelo Pesseghini foram encontrados sem vida em sua residência.

 

A principal hipótese apresentada pela polícia, até hoje, é que Marcelo teria matado toda a família e, em seguida, fugido. Ele tinha apenas 13 anos quando o crime ocorreu. No entanto, o caso após 4 anos ganhou uma grande reviravolta.

 

Família de Marcelo Pesseghini diz que garoto não matou pais policiais e afirma: polícia manipulou vídeo de segurança.

 
Como o garoto, horas depois foi achado também morto, mas em outro local, os avós paternos dele tentam provar sua inocência. Eles decidiram levar o caso até a Comissão de Direitos Humanos da OEA, a Organização dos Estados Americanos.

 

A família contratou um perito dos Estados Unidos que constatou que os vídeos divulgados pela Polícia, que concluíram o caso há quatro anos, foram todos manipulados. Agora a família do garoto quer uma reabertura do inquérito e que a justiça seja feita.

 

Pedaços de vídeo que mostrariam prova que Marcelo Pesseghini matou os pais sumiram.


A Polícia Civil afirma que o garoto teria se suicidado após matar toda a família. No entanto, o vídeo utilizado pela polícia, segundo um perito americano, estaria alterado.

 

As imagens mostram o garoto saindo de casa, entrando em um carro e indo embora do local. Alguns frames do vídeo, no entanto, sumiram, o que pode indicar que existiria uma outra pessoa no local, que obrigou o garoto a sair da casa.

 

Policiais da família Pesseghini, tudo indica, foram mortos por outros militares. 
Ao todo, o perito constatou que 42 segundos do vídeo foram retirados. O tempo é suficiente para mostrar que haveria outra pessoa no local.

 

A principal hipótese agora é que alguém queria assassinar toda a família, mas levantar as suspeitas de que teria sido o garoto que cometeu isso. Na região, vizinhos falam que outros militares teriam matado a família Pesseghini.

 

Relembre o caso da morte da família Pesseghini: a chacina que assustou São Paulo. 
Lembrando que os mortos foram a cabo Andréia Bovo Pesseghini, de 36 anos, o pai Luís Marcelo Pesseghini, de 40 anos, a tia-avó Bernardete Oliveira da Silva, de 55 anos e avó materna, Benedita Oliveira Bovo, de 67 anos. O caso teve grande repercussão em todo o país e chocou São Paulo. Fontes: BlastingNews/ VejaAgora

 

Relembre a chacina.

 

A PM cabo Andreia Regina Bovo Pesseghini denunciou que foi convidada, pelos seus colegas de farda, para participar de uma quadrilha especializada em assalto a caixas eletrônicos. Resultado: foi executada. E por ser seu marido um sargento, ele também terminou assassinado, com o filho menor, Marcelo, de 14 anos. A chacina não terminou aí. A mãe e a tia de Andreia morreram da mesma maneira. Usaram a arma da policial Andreia. Cinco tiros, cinco balas, cinco mortos. E continuam os rendosos assaltos a caixas eletrônicos. Leia mais. 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D