Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O CORRESPONDENTE

O CORRESPONDENTE

10
Ago17

57 países assinam declaração de apoio a Venezuela contra qualquer tipo de intervenção

Talis Andrade

Venezuela comemora o forte apoio recebido do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas em Genebra

 

57 países assinaram documento de apoio a Venezuela e contra as tentativas de intervenção

 

venezuela_for_peace__osvaldo_gutierrez_gomez.jpeg

 Ilustração Osvaldo Gutierres Gomez 

 

 

A declaração de solidariedade foi assinada pela Rússia, China, Índia, África do Sul, Irã, Vietnã, Argélia, Egito, Jordânia, Kuwait, Emirados Árabes Unidos, Paquistão, Iraque, Líbano, Líbia, Angola, Etiópia, Palestina, Qatar, Belarus, Arábia Saudita, Azerbaijão, Síria, Equador, Bolívia, Cuba, Nicarágua, São Vicente e Granadinas, São Cristóvão e Nevis, Dominica, Bahrein, Camarões, Djibuti, Somália, Sudão, Tunísia, Iêmen, República Democrática Popular da Coréia, Eritreia, Namíbia, Laos Filipinas, Sudão do Sul, República do Congo, Burundi, Zimbabwe, Myanmar, Timor Leste, Tajiquistão, Omã, República Democrática do Congo, Nigéria, Guiné Equatorial, Mauritânia, Moçambique, Togo e Venezuela.

 

Segue-se o texto integral da referida declaração:

 

Declaração Conjunta de Apoio a Venezuela

 

1. Reconhecemos o imperativo para todos os Estados de respeitar a soberania da República Bolivariana da Venezuela, de acordo com os princípios universais de não-interferência nos assuntos internos estabelecidos na Carta das Nações Unidas.

 

2. Acreditamos que é o povo venezuelano a quem compete, exclusivamente, determina o seu futuro sem interferência externa.

 

3. Apoiamos o Governo Constitucional da República Bolivariana da Venezuela em seu compromisso de preservar a paz e manter as instituições democráticas do país e a sua determinação em assegurar o pleno respeito dos direitos humanos e das liberdades fundamentais na Venezuela.

 

4. Reconhecemos a reiterada convocatória do Presidente Nicolás Maduro Moros ao diálogo político entre os diferentes setores que promovem a vida na Venezuela, a fim de preservar a paz e assegurar a estabilidade das instituições democráticas.

 

5. Congratulamos com os esforços louváveis ​​no sentido de diálogo político e de paz pela União de Nações Sul-Americanas (Unasul) e ex-presidentes Jose Luis Rodriguez Zapatero da Espanha; Martín Torrijos do Panamá; e Leonel Fernandez, da República Dominicana, junto com o enviado especial da Santa Sé.

 

6. Apoiamos também a incorporação da América Latina e do Caribe para promover o diálogo político na Venezuela, a saber: El Salvador, Nicarágua, República Dominicana, Uruguai e Estados-Membros da CARICOM.

 

7. Condenamos qualquer ação que perturba a paz, a tranquilidade e a estabilidade democrática, minando a institucionalidade democrática da República Bolivariana da Venezuela e que ameace a sua soberania.

 

venezuela exemplo .jpg

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D