Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

O CORRESPONDENTE

25
Jul17

de Manuela Amaral

Talis Andrade

manuela-amaral.jpg

 

Auto de fé

Não me arrependo dos amores que tive
dos corpos de mulher por quem passei
a todos fui fiel
a todos eu amei

 

Não me arrependo dos dias e das noites
em que o meu corpo herói ganhou batalhas
A um palmo do umbigo eu fui primeira
a divina
a deusa

 

a verdadeira mulher – rival.

 

Amei tantas mulheres de que nem sei o nome
eu só me lembro apenas
de abraços
de pernas
de beijos
e orgasmos

 

E no amor que dei
e no Amor que tive
eu fui toda mulher - fui vertical

 

Eu fui mulher em espanto
fui mulher em espasmo
fui o canto proibido e solitário

 

Só tenho um itinerário: Amor-Mulher.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D